Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

22/05/2019

Óropa? Estamos a falar de carcanhol, não é verdade?

Cartazes colocados no Parque Eduardo VII junto ao Marquês
O que me leva a citar o comediante (*) Tiago Dores que escreveu hoje no Observador:
«Uma vez que a posição de Portugal no panorama europeu é sempre de mão estendida seria óptimo que os nossos representantes fossem os políticos com mais resistência ao nível dos membros superiores.»
(*) Os comediante inteligentes, como é o caso, são as pessoas mais habilitadas a comentar a atitude mental dos nossos políticos face à Óropa, atitude que, não por acaso, é a da maioria dos eleitores que votam nesses políticos.

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Numa jogada atrevida, Costa deixa a oposição em Zugzwang (3)

Secção Tiros nos pés

Reincidindo...

No dia seguinte à pantomina da demissão, 4 de Maio, escrevi aqui: se Costa ganhar as eleições legislativas (o que se tornou hoje mais provável) agradecei à miopia de Rio & Cristas. Se confirmarem a aprovação da recuperação integral da carreira dos professores surgem como irresponsáveis e oportunistas. Se recuarem perdem o que lhes resta de credibilidade.

... e confirmando...

Resultado das sondagens para as eleições europeias:

18 de Abril: PS 33,6%, PSD 31,1% - diferença 2,5%
17 de Maio: PS 36%, PSD 28% - diferença 8%
20 de Maio: PS 33%, PSD 23% - diferença 10%


Não vou distribuir mais afonsos a Costa pelo Zugzwang a Rio e Cristas, nem bourbonschateaubriands a estas duas criaturas apanhadas pelo Zugzwang, por já estarem esgotados (os bourbons e os chateaubriands, entenda-se; também as criaturas, mas estas ainda não deram por isso).

(*) Zugzwang, do alemão zug (jogada) e zwang (compulsão), é a situação no xadrez em que, em consequência das jogadas anteriores, um jogador é obrigado a fazer a jogada seguinte da qual sairá em pior situação.

21/05/2019

ESTADO DE SÍTIO: O órgão legislativo continua a ejacular

«Maratona legislativa: deputados têm 46 leis para votar em 37 dias»

É próprio do órgão legislativo produzir ejaculações legislativas supérfluas e inférteis.

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Distraído, mentiroso ou medroso? (3)

Uma continuação por outras palavras daqui

Secção Musgo Viscoso

Tentando lavar a sua roupa interior ainda com vestígios da sua obra e da que foi cúmplice enquanto ajudante de Sócrates para as Finanças, obra que começou pela nomeação de Vara para a administração da Caixa, recusada pelo seu antecessor Campos e Cunha, demitido por essa razão por Sócrates, e continuou com o assistir impávido ao assalto ao BCP (*), Teixeira dos Santos aproveitou o Fórum Desafios e Oportunidades para dizer que «não nos podemos esquecer do que há 20 anos se tornou quase um paradigma, pelo menos entre as elites bem pensantes económicas, que achavam que precisávamos de ter centros de decisão nacional» o que, segundo ele, explicaria o expediente «de os bancos arranjarem empresários portugueses que personificassem estes tais centros de decisão nacional e de os financiarem para que pudessem existir.»

Com esta narrativa para estúpidos, digna do seu chefe Sócrates, uma vez mais Teixeira dos Santos merece cinco urracas pela falta de tomates, cinco bourbons por continuar igual a si próprio, cinco pilatos por ter passado o tempo a lavar as mãos das responsabilidades, e cinco ignóbeis por desta vez já ter percebida que não é distraído, é mentiroso e medroso.

Em alternativa ao estilo Berardo que se ri, com toda a razão e a maior desfaçatez, nas trombas dos deputados tendes o estilo songamonga do cúmplice de Sócrates na bancarrota do Estado Sucial que insulta a vossa inteligência. Pela minha parte, se me obrigarem a escolher, prefiro o Berardo.

(*) Para recordar o caso BCP releiam-se as seguintes séries de posts: «A parte submersa do iceberg Millenium bcp»; «Cronologia de um golpe»; «La strategia del ragno»; «Móbil do assalto ao BCP»; «Sequelas do assalto ao Millenium bcp».

Chávez & Chávez, Sucessores (72) - O socialismo torna escasso o que é abundante

Outras obras do chávismo.

Caracas e pelo menos 11 dos 24 estados da Venezuela estão sem gasolina.

Recapitulando:

  • A Venezuela dispõe das maiores reservas mundiais de petróleo;
  • A Venezuela tem uma elevada precipitação e dispõe de muitos rios, incluindo o rio Orinoco, o quarto maior caudal do mundo, e, não obstante, raciona frequentemente a electricidade e a água. Há mais de um ano que os 5,3 milhões de caraquenhos não têm abastecimento regular de água. Depois de terem sido gastos nos últimos anos 10 mil milhões de dólares, Caracas tem menos água do que há 20 anos e a infraestrutura está em ruínas. Apenas funcionam 20 das 400 equipas de manutenção.

20/05/2019

Crónica da avaria que a geringonça está a infligir ao País (188)

Outras avarias da geringonça e do país.


A carga fiscal aumentou? Depende do que seja, como a democracia norte-coreana para o Sr. Jerónimo

A carga fiscal subiu 0,3% em 2017 para 34,4% e em 2018 subiu 1% para 35,4%. Pelo menos é o que dizem o INE e os economistas que não se licenciaram na Mouse School of Economics. O Dr Centeno indigna-se e discorda criando uma fórmula alternativa que tem em conta o défice e os impostos futuros, fórmula que é até hoje a sua criação teórica mais original. O que, vá-se lá saber porquê, me fez lembrar a boutade da auto-estrada mexicana aqui recontada pelo outro contribuinte impertinente.

Agora é oficial. O semanário de reverência confirma que a "austeridade" socialista existe mesmo: Costa-Centeno investem menos do que o governo "neoliberal"


Além da dissidência face ao discurso oficial adoptado pela imprensa amiga no que respeita ao investimento, o Expresso no seu Caderno de Economia deste fim de semana sublinha que Portugal não convergiu com a UE entre 2016 e 2019 e até 2022 pode ser ultrapassado pela Polónia que, recorde-se, sobreviveu a ser invadida e repartida por nazis e comunistas e esteve sob a bota soviética 40 anos, o que, suspeito, deve ser um poucochinho pior do que 50 anos de corporativismo salazarista seguido de 45 anos de corporativismo socialista.

É justo registar que tudo isso foi salientado por uma espécie de Expresso alternativo, cujo actual director João Vieira Pereira nomeado recentemente (com grande surpresa minha, confesso, porque não parece fazer parte do jornalismo de causas amigo) fica em risco de receber outro SMS ameaçador do Costa como aquele de há quatro anos em que foi admoestado.

19/05/2019

CAMINHO PARA A SERVIDÃO: A licença de isqueiro do "fassismo" é agora o chip para os animais domésticos

Depois dos cães, agora são os gatos que vão ser obrigados a ter chip. Os que já nasceram têm até 2021 para ter um chip — e os que nascerem daqui em diante têm três meses. Quem não cumprir paga multa.

O que distingue o liberalismo que respeita o primado da liberdade individual e o socialismo colectivista é que o primeiro só aceita a intromissão do Estado quando não tem remédio, e o segundo só não intromete o Estado na sociedade civil quando não pode.

SERVIÇO PÚBLICO: "Para a esquerda o passado começa hoje"

«Berardo, tal como Salgado, são homens do tempo de Sócrates. Para os homens que estiveram com Sócrates no governo e que agora governam eles são uns empecilhos, fantasmas que se obstinam em desmontar a Regra Número 1 para entender Portugal: à esquerda o passado começa hoje. Em 2011, o governo socialista fez um pedido de ajuda externa. Ainda o ano não tinha acabado e já o mesmo PS se manifestava contra o programa que ele mesmo tinha negociado. Em 2012 a culpa da crise já não era da falência mas sim das medidas tomadas para a evitar… Em 2019, mostram-se indignados com Berardo, o mesmo Berardo seu parceiro no assalto ao BCP. Não duvido que dentro de uns anos serão os primeiros a indignar-se com os incêndios de 2017 ou os lucros conseguidos pelos novos capitalistas de Estado. Sim, como dizem os espanhóis sobre as bruxas que los hay los hay. Os capitalistas de Estado, claro. Das bruxas não sei nada.

A Regra Número 2 é a que estabelece: se as pessoas quisessem perceber tinham percebido. A ideia piedosa que anima muitas pessoas de que um dia, quando os outros tomarem conhecimento dos factos , então tudo será diferente é isso mesmo: uma ideia piedosa mas nada mais. Não foi por falta de esclarecimento que em 2011 um milhão e meio de pessoas votou em José Sócrates. Não foi por falta de esclarecimento ou de avisos que o país faliu. Não é por as pessoas não perceberem que em Portugal os problemas se avolumam. É sim por as pessoas terem percebido que viver enganado é mais cómodo. pelo menos durante um tempo, do que enfrentar as decisões inerentes à hora do desengano.»

Excerto de «E Berardo deixou-os nús», Helena Matos no Observador

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Numa jogada atrevida, Costa deixa a oposição em Zugzwang (consumação)

Secção Tiros nos pés

No dia seguinte à pantomina da demissão, 4 de Maio, escrevi aqui: se Costa ganhar as eleições legislativas (o que se tornou hoje mais provável) agradecei à miopia de Rio & Cristas. Se confirmarem a aprovação da recuperação integral da carreira dos professores surgem como irresponsáveis e oportunistas. Se recuarem perdem o que lhes resta de credibilidade.


Resultado das sondagens para as eleições europeias:

18 de Abril: PS 33,6%, PSD 31,1%  - diferença 2,5%

17 de Maio: PS 36% , PSD 28% - diferença 8%


Dois afonsos para Costa pelo Zugzwang a Rio e Cristas.

Cinco bourbons para a oposição por nada aprenderem e nada esquecerem (para ser rigoroso esquecem tudo, mas para isso não tenho pontos) e cinco chateaubriands por fazerem o jogada de Costa imaginando que faziam a sua e pelo espectáculo deprimente que proporcionaram.

(*) Zugzwang, do alemão zug (jogada) e zwang (compulsão), é a situação no xadrez em que, em consequência das jogadas anteriores, um jogador é obrigado a fazer a jogada seguinte da qual sairá em pior situação.

18/05/2019

Títulos inspirados (87) - Levanta-te e caminha, dirá Vieira da Silva aos defuntos replasos

«Segurança Social vai ter mais poderes para recuperar as prestações pagas a mortos»

¿Por qué no te callas? (24) - Também tu, meu filho, apelas à estupidez natural do eleitorado?

«Esse senhor Dijsselbloem foi o célebre socialista que veio dizer que aqui as pessoas do Sul e em particular os portugueses gastavam o dinheiro todo em copos e mulheres. E é por isso que eles nos cortam nos fundos», disse Paulo Rangel, o cabeça de lista do PSD às eleições europeias, acrescentando «esses amigos socialistas de Pedro Marques» é que são os «grandes amigos de Portugal».

Ele poderia ter dito que o senhor Dijsselbloem estava equivocado porque, infelizmente, os portugueses não gastaram o dinheiro em copos e mulheres. Se tivesse sido estariam desculpados por nós aqui no (Im)pertinências. Os portugueses, ou melhor os paxás que nos têm governado, têm gasto o dinheiro em rotundas inúteis, auto-estradas supérfluas, em sinecuras para os aparatchiks e bonzos, em vantagens escandalosas para os salgados e os berardos do regime e na freguesia eleitoral dos paxás que habita a vaca marsupial pública.

Compreendendo que, se dissesse tais verdades, o candidato não voltaria a Bruxelas nem a Estrasburgo, pergunto-me se, ao menos, não poderia ter ficado calado?

17/05/2019

SERVIÇO PÚBLICO: Berardo no país dos berardos

«Passei grande parte dos últimos anos angustiado e a interrogar-me: se esta gente é assim, como pode Portugal ter futuro? Este pensamento tinha a ver com os ’empresários’ e políticos que ia conhecendo, e com quem, por via da minha profissão de jornalista, tinha de trabalhar diretamente ou de contactar com assiduidade.

E tenho, por isso, uma notícia desagradável a dar: não se pense que José Berardo é o pior exemplo daquilo que a sociedade portuguesa pode apresentar. Há pior, muito pior, nesse campeonato do descaramento, da incultura, da boçalidade, da irresponsabilidade social e de uma criminosa maneira de viver a vida à conta do erário público e dos bancos.

A coleção de capatazes que não sabem, não se lembram, não viram, não possuem, não fizeram, cuja agenda só marca almoço, jantar e traficar, e que até são capazes de sacudir um último pingo de dignidade para salvarem o dinheiro que escondem em offshores é bastante mais vasta, não se esgota na miserável novela que tem decorrido no Parlamento a propósito dos roubos públicos perpetrados nos últimos anos. Berardo, insisto, apenas abusou da sorte porque sempre viveu a vida com este descaro que agora todos os portugueses já conhecem e da maneira mais chocante.

ARTIGO DEFUNTO: O Ronaldo das Finanças anda a comprar aviões




TAP confirma que vai receber 37 aeronaves em 2019; 33 delas estão avaliadas pela Airbus em mais de 6,6 mil milhões de euros.
»

É um insulto à inteligência dos leitores (inteligentes) que até para o Diário de Notícias é demasiado. Excedeu-se outra vez. É o Diário da manhã do socialismo.

16/05/2019

DIÁRIO DE BORDO: Ó políticos de merda, ó jornalistas de trampa, ó palhaços em geral, tende vergonha...



... e botai processos disciplinares uns aos outros, retirai comendas ao rancho de comendadores ineptos, indignai-vos olhando para as vossas fuças ao espelho e largai o Berardo que fez aquilo que vós esperastes dele e agora ele ri-se, com razão, nas vossas trombas.

Para melhor se perceber porque se ri Berardo veja-se a etiqueta porque ri Berardo?, etiqueta que já por aqui anda há um ror de tempo.

Por uma vez, concordo com a radical chic Marisa Matias quando diz que o riso de Berardo «é o melhor retrato da elite medíocre». Pois é, e vem a propósito recordar o lema de estimação do (Im)pertinências:
Os cidadãos deste país não devem ter memória curta e deixar branquear as responsabilidades destas elites merdosas que nos têm desgovernado e pretendem ressuscitar purificadas das suas asneiras, incompetências e cobardias.

CAMINHO PARA A SERVIDÃO: 16 de Maio, uma efeméride importante (republicação)


Há 50 anos (agora 53), a 16 de Maio de 1966, depois do grande desastre que foi «Grande Salto em Frente» com o seu cortejo de milhões de mortos pela fome, o Partido Comunista Chinês, sob o comando do Grande Líder Mao Ze Dong, emitiu uma directiva para combater sem tréguas os inimigos do comunismo infiltrados no Glorioso Partido, dando assim início à «Revolução Cultural» que nos 10 anos seguintes, até à morte de Mao, foi o pretexto para a perseguição, prisão e assassinato de milhões de chineses, lacaios da burguesia influenciados pelo capitalismo.

É uma data gloriosa do Comunismo.

Eles podem não ter muito jeito para investigar, mas são óptimos a botar nomes...

Façamos um breve levantamento da nomenclatura das operações de investigação:
Apito Dourado, Andes, Banana Mix, Carta Fora do Baralho, Cartão Gift, Cavaleiro, Chicote, Ciclone, Clã, Cruz Verde, Coruja, Cuba Livre, Danúbio, Dominó, e-toupeira, Erva Daninha, Face Oculta, Fair Play, Fénix, Fizz, Fundo Falso, Livro Mágico, Lex, Macumba, Mãozinhas de Ferro, Marquês, Moçoilo, Monte Branco, Nix, Pássaros do Sul, Polvo, Pontas Soltas, Primavera Adiada, Remédio Santo, Rockefeller, Sombra, Top Secret, Tornado, Tupperware, Voo Picado
São apenas alguns dos nomes pescados numa pesquisa rápida. Alguns são verdadeiros achados. A estes acrescentou-se há dias “Duo Facie”, uma criação da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da Polícia Judiciária que investiga toupeiras no interior do Fisco e das Finanças.

Poderíamos perfeitamente fazer um acordo no âmbito da Interpol: as polícias com mais jeito para investigar fariam as suas e as nossas investigações e as nossas polícias baptizariam as nossas e as deles. Ganharíamos todos.

15/05/2019

DIÁRIO DE BORDO: Processo disciplinar a Berardo? O Joe é a criatura, não é o criador e o criador são vários...

«Berardo provoca mal-estar em Belém. Comendador pode perder condecorações»

«CDS propõe processo disciplinar para retirar condecoração a Berardo»

O Joe é a criatura, não é o criador e o criador são vários...

Só dois exemplos (esquecendo a multidão de acólitos, como Ricardo Salgado, Santos Ferreira, Vara, etc. - um enorme etc.):

Títulos inspirados (86) - É todo um programa

«A história de Maria, que espera há dois anos que o Estado lhe trace o destino», titulou o Diário de Notícias para contar a estória de uma menina de 4 anos «retirada à mãe em emergência aos 15 meses

Dúvidas (264) - A fuga de Costa para a Óropa é só mais uma teoria da conspiração?

«Dito isto, a cabeça de António Costa já não está em Portugal. Agora, o líder socialista quer experimentar – tudo indica – um outro tipo de tacho: o tacho internacional. Costa já foi eurodeputado (que, aliás, não deixou obra nem qualquer marca relevante), pretendendo, nos próximos anos, exercer o lugar de presidente do Conselho Europeu. Na verdade, uma pessoa que outrora foi muito próxima de António Costa e que chegou mesmo a integrar o atual executivo confidenciou-nos que a escolha de Pedro Marques para cabeça-de-lista ao Parlamento Europeu se justifica com a execução de uma estratégia pessoal de António Costa que há muito é falada nos bastidores socialistas. Entre os dois socialistas foi firmado um acordo pelo qual Pedro Marques será designado por António Costa como comissário europeu – e, em troca, Pedro Marques fará pressão, junto dos seus contactos e ligações na Europa (que adquiriu na sua faceta de ministro dos Transportes), para que António Costa seja escolhido para um qualquer cargo europeu relevante (que lhe permita ter um exílio dourado, nos próximos anos até 2024/2025, em Bruxelas).»

Lido isto numa peça com um nome que diz tudo (Verdade escondida aos portugueses: António Costa já manobra nos bastidores para ir para Bruxelas), se vivesse num país normal governado por gente normal, se é que tal país existe, pensaria que João Lemos Esteves que escreveu a peça ou bem estaria a delirar ou bem estaria a construir uma bela teoria da conspiração, sabe Deus com que propósitos.

Vivendo num país talvez normal mas rançoso, governado por gente como a que nos governa agora, cujos antecessores criaram os precedentes que se conhecem, um fugindo do pântano para o olimpo das Nações Unidas e outro da bancarrota para o exílio dourado parisiense, gente a quem talvez reste um módico de lucidez para anteciparem que o inferno irá chegar e eles não querem cá estar quando chegar, penso que à cautela é melhor acolher o que hoje parece uma bela teoria da conspiração e amanhã, quem sabe?, pode ser uma bela premonição.

14/05/2019

DIÁRIO DE BORDO: Senhor, concedei-nos a graça de não termos outros cinco anos de TV Marcelo (85) - Até para comentador televisivo é demasiado

Outras preces

«Na altura comentador político televisivo, Marcelo Rebelo de Sousa elegeu Joe Berardo a figura do ano 2007 na economia portuguesa, pelo papel que tinha tido na definição do futuro do BCP.»

É claro que nos finais de 2007 não se sabia tudo o que se sabe hoje. Mas já se sabia imenso, desde que se quisesse saber, o que já se sabia e confirma-se agora não era então o caso do comentador televisivo, nem é hoje o caso do presidente. Ora releia-se o que por essa altura se escreveu no (Im)pertinências sobre a figura do ano de 2007:

09/04/2006 DUAS ESTÓRIAS, DUAS MORAIS E UM APELO: é a Cóltura, estúpidos (again)
O senhor Joe Berardo fez um acordo com o governo que o Impertinências ainda não teve ocasião de perceber, mas que à primeira vista parece consistir em usar o dinheiro dos «sujeitos passivos» para dar ao senhor Joe um local para ele arrumar as suas tralhas durante dez anos e, de caminho, lhe comprar mais uns milhões de euros de óbjectos cólturais para a sua colecção.

06/01/2007 ARTIGO DEFUNTO: o megafone é a alma do negócio
Conheceis algum outro país onde um empresário que impingiu ao governo a ideia de lhe financiar um salão de exposições para as suas tralhas artísticas e tem esperança de lhas vender dentro de 10 anos, proponha negócios a esse mesmo governo através dum jornal? Eu não.
(Teoria da conspiração: o senhor comendador está a pagar ao governo a renda do armazém onde guarda as tralhas)

08/03/2007 CASE STUDY: uma OPA é uma opa (2)
A Sonaecom procedeu à alienação de 11.291.657 acções da Portugal Telecom (cerca de 1%) a um preço médio de 9,62 euros. Realizou uma bela mais-valia, todavia insuficiente para pagar os 40 milhões que lhe custou a OPA. O mercado deveria pagar-lhe o diferencial entre o custo da OPA e a mais-valia que realizou para retribuir o valor que foi acrescentado à PT pela iniciativa da Sonaecom e pelos efeitos positivos para o mercado resultantes da separação das redes, do spin off da PT Multimédia e last but not least pela nomeação do doutor Granadeiro em substituição do Visconde Barão Doutor Horta e Costa, a Enfatuada Vacuidade do double windsor e do roupão de seda com brasão.
Se a PT vale mais de que os 10,50 oferecidos pela Sonaecom, porque está a ser negociada a cotação muito abaixo da OPA (9,69 hoje)? O que sabe o senhor Joe Berardo, o doutor Ricardo Salgado e as outras luminárias que o mercado não sabe?

30/04/2007 SERVIÇO PÚBLICO: cada um tem o que merece?
Depois dos governos anteriores terem gasto, entre 1996 e 2005, 1,5 milhões de euros para albergar peças do Berardo em Sintra, o governo socialista do engenheiro Sócrates cedeu-lhe o ano passado o centro de exposições do CCB por 10 anos, prometeu pagar meio milhão de euros em cada um desses 10 anos, para ajudar à festa da fundação, e obrigou-se a comprar a colecção no final, se o Sr. Berardo lha quiser vender.
Para não se pensar que só o governo português faz mecenato com o dinheiro dos sujeitos passivos, recorda-se que, se nós temos o Berardo, os espanhóis tiveram o Thyssen, Heinrich e têm a sua 5.ª consorte Tita, antiga miss Espanha. Em 1989, o governo de Felipe Gonzalez (sempre o polvo socialista), pagou as pesetas equivalentes a 350 milhões de dólares por metade da colecção Thyssen que albergou nesta esplêndida galeria.
Se dizem da colecção Thyssen que tem obras menores de artistas maiores e obras maiores de artistas menores, que haveremos de dizer da colecção Berardo?

04/01/2008 ESTADO DE SÍTIO: do conúbio do estado napolónico-estalinista com o empresariado de olho vivo e pé ligeiro
A manobra orquestral no escuro à volta do controlo do Millenium bcp, convenientemente justificada pelo «interesse nacional», é o exemplo do perfeito casamento de conveniência entre o omnipresente estado napolónico-estalinista, momentaneamente encabeçado por dois dos seus mais fervorosos adeptos e permanentemente ocupado pela coligação de interesses pudicamente chamada Bloco Central, e um empresariado preguiçoso, pouco empreendedor e subserviente, mas de olho vivo e pé ligeiro. Tudo o que até agora se sabia já era suficientemente grave. Ficou mais grave com o que hoje se ficou a saber: accionistas do Millenium bcp, incluindo o inefável comendador Berardo, reforçaram as suas participações com dinheiro emprestado pela Caixa, que além de emprestar o dinheiro e de ser um dos accionistas mais importantes do banco, emprestou igualmente o seu ex-presidente e um dos seus administradores, por feliz coincidência amigo do peito do primeiro-ministro (ver notícia do Público).

DIÁRIO DE BORDO: R.I.P.


«All my life, I have known that I could work at whatever I wanted whenever I wanted.»

13/05/2019

Crónica da avaria que a geringonça está a infligir ao País (187)

Outras avarias da geringonça e do país.

A pantomina

Tão subitamente quanto surgiu, desapareceu a crise da demissão do governo, uma pantominice em que cada farsante fingiu fazer o papel do outro. Sem surpresa, contra os pantomineiros amadores da oposição, ganhou o maior pantomineiro, o chefe do partido que levou o país à bancarrota, cujos deputados votaram há uns meses uma recomendação ao governo para contarem os 9A4M2D dos professores, pantomineiro que agora ressuscita encarnando a rectidão orçamental, depois de 3 anos a distribuir prebendas pela sua freguesia eleitoral. Uma única medida (a redução do IVA da restauração) custou mais do que do que o bodo que agora o governo nega os professores que fizeram o papel de idiotas úteis. Pelo caminho, o ministro das Finanças excedeu-se nos gastos de demagogia e aumentou o seu défice de credibilidade, aplicando o multiplicador à estimativa do custo de recuperação dos 9A4M2D.

Surpreendente? Nem por isso. Todos fizeram o papel que se esperava que fizessem, incluindo o venerando Chefe do Estado (era assim que se chamava ao Almirante Américo Thomaz), que ficou praticamente recluso no mais recolhido silêncio. Infelizmente receio que tenha malbaratado todo o seu limitado stock de contenção num só evento.

Todos fizeram o seu papel? Se não é literalmente todos, é uma multidão que inclui quase metade dos inquiridos na sondagem da Aximage que aprovaram a pantomina de Costa.

ACREDITE SE QUISER: Plano individual de sesta

No dia 8 de Maio o deputado único do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) apresentou no parlamento um projecto de resolução, recomendando ao governo que:
  1. Proporcione as condições adequadas, nomeadamente leito ou colchão, ambiente calmo, escuro, com temperatura adequada, limitação de ruído e com vigilância, a todas as crianças em idade pré-escolar a fim de assegurar a qualidade do sono da sesta; 
  2. Diligencie no sentido de garantir que cada criança, que frequente o ensino pré-escolar, tenha um plano individual de sesta, acordado com a família; 
  3.  No âmbito da aplicação desta medida, assegure que a sesta é promovida pela educadora de infância na presença de manifestações de privação de sono ou necessidade de sesta pela criança.
Ele só descansará quando a distopia instalada no interior da sua caixa craniana se propagar ao recanto mais recôndito de uma sociedade cada vez mais parecida com a Oceania onde até a sesta das crianças é regulada pelo Grande Irmão, de acordo com os princípios do Animalsoc.