Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

03/08/2015

Bons exemplos (102) - «As empresas privadas têm de se mexer por elas próprias», lá ter, têm

«Os governos não estão cá para salvar as empresas privadas. Têm que avaliar o risco sistémico, o que afecta os contribuintes, mas não estão cá para as salvar. Mas não estou na posse de toda a informação. Acho é que estas coisas não se devem transformar em temas políticos. Isto é a falência de uma empresa, de um grupo financeiro, não tem nada a ver com política. Acho que Passos Coelho, e o tema do BES é simbólico, tem feito uma reforma na economia, no sentido em que as empresas privadas têm de se mexer por elas próprias. (...)
Por muito que isto me custe, a vida é assim mesmo. É bom que os privados percebam isso. E isso pode ser uma verdadeira reforma na economia.
»
Isabel Vaz, ex-presidente da Espírito Santo Saúde do GES e actual presidente da Luz Saúde participada Fosun através da Fidelidade, em entrevista ao Negócios.

Sem comentários: