Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

05/08/2015

Lost in translation (250) – O inglês é uma língua muito difícil

Por isso, não é de estranhar que o Público ao ler a imprensa inglesa tenha entendido «O mais rebelde dos trabalhistas quer enterrar o New Labour e ressuscitar a esquerda clássica» referindo-se à candidatura de Jeremy Corbyn à liderança do Labour, que se propõe não apenas enterrar o New Labour mas fazer o mesmo ao Old Labour afastando-o durante uma década do governo.

A percepção de que o esquerdismo de Jeremy Corbyn - um declarado admirador do Syriza - faz de Ed Miliband um centrista – o líder esquerdista anterior que enterrou o Labour na oposição para os próximos 5 anos – é tão forte que se especula estarem simpatizantes do Partido Conservador a gastar as 3 libras necessárias para se inscreverem como registered supporters do Labour e votarem em Corbyn.

Sem comentários: