Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

08/08/2015

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (114 bis) – O maior fabricante de estatísticas indigna-se com esta alegada actividade do governo (as roupas mal cosidas do PS)

Escrevi que os deputados socialistas «rasgaram as vestes de indignação» pela «fabricação de estatísticas» de desemprego que atribuem ao governo – o que pode até resultar do excesso de boa vontade de quem projecta no outro qualidades próprias.

É verdade que a esquerda em geral, e os socialistas não são excepção, rasga tão frequentemente as suas roupinhas que já me tinha interrogado como poderiam ter em tempos de crise um guarda-roupa tão volumoso. Encontrei a resposta neste comentário com o exemplo dos «notáveis da nomenclatura religiosa judaica (que) usavam, em reuniões importantes, roupas com pontos fracos na confecção — zonas "mal cosidas". Assim, podiam "rasgar as vestes de indignação" e, mais tarde, em casa, mandá-las recoser.»

Quod suus eam!

1 comentário:

Anónimo disse...

Escondida na afirmação está outra: que os fabricantes de estatísticas para o desemprego, NÂO estão desempregados.