Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

31/07/2022

Mitos (320) - Os sem-abrigo podem ser pobres, mas não são os pobres

«Não, não soube sempre o que eram sem-abrigo. E percebo até porque existe um grande desconhecimento quanto aos sem-abrigo. Vivi completamente equivocado e enganado: diziam-me que eram pobres, depois diziam-me que eram bêbedos e drogados e quando vim para o Júlio de Matos em 1984 e vi que os doentes mais graves não estavam no hospital, mas dormiam à minha porta, é que percebi uma coisa espantosa - ‘então, vivi com eles um quarto de século sem saber quem eram’. Por isso, percebo que ninguém saiba, desde o mais humilde cidadão ao Presidente da República, eu próprio também não soube durante um quarto de século.

(...) admito que haja 5 a 10% dos casos em que não conseguimos fazer um diagnóstico psiquiátrico. Mas deve-se ver o pacote todo em conjunto, e isso é impossível por várias razões. Nos últimos anos tenho feito várias apresentações em que digo que só temos de fazer duas coisas e eu em 10 segundos digo tudo - se fosse reconhecida a importância da saúde mental e da psiquiatria, estaria desbloqueado o caminho para a resolução da problemática das pessoas sem-abrigo. Em segundo lugar, é preciso colaborar porque nenhuma instituição nem ninguém consegue resolver o problema dos sem-abrigo sozinho. Se Portugal fizesse isto nos próximos 100 anos, resolvia 99% dos casos de sem-abrigo. (...)

A primeira vez que estudámos isso foi em 2001, com a amostra de rua da Santa Casa da Misericórdia. Fomos fundadores da equipa de rua. E quando chegámos aos 1000 casos de rua fomos fazer as contas: 56 ou 57% tinham álcool, depois havia 20% de psicoses, depois as drogas e as perturbações de personalidade. No total, era mais de 90%. Eu acho que isto não varia muito, é obvio que podemos sempre admitir que há 10% de pessoas sem qualquer tipo de patologia. Agora, eu nunca vi pobres na rua, é muito difícil ver isso, mas admito que se houver um terramoto como o de 1755 possa haver.  (...)

Os sem-abrigo são como uma folha em branco, cada um vê o que quer, por isso é que é tão bom para os políticos e para toda a gente: se eu for uma pessoa com compaixão, eles servem para servir a minha compaixão, se eu for político, servem todos os políticos: os governos em funções, a oposição, e ainda os jornalistas e o povo. E quem quiser culpar os sem-abrigo também tem bons exemplos. Não digo que sejam mitos, mas cada um vai buscar a verdade que quer, como se fosse o todo.»

Excerto de uma entrevista a António Bento, psiquiatra e director do Serviço de Psiquiatria Geral e Transcultural do Hospital Júlio de Matos

30/07/2022

CASE STUDY: E se o sexo dos professores tiver influência no desempenho dos alunos?

Até 1989 a Finlândia adoptou uma política de discriminação positiva na formação dos professores do ensino primário fixando uma quota mínima de 40% para os homens para equilibrar a distribuição por sexos numa profissão onde tendencialmente as mulheres representavam a grande maioria. Daí resultou que, apesar das mulheres terem em média notas mais altas, muitas foram preteridas por homens para atingir a quota mínima.

Três décadas depois Ursina Schaede e Ville Mankki da universidade de Turku realizaram um estudo publicado em Abril (Quota vs quality? Long-term gains from an unusual gender quota) que acompanhou mais de 800 mil crianças que entraram nas escolas primárias entre 1988 e 2000, separando os alunos que tiveram professores femininos não sujeitos à quota e professores masculinos, e chegaram à seguinte conclusão:

«Pupils exposed to a higher share of male quota teachers during primary school transition more smoothly to post-compulsory education, have higher educational attainment, and labor force attachment at age 25. Pupils of both genders benefit similarly from exposure to male quota teachers. Our findings are consistent with the quota improving the allocation of talent over the unconstrained selection process. » 

O estudo sugere que os professores masculinos seleccionados pela quota obtiveram melhores resultados do que os professores femininos com médias comparáveis, por razões que podem estar relacionadas com a maior proporção de professores masculinos que falavam o finlandês como língua materna ou terem estudado matemática. Seja como for, as conclusões do estudo contrariam duas ideias populares: (1) a de que a discriminação positiva tem sempre consequências negativas e (2) não há diferenças de desempenho entre homens e mulheres.

29/07/2022

O Dr. Pedro Nuno insulta os jornalistas (eles não se importam, estão lá para isso) e a inteligência dos eleitores (que na esmagadora maioria não deram por nada)

DN

O aeroporto está atrasado pelo menos desde os tempos em que o menino e futuro Dr. Pedro Nuno ainda era presidente da Mesa da Reunião Geral de Alunos do ISEG e o Dr. Guilhermino Rodrigues, secretário de estado dos Transportes do primeiro governo do Sr. Eng. Guterres reconheceu (29-05-1998): 
«A manterem-se as taxas de crescimento actuais, entre 2003 e 2007 esgota-se a capacidade do actual aeroporto. É evidente que é possível, com alguns investimentos complementares, aumentar a vida útil deste aeroporto por mais dois ou três anos. Eu diria que, em 2007 ou 2008, a capacidade do actual aeroporto estará esgotada.» 
Desde então, o PS esteve 17 (dezassete) anos no governo e o próprio Dr. Pedro Nuno Santos é membro de governos do PS há 7 (sete) anos. Como o actual líder do PSD tomou posse há três semanas, poderíamos imputar-lhe no máximo por 0,24% do atraso - supondo que lhe competiria tomar a decisão. 

28/07/2022

DIÁRIO DE BORDO: Petição para atribuição de uma medalha de mérito à Dra. Temido pela promoção involuntária da saúde privada

Há quase três décadas que utilizo prestadores privados da rede de um seguro de Saúde. Até há poucos anos era relativamente fácil marcar uma consulta ou um exame médico e o atendimento era rápido, quase sem filas de espera e sem congestionamentos.

Gradualmente, à medida que o SNS se degradava, sob a batuta da Dr.ª Temido e as cativações do Dr. Centeno e dos seus sucessores (veja-se o diagrama já publicado no último Semanário de Bordo), a procura dos cuidados privados de saúde foi aumentando e, em particular a partir da pandemia, as marcações começaram a ser difíceis, as filas e os tempos de espera a aumentarem e até se assistiu a alguns congestionamentos, num claro indício de prosperidade dos operadores privados.

Para dar os exemplos que conheço melhor, a Cuf Saúde apesar de ter registado uma quebra de 6% dos rendimentos operacionais em 2020, primeiro ano da pandemia, cresceu 25,7% em 2021; os números equivalentes do Hospital da Luz foram 4% e 8%, respectivamente.

Considerando a sanha da Dr.ª Temido contra os "privados" e a concorrência da sua prestação de cuidados de saúde, parece-me extremamente difícil encontrar um melhor exemplo da chamada lei das «consequências imprevistas da acção social intencional», formulado por Robert Merton em 1936, que neste caso reveste a forma particular de consequências indesejadas, ou, em português corrente, tiro no pé.

27/07/2022

Dúvidas (341) - Porque algumas direitas nacionalistas são atraídas pelo Czar Vlad?

Algumas direitas professam o nacionalismo que para efeitos práticos podemos considerar como a «ideologia baseada na premissa de que a lealdade e a devoção do indivíduo ao Estado-nação superam outros interesses individuais ou de grupo». ‎

Alguns partidos e muitas pessoas que se consideram da direita nacionalista olham para a Rússia de Putin com simpatia indisfarçável, e nalguns casos indisfarçada. Mesmo admitindo que por vezes essa simpatia tem um preço que Putin costuma pagar bem, existe muita gente que tem aparentemente uma admiração genuína e desinteressada pelo regime putinesco pelo seu suposto nacionalismo.

É aqui que reside a minha dúvida, pois como pode um nacionalista simpatizar com um regime com um ditador e uma clique que governa um Estado Federal de duas dezenas de repúblicas, quatro dezenas de regiões autónomas, mais de uma centena de etnias diferentes que falam mais de uma centena de línguas diferentes e professam quatro religiões principais, Estado que é um Império composto por vários potenciais Estados-nação cuja coesão resulta exclusivamente de ser governado com mão de ferro e supressão de todas as liberdades?

26/07/2022

SERVIÇO PÚBLICO: A liderança maligna precisa de ressabiados devotos e obedientes e de outros idiotas úteis

«A liderança maligna também se nutre de características dos liderados, o segundo vértice da malignidade. Pessoas ressabiadas, desprovidas de empatia, entusiasmadas com uma liderança “forte” que decide por elas próprias — eis as características potenciadoras da emergência de lideranças malignas. Estas pessoas podem entregar-se acriticamente aos ditames do líder messiânico, legitimando-lhe malfeitorias e dislates morais. No processo, também emergem seguidores oportunistas. Estes, cientes de que, para se manterem no círculo do poder, precisam de mostrar lealdade pessoal ao líder messiânico, acabam também por apoiar, mais ativa ou mais passivamente, a malignidade. Retaliando contra qualquer sinal de discordância, este tipo de líder rodeia-se de sicofantas que lhe dizem o que deseja ouvir. Com o decurso do tempo, a tomada de decisões baseia-se em informação incompleta — e o isolamento do líder perante a realidade agrava-se.

Este processo é reforçado pela paranoia crescente. Num quadro de violência contra qualquer sinal de discordância, confundida com deslealdade, a desconfiança passa a imperar. Os que se sentem injustiçados desejam vingança — e tentam o golpe palaciano. Quando o golpe fracassa, a vingança sanguinária reforça-se. A paranoia coletiva emerge. A violência transforma-se num trunfo sempre à mão, com consequências trágicas para os liderados e, por vezes, o próprio líder.

O terceiro vértice é o contexto. A liderança maligna emerge mais provavelmente quando a situação conduz os liderados a depositarem esperanças num líder salvífico. Quando a autoestima ou a identidade de um povo está ameaçada por reais ou imaginários inimigos externos, é mais provável que esse povo se entregue nas mãos do líder ungido e redentor. Alguns líderes são dotados de um faro particular para estes descontentamentos — o que os leva a cavalgar a onda de frustração dos liderados e a prometer-lhes um futuro que resgate o orgulho perdido.

Quando o entusiasmo com estas promessas ganha tração, desenvolve-se uma espécie de combustão que, a médio longo prazo, se revela tóxica. Perante obstáculos provindos dos “inimigos” e “desleais”, líder e liderados diabolizam a discordância. Para vencer essas “escumalhas”, o líder propõe e os liderados aceitam a remoção de pesos e contrapesos institucionais — libertando o líder e o seu círculo dos constrangimentos que sustentam as liberdades e o processo democrático. Instituições como os tribunais ou o parlamento são progressivamente empobrecidas — ainda que, na aparência, a separação de poderes se mantenha. É então que o líder dispõe das condições para se perpetuar no poder e, se necessário, mudar a Constituição. Esta mudança está à mão de semear — pois as institui­ções já perderam poder de vigilância e são meras correias de transmissão da vontade do todo-poderoso líder. Eis que se concretiza a resplandecente fórmula: L’état c’est moi!»

Excerto de Putin e o triângulo da liderança, Arménio Rego e Miguel Pina e Cunha

25/07/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (24)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

Ineficiente, sempre. Ineficaz quando possível

Em 2018, o governo comprou para o Exército por 6 milhões drones de vigilância de fogos que não foram usados. Em 2020, o governo compra mais 12 drones para a Força Aérea e começa a contratar guardas-florestais, cujas funções de vigilância num país normal seriam substituídas pelos drones. Em Julho desse ano, a Força Aérea assina o contrato; a 17 desse mês o ministro do Ambiente diz que os drones estariam operacionais dentro de dias; a 4 de Agosto os ministros fazem uma acção de promoção; a 30 de Setembro só estavam operacionais quatro dos doze drones e um desses drones que voava em teste despenhou-se em Beja. Decorrido mais um ano, só estavam disponíveis 7 desses drones e, entretanto, os de descolagem vertical foram suspensos e um dos outros despenhou-se em 11 de Agosto do ano passado o que levou a suspender todos.

Ponto de situação: de uma dúzia de drones comprados em 2020 por ajuste directo num contrato que o TdC considerou desastroso, em Julho deste ano só 3 estavam a ser utilizados. Pior é difícil, até para o Estado sucial gerido pela clique socialista.

A função zingarilho da Boa Nova é do tipo quanto mais, mais

Se as coisas correm mal isso não é necessariamente um problema. O problema é quando a choldra começa a perceber e, então, quanto mais se torna impossível de esconder por trás do nevoeiro informativo a cargo do jornalismo alinhado, mais o governo tira coelhos da cartola que têm uma vida tão curta quanto a dos coelhos dos vendedores da banha da cobra nas feiras. Alguns exemplos de anúncios dos últimos dias:
A consistência não é o forte do Dr. Costa

À segunda-feira, o Dr. Costa puxa dos galões das energias renováveis na produção de electricidade para se recusar a participar nas medidas propostas pela CE para reduzir dependência energética da Rússia. Segundo ele, tais medidas seriam «para compensar o atraso em que outros se colocaram quando podiam e deviam ter feito investimentos como nós fizemos nas energias renováveis». À quinta-feira, manda o secretário de Estado da Energia dizer que se opõe à redução de 15% da utilização do gás proposta pela CE porque «estamos a usar o gás por absoluta necessidade» para… a produção de electricidade.

Plano para manter a flutuar o Estado sucial em afundamento

Dos 16 mil milhões de euros do PRR, às empresas privadas chegaram até agora 9 milhões de euros e às empresas públicas chegaram mais de 700 milhões de euros, em cima das centenas de milhões que recebem de subsídios.

24/07/2022

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Portugueses no topo do mundo (47) - Campeões da síndrome de Peter Pan

Outros portugueses no topo do mundo.

O ano passado concluímos aqui face aos mesmos dados de 2020 que a idade de saída de casa dos jovens é um dos proxies do colectivismo que cultiva a dependência do grupo (neste caso da família) e do Estado, por oposição ao individualismo característico das sociedades liberais que proporcionam ambientes mais favoráveis à iniciativa, ao empreendedorismo e, em consequência, ao desenvolvimento económico e social. Só posso concordar. 

Feitas as contas, o coeficiente de correlação (Pearson) em 2021 entre o PIB per capita e a idade de saída de casa é -0,45, valor que geralmente se considera traduzir uma correlação negativa forte, ou seja, a idade de saída mais baixa está claramente associada a um nível mais baixo de prosperidade.

23/07/2022

Vejamos os factos sobre o TVDE sem o estrabismo do jornalismo de causas, Über alles

«As revelações do Uber Leaks têm sido uma montanha a parir um rato, que não deve esconder o verdadeiro escândalo que foi a falta de concorrência nos transportes durante décadas

As secções de economia da imprensa internacional desta semana foram dominadas com a excitação sobre os Uber Leaks (ou Uber Files ou Uber Papers). Um antigo executivo da companhia Uber partilhou centenas de milhares de documentos internos da firma com um consórcio de jornalistas internacionais que as analisou extensivamente durante várias semanas e agora publicou os seus resultados. Por todo o mundo saíram artigos com títulos explosivos, prometendo revelar as práticas pérfidas da companhia. Tendo passado horas a ler o que encontrei, cheguei à conclusão que os Uber Leaks mostraram mais uma vez que a brevidade dos títulos (ou das mensagens nas redes sociais) podem causar muita indignação com pouca substância de suporte. (...)

O que espero que estas notícias não escondam é o mais importante: o que foi e o que é o negócio dos transportes dentro das cidades. Um sector protegido durante décadas, que prestava um péssimo serviço com preços altos, e em que era quase impossível entrar porque alguns incumbentes com frotas de dezenas de veículos protegiam o seu monopólio e usavam a sua força política para terem lucros chorudos. Entrou um concorrente, não com nenhuma bondade, mas usando táticas agressivas e nalguns casos pouco éticas para tentar capturar esse bolo. Para o fazer, usou o dinheiro de acionistas para ter prejuízo brutais ao dar ao consumidor preços muito abaixo do custo durante anos, esperando com esse dumping depois conseguir ela monopolizar o sector. Tudo indica que falhou, porque o sector tradicional respondeu e entraram novos concorrentes. Entretanto, o consumidor beneficiou de preços muito baratos no transporte na última década, de uma melhoria de serviço considerável incluindo nos táxis tradicionais, e de um avanço tecnológico com uma série de aplicações que permitem chamar um táxi ou outro serviço de transporte nalguns minutos nas principais cidades do mundo.

O escândalo aqui é este período estar a chegar ao fim. Aos poucos e poucos têm crescido os regulamentos sobre este sector pelo mundo fora. A maioria com boas intenções, mas o efeito prático é aumentar os custos fixos do serviço, criando economias de escala artificiais, que estão a levar a que sejam novamente só empresas com grandes frotas a dominar novamente o sector. Com tantos carros estacionados durante o dia, é pena ver nas notícias esta semana filas de horas no aeroporto de Lisboa. Os turistas estariam dispostos a pagar muito bem a um dos 308 mil portugueses desempregados para passarem umas horas a levá-los ao seu hotel.»

Uber escândalo, Ricardo Reis no Expresso

22/07/2022

Paying the price to do business with the New Middle Empire

Financial Times

For those who may not know, «HSBC Holdings plc is a British multinational universal bank and financial services holding company. It is the largest bank in Europe by total assets, with US$2.953 trillion as of December 2021. In 2021, HSBC had $10.8 trillion in assets under custody (AUC) and $4.9 trillion in assets under administration (AUA), respectively. HSBC traces its origin to a hong in British Hong Kong, and its present form was established in London by the Hongkong and Shanghai Banking Corporation to act as a new group holding company in 1991; its name derives from that company's initials. The Hongkong and Shanghai Banking Corporation opened branches in Shanghai in 1865 and was first formally incorporated in 1866.» (Wiki)

21/07/2022

A arma secreta do Czar Vlad: o palhaço checheno

Observador

Pro memoria (423) - É muito descaramento. No lugar dos "frugais", cortaria ao Dr. Costa os fundos que os contribuintes europeus lhe dão para ele fingir que governa

Reagindo ao anúncio do financiamento pela UE de um pacote de medidas para ajudar os países mais dependentes do gás russo a fazerem transição, o Dr. Costa, depois de explicar que em Portugal se torraram 17 mil milhões de euros nas energias renováveis (esqueceu-se de dizer que durante 20 anos os portugueses pagaram a energia a preços mais elevados do que na maioria dos outros países) reagiu assim:

«A solidariedade significa também que não vamos fazer pagar aos portugueses, depois de investirem 17 mil milhões de euros em renováveis, custos suplementares para compensar o atraso em que outros se colocaram quando podiam e deviam ter feito investimentos como nós fizemos nas energias renováveis.»

Pordata
Para quem é primeiro-ministro de um país que desde 1986 recebeu da UE transferências líquidas de 78 mil milhões de euros (equivalente a cerca de 100 mil milhões de euros a preços de 2021) e durante os seus governos de 2016 a 2021 recebeu 14 mil milhões de euros e se prepara para receber 14 mil milhões de euros para financiar um Plano de Recuperação e Resiliência, dizer tal coisa mostra um enorme descaramento.

19/07/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (23b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.


A obra do Dr. Costa

Os críticos do Dr. Costa dizem que ele é pior primeiro-ministro desde Dona Maria II e não deixará uma única obra. Não é verdade e não é justo. Não falo apenas do estado em que deixou o SNS, com a preciosa ajuda da Dr.ª Temido, nem dos mais de 70 mil funcionários que acrescentou ao stock, nem mesmo refiro a dívida pública que à sua conta aumentou 44 mil milhões de 236 para 280 mil milhões. Sublinho apenas o inestimável contributo que o Dr. Costa e os seus dois governos deram para consolidar a posição do Estado sucial português como o supremo mendicante de Bruxelas e dos seus fundos.

mais liberdade

Não, não são portas giratórias. Simplesmente não há portas

O Eng. Matos Fernandes, que deixou o ministério do Ambiente e regressou às bancadas do parlamento, irá dedicar os seus muitos tempos livres como consultor nas áreas de energia e ambiente do Instituto de Conhecimento da Abreu Advogados. O Dr. Siza Vieira contratado como sócio ajudará a PLMJ nos muitos trabalhos jurídicos que presta ao Estado. A um nível mais modesto, o Dr. Saraiva, agora vereador e antigo vice-presidente da câmara de Lisboa onde substituiu o Dr. Duarte Cordeiro, foi nomeado por indicação deste para a administração do Metro de Lisboa.

De volta ao velho normal

Com a ajuda da inflação, estamos a voltar gradualmente aos tempos socráticos com a balança comercial cada vez mais desequilibrada. Em Maio as exportações e as importações registaram um crescimento homólogo de 40,6% e 46,4% (35,3% e 34,4%, sem combustíveis), respectivamente.

Justiça socrática

O recurso do Eng. Sócrates no STJ, relacionado com a Operação Marquês, vai passar pelas mãos de um dos juízes que esteve com ele no governo entre 1996 e 1999, teve uma sanção disciplinar por tentar arquivar a investigação sobre o Freeport e voltou ao governo como adjunto da ministra Van Dunen.

Banco de Fomento é «torrar dinheiro em coisas que não valem pevid

Para que serve um Banco de Fomento várias vezes anunciado para as «próximas semanas», sucedendo a um banco de fomento que fora privatizado por um governo PS, tinha ressuscitado em 2018 e segundo o Dr. Siza já estava criado em Janeiro de 2020 e só viu a luz do dia em 2021? Segundo João Serrenho da CIN, um dos poucos empresários que não vive pendurado no governo, serve para «torrar dinheiro em coisas que não valem pevide».

Já é o mafarrico e já se sente o cheiro das brasas

A taxa de inflação homóloga em Portugal subiu 0,7% em Junho para 8,7%, o valor mais alto desde 1992.

18/07/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (23a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.


Há cinco anos, dois meses depois da catástrofe de Pedrógão Grande, o ministro da Agricultura de então anunciava que o governo tinha feito a maior revolução da floresta desde D. Dinis. Dois meses depois, o governo anunciava mais uma reforma da floresta e criava com grande pompa e circunstância uma Estrutura de Missão para Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais presidida pelo Engenheiro Florestal Tiago Martins Oliveira, apresentado como o mago das florestas, que criou a Agência de Gestão Integrada de Fogos Rurais. Cinco anos depois, o Eng. Oliveira, poucos dias antes do início da presente temporada de incêndios em exibição em todos os canais, veio dizer-nos que «o problema dos incêndios não passa pela existência de mais meios de combate, mas pela gestão da propriedade florestal». That’s it.

Ó Dr. Costa, o que nasce sempre da acção humana são as políticas desastrosas do seu governo

Parece que o Dr. Costa garantiu que «Os incêndios nascem sempre da ação humana». Como se factcheckou não é verdade.

Estado Sucial Simplex

Desde 1996 o número de órgãos consultivos do Estado cresceu 79% para mais de 400. O que fazem? Ninguém sabe. Já quanto aos mais de 800 apparatchiks que o Dr. Costa e os seus ajudantes nomearam para os gabinetes do governo sabe-se que servem de câmaras de eco.

«Em defesa do SNS, sempre»

Quando se pensava que já tinha sido atingido o pior, os hospitais começaram a transferir o caos das urgências para o atraso das cirurgias e consultas que já estão a diminuir em relação ao ano passado devido à mobilização de médicos para as urgências. Entretanto, na região de Lisboa metade das vagas para médicos de família ficaram por ocupar apesar do SNS oferecer salários mais altos do que os dos médicos de família já contratados que no sábado protestaram numa manif.

O SNS afunda-se sozinho, não precisa da ajuda dos “privados”

Mesmo com a preciosa ajuda da Dr.ª Temido, a despesa do SNS com os hospitais privados reduziu-se em 2020 e conta apenas 4% do total.

Take Another Plan e as entradas de leão e saídas de cordeiro

O Dr. Pedro Nuno Santos, que o episódio do despacho dos aeroportos revelou ser um banana a fingir-se de teso, chutou para canto as responsabilidades da TAP no cancelamento de dezenas de voos e consequente caos atribuindo-os aos problemas do aeroporto de Lisboa.

A família socialista tem imenso jeito para o negócio

Há três anos soube-se do caso das 780 mil «golas» inflamáveis distribuídas aos velhinhos perdidos por esses cus-de-judas para se protegerem dos incêndios florestais, golas que afinal, explicou depois a Protecção Civil, eram apenas para “merchandising“ e “propaganda“. O caso envolveu uma família socialista e vários apparatchiks avulsos. Três anos mais tarde o governo foi forçado a devolver a Bruxelas 844 mil euros de subsídios.

(Continua)

17/07/2022

ACREDITE SE QUISER: Mudam-se os tempos, não se muda a CP

«Há uns anos, um meu conhecido saiu-se com uma frase. Sabes, ele tinha uma loja de decoração, faliu e ficou sem nada. O que vale é que lhe arranjaram um lugar na administração da CP.

Sabe o que é isto? ASCEF. FENTCOP. SERS. SIFA. SINAFE. SINDEFER. SINFA. SINFB. SIOFA. SMAQ. SNAQ ESTMEFE. SNTSF. FECTRANS. SFRSI. ASSIFECO.

Numa viagem no Alfa Pendular de Lisboa para o Porto, atrasado meia hora, ar condicionado rebentado, comida e bebidas esgotadas e comboio apinhado de gente e bagagens, resolvi ir ao portal da CP para perceber o que se faz no Conselho de Administração. Parece que tudo o que o CA faz é negociar com sindicatos e emitir comunicados sobre as negociações com sindicatos, quando há anúncios de greve. E há anúncios de greve quase todas as semanas.»

Foi assim, numa pausa no seu cosmopolitismo obsessivo-compulsivo, que a Drª Clara Ferreira Alves, aka Pluma Caprichosa, desceu à terra e se deu conta do estado de um dos engenhos mais eficazes a torrar o dinheiro dos contribuintes a pretexto de lhes proporcionar transporte público ferroviário.

É a continuidade por outros meios da CP fássista, a propósito da qual se contava umas décadas atrás a anedota de um funcionário que indignado por não contratarem o filho se queixava «não há nenhum filho da puta que não entre na CP, só o meu filho é que não

16/07/2022

DIÁRIO DE BORDO: Elegeram-no? Então aguentem outros cinco anos de TV Marcelo (8) - O passado do Dr. Marcelo é imprevisível

Então aguentem outros cinco anos, uma espécie de sequência indesejada da série Outras preces (não escutadas).

A entrevista ao Dr. Marcelo pelo seu inimigo de estimação Dr. Balsemão, publicada na Revista do Expresso, onde o Dr. Marcelo reformulou o passado em geral e o seu em particular (como aqui se evidencia) poderia muito bem ter tido lugar na Rússia onde é costume os próprios russos reconhecerem que «a Rússia é um país com um passado imprevisível» e ser publicada no Izvestia.

Exemplos do costume (54) - A fábrica de presidenciáveis já começou a trabalhar (V)

Desta vez com uma antecedência inabitual de quatro anos já se antecipam os supositivos votos que os supositivos candidatos a Belém terão. Começou pelo almirante Gouveia e Melo e não foi agora com a sondagem da Intercampus que o dá como favorito com 31,7% dos votos na primeira volta, seguido do Dr. Paulo Portas e do Dr. Marques Mendes ex aequo.

Não foi agora, foi muito antes, ainda o Sr. Almirante andava à volta das vacinas e já se escrevia aqui que no Portugal dos Pequeninos qualquer criatura que dê conta do recado é um candidato potencial à presidência de qualquer coisa (por exemplo, da República), a propósito da disponibilidade por ele demonstrada com um prudente «até lá muita coisa pode acontecer», disponibilidade reforçada mais recentemente com a entrevista ao Observador que, por coincidência que deve ter dado algum trabalho, antecedeu em dois dias a divulgação da sondagem da Intercampus.

É ainda muito cedo e o Sr. Almirante arrisca-se a ser apenas uma lebre dos corredores de fundo, sendo certo que tem a seu favor vários argumentos e o gosto pelas fardas que muitos portugueses acalentam 

15/07/2022

Sem a malária a Europa latina seria talvez a Europa cartaginesa

Anopheles, o fazedor de história
«A malária também moldou outros continentes. Já foi comum na Europa. Uma das razões por que Roma antiga era tão difícil de conquistar era por estar protegida pelos pântanos Pontine. Os romanos pensavam que as febres que as pessoas apanhavam lá eram causadas por gases nocivos. Daí o nome mal'aria, “ar ruim”.

Em 218 AC. Hannibal atravessou os Alpes e derrotou os romanos em Trébia, Trasimene e Canas, mas não conseguiu a conquista por causa da malária, que custou ao general cartaginese o olho direito, a sua esposa, o seu filho e grande parte de seu exército. Diversas invasões posteriores de bárbaros enfrentaram o mesmo obstáculo. "O mundo ainda vive entre as sombras assombradas por mosquitos do Império Romano", observa Winegard  (Timothy Winegard, “The Mosquito”) -  muitos países falam uma língua baseada em latim, enquanto vários sistemas políticos adoptaram a lei romana. De facto, "o Império Romano primeiro martirizou e depois facilitou a passagem do cristianismo pela Europa". (...)

É interessante especular como seria o mundo se a malária nunca tivesse existido. Se Hannibal tivesse conquistado Roma, os europeus hoje falariam línguas derivadas do púnico em vez do latim? Se o comércio transatlântico de escravos não tivesse sido tão lucrativo, teria a América evitado a guerra civil e a segregação? Se o exército japonês fortalecido por quinino não tivesse vencido os nacionalistas chineses, os comunistas de Mao Tsé-Tung teriam sido capazes de tomar o poder?»

(How malaria has shaped humanity)

14/07/2022

CASE STUDY: os incêndios e as funções zingarilho (republicação)

Como eram as coisas há 80 anos (fonte: Amorim Girão, Geografia de Portugal, Portucalense Editora)



Como são hoje (fonte: Espécies Florestais 2002, Direcção-Geral dos Recursos Florestais)




O que só pode ter os resultados que se conhecem (fonte: Fogos florestais ocorridos entre 1990 e 1998, Direcção-Geral dos Recursos Florestais)



E será por falta de políticas florestais e de intervenção do estado napoleónico-estalinista? Só se for por excesso. Funções zingarilho de tipo recorrente aplicáveis:
  • Quanto mais estado napoleónico-estalinista, mais política florestal.
  • Quanto mais política florestal, mais Pinus Pinaster e Eucalyptos globulos.
  • Quanto mais Pinus Pinaster e Eucalyptos globulos, menos Castanea sativa, Quercus robur, Quercus Toza e Quercus lusitanica.
  • Quanto mais Pinus Pinaster e Eucalyptos globulos, mais incêndios.
  • Quanto mais incêndios, mais estado napoleónico-estalinista.
  • Quanto mais estado napoleónico-estalinista, mais Pinus Pinaster e Eucalyptos globulos
  • Quanto mais Pinus Pinaster e Eucalyptos globulos, mais incêndios.
  • ...
[Este post foi publicado há 17 anos mas mantém-se actual porque desde então nada de estrutural mudou.]

13/07/2022

PUBLIC SERVICE: On Tyranny (20)

On Tyranny, Timothy Snyder

You are not born brave. If you have to die, choose to die brave.

12/07/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (22b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.


O estado do Estado sucial administrado por socialistas

Quem imagina que o governo do Dr. Costa apenas dá cabo dos objectos das suas paixões, desengane-se. Até dá cabo da máquina de extorsão fiscal criando o caos nos serviços de finanças. Caos que, segundo o respectivo sindicato, se deve a falta de pessoal o que não deixa ser extraordinário numa administração pública a quem o Dr. Costa em cinco anos aumentou 82 mil funcionários.

Como dá cabo da balança comercial ao importar no 1.º semestre mil milhões de euros de electricidade da Espanha, em consequência da decisão estúpida de encerrar a central a carvão de Sines, a maior e a mais eficiente da Península Ibérica, por más razões, de onde resultou adicionalmente ter ficado sem uma solução transitória para responder, como o fizeram francesesalemães, austríacos e holandeses, à dependência do gás do Czar Vlad e, adicionando tolice à imprevidência garantiu que as centrais a carvão não serão reactivadas.


O excesso de mortalidade por 100 mil habitantes em relação à média no período Março 2020 – Junho 2022 é 283 em Portugal, o 12.º excesso mais elevado da União Europeia. 

Esse excesso só em parte se explica pela mortalidade Covid-19 (ver gráfico aqui ao lado), não só no período mais agudo do 1.º trimestre do ano passado em que houve várias semanas em que o excesso ultrapassou 50%, chegando a atingir 75%. 

Na verdade, esse facto é mais uma evidência de que o SNS enfrentou (mal) a pandemia à custa de ter descurado em absoluto as outras morbilidades. (fonte)


Já é o mafarrico e já se sente o cheiro das brasas

Se já se sabia que a inflação na UE (de onde importamos a maior parte dos bens) estava em aceleração. Sabe-se agora que o mesmo acontece nos países da OCDE, a que pertencem quase todos os nossos parceiros comerciais com excepção da China, OCDE que em Maio registou uma taxa anual de 9,6%, a mais alta em 34 anos.

11/07/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (22a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

A mão amiga do amigo do Dr. Costa sempre pronta a ajudar os empresários do regime

Do fundo de capitalização das empresas, parte do PRR, de 1.300 milhões para distribuir por 1.300 empresas, 40 milhões foram directos à holding do Sr. Mário Ferreira, dono da TVI, que soube-se agora também está envolvido num caso de fraude fiscal na venda do navio «Atlântida», um case study do pântano socialista que entre os vários suspeitos do costume começou por envolver o Dr. Carlos César e o Sr. Eng. Sócrates (pode ler-se a saga do «Atlântida» no (Im)pertinências). Sem surpresa, o Dr. Lacerda Machado é administrador da empresa beneficiária da capitalização pelo fundo. Qual Dr. Lacerda Machado? Sim, esse mesmo. O da compra dos helicópteros Kamov e da compra da VEM em que a TAP torrou 1.200 milhões, e mais tarde também administrador da TAP.

O Estado sucial como máquina de extorsão

A sanha dos governos socialistas para extorquir os contribuintes é tão tão intensa que iniciam processos de contencioso fiscal como quem dispara caçadeiras sobre passarinhos. Deve ser por isso que só ganha a arbitragem menos de um quarto (23%) dos processos.

Paz sucial

Depois de um primeiro mandato tranquilo, o Dr. Costa enfrenta agora uma conflitualidade sindical aguda ao nível dos máximos de 2015, o último ano do governo de Passos Coelho, esse grande inimigo do povo trabalhador. É o resultado da necessidade dos comunistas depois do desastre eleitoral apresentarem prova de vida, coisa que farão com entusiasmo e com as velas enfunadas por uma inflação persistente.

«Empresa Financeiramente Apoiada Continuamente (pelo) Estado Central»

A EFACEC, nacionalizada por um governo do PS que sucedeu a outro governo do PS que havia facilitado a entrada de Isabel dos Santos na empresa por não se poder deixar falir uma das poucas empresas portuguesas que fabricava maquinaria eléctrica pesada, foi finalmente vendida em Abril ao grupo DST (para pré-fabricar construção modular, acreditem). Não deveria ser novidade para ninguém que se tratava de mais uma manigância que até a DGComp em Bruxelas percebeu tratar-se não de um negócio de venda da EFACEC mas de um auxílio do Estado à DST. Como se fosse pouco, ficou também a saber-se que a DST «açambarca 1/4 do PRR para as empresas».

«A educação é a nossa paixão»

Ano após ano, as escolas públicas afundam-se nos rankings. O ano passado a escola pública melhor classificada ficou no 49.º lugar. Perante o desastre o que faz a nomenclatura socialista? Defendem que deveriam ser abolidos os rankings, explicam que os melhores resultados do ensino privado resultam de prodigalidade nas notas atribuídas e desculpam-se que não há controlo do ministério da Educação. No final, todos os apparatchiks socialistas que têm possibilidade matriculam os filhos nas escolas privadas.

Na endoutrinação as escolas públicas são imbatíveis

Se houvesse dúvidas de que a paixão da esquerdalhada pela educação não tem por objecto questões menores como a literacia e a numeracia e se concentra na "Educação para a igualdade de género" e "Educação para a saúde e sexualidade", veja-se o esforço do Ministério Público para obrigar os filhos da família Mesquita Nunes a serem endoutrinados nessas matérias com prescrições que a família rejeita em domínios em que o Estado não tem de se intrometer. Por acaso, a Constituição até prescreve no seu artigo 36.º que «os pais têm o direito e o dever de educação e manutenção dos filhos» e no artigo 43.º que «o Estado não pode programar a educação e a cultura segundo quaisquer diretrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas».

(Continua)

10/07/2022

QUEM SÓ TEM UM MARTELO VÊ TODOS OS PROBLEMAS COMO PREGOS: O alívio quantitativo aliviará? (75) Unintended consequences (XXVII)

Outras marteladas.

Recapitulando, o intervencionismo do BCE, que copiou com atraso a Fed e o BoE, adoptando o alívio quantitativo e as taxas de juro negativas ou nulas, desde o «whatever it takes» do Super Mario de Julho de 2012, é parecido como terapêutica com a sangria dos pacientes praticada pela medicina medieval para tratar qualquer doença, incluindo a anemia.

No post anterior sobre este tema citei Mundell e Friedman para concluir que a Zona Euro não constitui uma zona monetária óptima, desde logo por ser constituída por apenas 2/3 dos países da UE, só dispor de uma união bancária parcial e não existir uma união fiscal.

Faltou acrescentar que, ainda se prenchidas as condições económicas indispensáveis, nomeadamente a mobilidade da mão-obra, seria sempre necessário um orçamento único e um governo central que a Comissão Europeia na sua configuração actual está muito longe de ser. Ou seja, seria necessária uma união política e é aqui que a porca torce o rabo porque precipitar uma união política num continente com o passado bélico da Europa, com a enorme diversidade cultural (e não me refiro à cultura intelectual, mas aos valores, crenças, hábitos, costumes que influenciam os corportamentos sociais), com dezenas de línguas diferentes e identidades nacionais muito fortes, conduziria certamente ao desastre.

É por isso que, tal como a guerra é demasiado importante para a deixar nas mãos dos generais, a "federalização" da Europa é demasiado importante para a deixar nas mãos dos eurocratas.

09/07/2022

PUBLIC SERVICE: On Tyranny (19)

On Tyranny, Timothy Snyder

Do not confuse patriotism, appreciation of your country, with nationalism, hostility to other countries.

08/07/2022

COMO VÃO DESCALÇAR A BOTA? (36) - O ilusionismo gasoso do Dr. Costa

Outras botas para descalçar

«Portugal, e mais precisamente Sines, tem um papel importante a desempenhar na eliminação da dependência energética da Europa face à Rússia. "Podemos ser um porto de acolhimento, de armazenamento e de trans shipment de gás natural liquefeito, que pode vir das múltiplas rotas atlânticas e de múltiplas origens para outras regiões europeias", afirmou ontem o primeiro-ministro, António Costa, na apresentação do MadoquaPower2X, o projeto de mil milhões de euros para produção de hidrogénio e amónia verdes na zona industrial daquele concelho do litoral alentejano.» (DN)

Lembrei-me desta declaração recente do Dr. Costa ao ver o mapa seguinte onde estão assinalados os terminais de gás natural liquefeito (LNG).

Technology Quarterly

Ó Dr. Costa explique lá qual é a vantagem competitiva do terminal de Sines que, das duas dezenas de terminais LNG, é o mais distante dos grandes consumidores?

07/07/2022

Numa democracia defeituosa o chefe escolhe os deputados. Numa democracia funcional os deputados escolhem o chefe (3)

Continuação de (1) e (2)

Numa democracia avariada o Dr. Costa afasta os candidatos a deputados em quem não confia e escolhe os candidatos amigos.

Numa democracia funcional, o líder do partido e primeiro-ministro é escolhido pelos deputados eleitos.

«So it’s over: Boris Johnson has resigned after his new cabinet appointments turned against him. For a brief, mad moment he thought he’d press ahead anyway – but with 35 ministerial vacancies to fill he had to accept that, this time, there was no victory to be snatched from the jaws of defeat.» (Spectator)

Dúvidas (340) - Qual é a admiração?


Pordata

SHE TOOK THE WORDS RIGHT OUT OF MY MOUTH: «just because you go change your parts, doesn’t make you a woman»

 

“I will say this and everyone’s gonna hate me, but as a woman, just because you go change your parts, doesn’t make you a woman, sorry… I know that for a fact. Like if you want me to call you a ‘her,’ I will, ‘cause that’s what you want, but that doesn’t make you a woman just ‘cause I call you a ‘her.’ “
Macy Gray, R&B and soul singer and actress

06/07/2022

Por um@ linguagem verdadeiramente inclusiv@ evitando @ discriminação de pesso@s portador@s de pénis

Os praticantes da identidade do género, por um lado, consideram-se combatentes da não discriminação e pela linguagem inclusiva, por outro, discriminam os seres portadores de pénis, a que no passado se chamavam homens. Na verdade, não cuidam de adaptar as palavras do género feminino a um género neutro para que possam ser usadas em relação a esses seres sem os excluir. 

Alguns exemplos. Faz algum sentido usar a palavra do género feminino "pessoa" para designar um homem, isto é, um ser com próstata? Ou dizer que esse ser tem "vida"? Ou que tem "coragem"? Ou defender que não deve haver "discriminação" em relação aos seres com próstata? Ou de que tem de se respeitar a sua "dignidade"? Ou usar a palavra "sociedade" para designar uma entidade (já agora porquê outra vez o feminino?) a que também pertencem esses seres? 

Não, não faz. É urgente acabar com essas discriminações degradantes.

05/07/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (21b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

(Continuação de 21a)

O Dr. Brilhante tem um passado brilhante e terá certamente um futuro igualmente brilhante

Em Maio de 2020 começou uma das sagas do Dr. Brilhante Dias, secretário de Estado da Internacionalização, então, e líder parlamentar do PS, agora, que encomendou 1.151 ventiladores à China dos quais só 73 chegaram a Portugal, apesar de ele ter falado «300 vezes por dia» com os chineses. Na altura o governo propôs-se pagar 2 milhões de euros à TAP para ir buscar os ventiladores em falta. Passados dois anos, o TdC apurou que foram perdidos mais de 10 milhões de euros de ventilador não entregues ou irremediavelmente defeituosos.

Plano de Salvação do Estado sucial, aka Plano de Recuperação e Resiliência

«Dos 3300 milhões de euros pagos por Bruxelas desde Agosto de 2021, as famílias receberam 51 milhões e as empresas quatro milhões. Sistema científico recebeu 100 mil euros.» (Público)

De volta ao velho normal

Segundo o INE, as poupanças das famílias, que aumentaram durante a pandemia (em boa parte porque não havia oportunidade para gastar), começaram a ser torradas a bom ritmo (60% da poupança durante a Covid). Estima-se que até 2024 vai tudo voltar ao mesmo.

Já é o mafarrico e já se sente o cheiro das brasas

A inflação atingiu 8,7% em Junho, o valor mais alto em trinta anos, com os combustíveis a aumentarem 31,7% o valor mais alto em quase quarenta anos.

A Euribor a 6 meses aumentou de -0,539% no início do ano para +0,225%, a yield a 10 anos da dívida alemã era -0,123% no início do ano e subiu para +1,728%.

«Pagar a dívida é ideia de criança»

Adaptado do jornal Eco

Mais um novo recorde da dívida pública com 280,4 mil milhões atingido em Maio. A par do descaramento e da incompetência é uma das poucas coisas que o governo do Dr. Costa nos oferece.

04/07/2022

Que duzentas Dr.ªs Matos Rosa desabrochem e pagamos a dívida

Negócios

Com o Dr. Costa a conseguir colocar a dívida pública nos 280 mil milhõesé só fazer as contas, como disse a propósito do PIB o seu antecessor Sr. Eng. Guterres.

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (21a)

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (21a) Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

O Dr. Costa elevou um palhaço a estrela do seu circo

Para os cidadãos que o Estado sucial socialista esbulha para manter uma máquina quase sempre ineficaz e sempre ineficiente, é igual ao litro que o Dr. Pedro Nuno que convocou uma conferência de imprensa, fez declarações e reuniões com autarcas para anunciar que tinha decidido avançar com três aeroportos, o tenha feito à revelia do chefe actual, ausente na Óropa a tratar do seu futuro, com o propósito de mostrar qualquer coisa ou para garantir o seu futuro como chefe alternativo, ou o tenha feito mancomunado com o chefe numa manobra qualquer cuja finalidade só eles saberiam. Como é igual ao litro se o chefe o manteve no governo para o vigiar de perto e o impedir de conspirar ou porque se acagaçou de o demitir, ou por outra razão qualquer que a sua mente fértil e a sua consabida “habilidade” tenham inventado. Para os cidadãos que assistem ao espectáculo, isto é apenas mais um número ridículo de circo do Dr. Costa e do seu partido em substituição da governação do país.

O estado do Estado sucial administrado pelos socialistas

Quando o Dr. Costa finalmente for para a Óropa, irá deixar o Estado sucial num estado miserável. E não, não é só o SNS e tudo o resto de que se fala, também é o que se fala pouco como a desorganização da Segurança Social retratada num artigo cujo título é só por si um atestado: «Atropelos da Segurança Social deixam cidadãos à beira de um ataque de nervos».

A transição energética do Dr. Costa

Depois de ter encerrado central a carvão de Sines, a maior e a mais eficiente da Península Ibérica, por más razões, o governo ficou sem uma solução transitória para responder, como o fizeram franceses, alemães, austríacos e holandeses, à dependência do gás do Czar Vlad e, adicionando tolice à imprevidência garantiu que as centrais a carvão não serão reactivadas.

«Em defesa do SNS, sempre»

Não vale a pena insistir no descalabro do SNS, agora visível até para o mais ignaro eleitor socialista e, pasme-se, até para uma fracção crescente do comentariado do regime. Ainda assim, sempre cito os «milhares de escusas de responsabilidade» nos últimos seis meses de profissionais da saúde por falta de condições.

Falha o ilusionismo, recorra-se à mentira

Uma a uma, todas as PPP na área da saúde tiveram os seus contratos terminados. Na altura, relativamente a cada uma delas, o governo pela boca d@ ministr@ do SNS apresentou a terminação dos contratos como uma decisão exemplar de defesa do interesse público: «Ministro da Saúde afasta renovação de PPP com Hospital de Cascais» (Público); «necessidades da população levaram a não renovar PPP de Vila Franca» (escreveu o PS); «Governo não renova contrato da PPP do Hospital de Loures» (Público); «O Estado decidiu não renovar, por mais dez anos, o contrato de PPP do Hospital de Vila Franca de Xira, mas propôs um alargamento por um período adicional de até três anos» (Sábado). Agora, perante o visível colapso do SNS, o Dr. Costa tenta reescrever a história e diz no parlamento que «não foi o Governo quem recusou a renovação das PPP na saúde» (RR).

Com igual desplante, escassas semanas depois de ter apelado às empresas para aumentarem os salários em 20% em quatro anos para que estes subam de 45% para 48% do PIB, o Dr. Costa senta-se ao lado da Dr. Lagarde e do Dr. Centeno quando estes apelaram à «alta contenção nos salários para 2023».

Choque da realidade com a Boa Nova. O Arrendamento Acessível

O que restou dos programas de Renda Acessível do Dr. Medina e do Dr. Pedro Nuno Santos? Decorridos vários anos restaram: (1) do programa do Dr. Pedro Nuno 771-contratos-771 contratos, ou seja, 0,084% dos 921 mil arrendamentos em Portugal; (2) um aumento de 6,4% no 1.º trimestre da renda mediana; (3) um aumento de 27% da renda média nos 12 meses terminados em Junho.

(Continua)