Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/08/2015

Mitos (210) – Os chineses só investem em países endividados

Na verdade o mito completo é: os chineses só investem em países endividados, aproveitando os saldos e com o propósito de controlarem essas economias vulneráveis. É um mito cultivado pela esquerdalhada doméstica em geral (que, como se sabe, cultiva 99% dos mitos inventariados), pelo PS (enquanto está na oposição) e até por alguns empresários que não gostam dos chineses (por exemplo Soares dos Santos).

Como todos os mitos, este está tão longe da verdade que é incapaz de lhe infligir danos corporais. Veja-se o diagrama seguinte publicado pelo Handelsblatt que dá tanta importância aos investimentos em Portugal que nem lhes faz referência.


Segundo os dados recolhidos pela Ernst & Young e citados pelo Handelsblatt, as companhias chinesas investiram em 79 projectos na Alemanha no ano passado (68 em 2013 e 46 em 2012); 38 por cento dos investimentos chineses na Europa são na Alemanha; em segundo lugar encontra-se a Grã-Bretanha com 40 projectos. Segundo a Ernst & Young «as empresas chinesas querem juntar-se no topo do mercado mundial com produtos de alta qualidade, e para isso eles precisam do know-how da Europa, e especialmente da Alemanha».

Sem comentários: