Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)
The Second Coming: «The best lack all conviction, while the worst; Are full of passionate intensity» (W. B. Yeats)

28/01/2023

ARTIGO DEFUNTO: O diabo está nos detalhes

Alguns factos públicos e outros não públicos, mas notórios.

Nas últimas eleições legislativas o Partido Comunista e o seu apêndice verde tiveram 238.962 votos e elegeram seis deputados, o Berloque de Esquerda teve 244.596 votos e elegeu cinco deputados. O Iniciativa Liberal teve 273.399 votos e elegeu oito deputados.

O jornal Público tem um enviesamento tão notoriamente pró-esquerdalhada, nomeadamente comunista, que foi alcunhado de "Avante! da Sonae", parecendo que a Sonae, o seu accionista, se tem disposto a pagar um tributo para o respectivo grupo não ser excessivamente incomodado.

Na edição de quinta-feira passada, na página dedicada à Televisão, o articulista, que presumo alinhado com a inclinação do Público e que certamente nunca se referiria aos partidos da esquerdalhada como "pequenos partidos", escreveu (*)

«O deputado e recém-eleito líder do partido Iniciativa Liberal é o convidado da Grande Entrevista de Vítor Gonçalves, menos de uma semana após o mediático congresso do pequeno partido, em que Rocha derrotou Carla Castro.»

(*) Apud Corta-Fitas - sem a leitura do post não me teria dado conta desta pérola. 

27/01/2023

Ao cederem ao áctivismo de género, os artistas do "teatro independente" negaram a profissão de actor

Uma espécie de continuação desta Estória e Moral.
 
Quando o “Teatro do Vão”, uma companhia de "teatro independente" (*), aceitou substituir um actor que representava o papel de Lola, uma personagem apelidada de "trans" com cromossomas XY, que se assume como mulher (com cromossomas XX), na peça de Samuel Adamson "Tudo sobre a minha mãe", inspirada no filme de Almodóvar com o mesmo nome, por um áctivista de género que se representava a si próprio, essa companhia assumiu que o "teatro", isto é, a arte de representar em palco, deixou de existir e foi substituído por uma manifestação de promoção do desvio sexual e os actores foram substituídos por manifestantes.

(*) O que no Portugal dos Pequeninos se costuma chamar "Teatro Independente" é o teatro quem o Estado sucial diz «toma lá dinheiro e faz qualquer coisa», como em tempos disse António Feio.

26/01/2023

Lost in translation (350) - Sem se dar conta, a Dr.ª Mariana, filha do Dr. Vieira da Silva, ou mentiu ou considerou incompetente (ou desonesto) o seu chefe Dr. Costa ou é ela própria incompetente (ou desonesta)

«A ministra da Presidência garantiu esta terça-feira, em Lisboa, que a “larguíssima maioria” das perguntas do questionário de escrutínio de governantes já são respondidas pelos membros do executivo, através das declarações a que o Parlamento e o tribunal têm acesso.» (fonte)

Sabendo-se que o actual governo do Dr. Costa já registou 13 demissões por motivos vários, uma grande parte, ou talvez todos, enquadráveis nalguma ou nalgumas das 36 questões do célebre questionário com que o Dr. Costa pretendia limpar a sua folha para o futuro, a afirmação precedente ou é uma rematada mentira ou, sendo verdade, transmite do Dr. Costa uma imagem de incompetência, porque tendo tido a informação necessária e suficiente não foi capaz de tirar as devidas conclusões, ou tendo-as tirado as ignorou, pelo que, nesse caso, seria desonesto. Em alternativa, tudo isto está para além da compreensão da Dr.ª Mariana, de onde resultaria ser ela também incompetente para exercer o cargo de ministro da Presidência, ou, pelo contrário, a Dr.ª Mariana compreendeu tudo perfeitamente e, nesse caso, é (também) desonesta.

25/01/2023

O pedronunismo como alternativa ao costismo, pior a emenda do que o soneto


O Dr. Pedro Nuno Santos, líder do pedronunismo, candidato a substituir o Dr. Costa e ex-ministro das Infraestruturas, é o mais directo responsável por dois dos maiores desastres da governação socialista, a saber: a maior torrefacção de euros num só disparate - a TAP e a incapacidade total de aplicar uma política de habitação que nunca se chegou a saber qual seria. Apesar disso, ou talvez por causa disso, concita grande admiração entre quem vê nele uma figura capaz de fazer pontes com comunistas e berloquistas para reconstruir uma geringonça 2.0 e também entre os patetas que se deixam fascinar por criaturas com pose e voz grossa. 

Saiu do governo para não ser apanhado na mentira e aparentemente para preparar seu futuro como putativo sucessor do Dr. Costa. Por isso, quando se lê uma peça que conclui que «O primeiro-ministro parece ter pedido a mão no controlo da governação. E as coisas dificilmente se vão emendar. O processo de degenerescência não tem volta.» e tem o título "E se a solução for a saída de Costa e o PS encontrar um novo primeiro-ministro?", é difícil não imaginar que já está em marcha um processo de recuperação seguida de tentativa de entronização do Dr. Pedro Nuno. 

24/01/2023

ESTÓRIAS E MORAIS: Trans para os trans, "cisgéneros" para os "cisgéneros", etc.

Estória

«A invasão de palco no teatro São Luiz em Lisboa, pela atriz travesti brasileira Keyla Brasil, acabou por ter um efeito maior do que o mero impacto do momento. Foi na quinta-feira passada, a meio da peça teatral “Tudo Sobre A Minha Mãe”, que o protesto contra a exclusão e violência do “transfake”, aconteceu e provocou a mudança. De um dia para o outro, a companhia “Teatro do Vão” assumiu a falha e substituiu o ator cisgénero (não trans), André Patrício, que representava a personagem trans “Lola”, pela atriz trans Maria João Vaz.» (fonte)

Moral

Se os papéis das personagens de "géneros" alternativos estão reservados aos actores do mesmo "género" alternativo, em nome da igualdade de "géneros", os papéis das personagens de "cisgéneros" devem estar reservados aos actores "cisgéneros", ou seja actores sem comportamentos sexuais desviantes.

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (50b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

(Continuação de 50a)

A "defesa do ensino público" é a melhor ajuda ao ensino privado

Segundo a Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo, a procura tem aumentado tanto que muitos colégios privados já esgotaram as pré-inscrições para o próximo ano lectivo.

Take Another Plan. Take 1 – O que é hoje verdade, amanhã pode ser mentira

Em 2015 Dr. Costa anunciou ufano no programa eleitoral do PS que não permitia que «o Estado perca a titularidade sobre a maioria do capital social da TAP». Decorridos sete anos, torrados 3,2 mil milhões e demitido o campeão da nacionalização e challenger do Dr. Medina, o putativo herdeiro do Dr. Costa este anuncia ufano que estava disponível para vender a TAP a perder dinheiro.

Take Another Plan. Take 2 – No perder é que está o ganho

«A TAP avança a passos largos para a privatização, apresentando como trunfo “uma das maiores receitas da sua história” em 2022 e um resultado positivo», anuncia com incontida alegria o semanário de reverência numa peça de lip service cujo título exultante é um hino à estupidez. Que outra coisa se pode chamar ao título «Venda acelera e TAP pode valer cerca de €900 milhões» referindo-se à venda de um mono depois do Dr. Costa e do Dr. Pedro Nuno lá soterrarem 3,2 mil milhões do dinheiro dos contribuintes.

Take Another Plan. Take 3 - Helicopter money

Há quem acuse o Dr. Pedro Nuno de não ter feito nada na TAP. É a mais pura das mentiras. Dos 39 directores existentes em 2015, 20 foram despedidos com generosas indemnizações ou despediram-se e foram contratados umas dezenas, fixando o total actual em 63 directores generosamente remunerados.

No topo do Mundo

Expresso

Graças ao socialismo e ao Dr. Costa estamos no top 3 da falta de competitividade fiscal.

Já virámos a página da austeridade

mais liberdade

«Pagar a dívida é ideia de criança»

Depois de vários meses de anúncios da redução da dívida pública directa do Estado, em parte graças à redução da almofada de liquidez dos depósitos em bancos, o ano de 2022 fechou com um novo recorde de 287 mil milhões.

Jornal Eco

Já é o mafarrico e já se sente o cheiro das brasas

Por falar em dívida pública, na emissão de 1.250 milhões de BT a 6 e 12 meses da semana passada as yields foram 2,42% e 2,73%, cerca do dobro e 1,4, respectivamente, da emissão de há quatro meses.

O excedente das balanças corrente e de capital de 1.287 milhões nos 11 primeiros meses de 2021 transformou-se num défice 1.573 milhões no mesmo período de 2022.

23/01/2023

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (50a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

A família socialista tem imenso jeito para o negócio ou serão “historietas histriónicas?

Voltou agora a emergir à conta dos outros casos que envolvem o Dr. Medina, um caso já antigo (descrito no (Im)pertinências em 14-09-2917) em que o actual ministro das Finanças e putativo sucessor do Dr. Costa comprou por 645 mil um apartamento à família Teixeira Duarte que onze anos antes o havia comprado por 843 mil. Certamente por acaso, a câmara de Lisboa, de que a época era presidente o Dr. Medina, adjudicou um contrato por ajuste directo à sociedade Teixeira Duarte.

O Dr. Medina escapou por pouco às suspeitas do “saco azul” do PS na câmara de Lisboa em investigação, da qual já há seis arguidos, incluindo o Dr. Joaquim Mourão, ex-autarca do PS, nomeado pelo Dr. Medina em 2015 para acompanhar o andamento das obras sob a dependência do Arquitecto Salgado (primo do DDT).

O Dr. Cafôfo, actual SE das Comunidades Portuguesas, é objecto de um inquérito por suspeita de corrupção durante o seu mandato na câmara do Funchal relacionado com contratos com empreiteiros num esquema de financiamento do PS Madeira.

Defesa do Estado de Direito entregue a um cadastrado socialista

Neste contexto persecutório do espírito de iniciativa que impregna o PS, não admira que o Eng. Sócrates, porventura o dirigente socialista que mais iniciativa mostrou, tenha saído em defesa do Estado de Direito acusando o seu antigo ministro e actual primeiro-ministro Dr. Costa de estar «disposto até a negociar a natureza do regime» e sacrificar o «princípio de presunção de inocência».

De onde temos de concluir que para o líder do pedronunismo e grande esperança do luso-socialismo meio milhão são trocos

Segundo o seu comunicado, o Dr. Pedro Nuno, ex-ministro das Infraestruturas que entretanto se demitiu, só na sexta-feira passada se lembrou de ter autorizado por WhatsApp (sim, leu bem, WhatsApp) o seu secretário de Estado a pagar 500 mil euros de indemnização à Dr. Alexandra Reis para ela sair da TAP.

Descamisados”, o sindicato dos ex-ministros do Dr. Costa

Em resposta ao elevado número de membros do governo do Dr. Costa que nos últimos meses saíram do governo anterior e foram demitidos do actual, temos de encarar como normal a iniciativa de um deles (o Eng. Matos Fernandes) de constituir um grupo no WhatsApp de ex-membros do governo com o imaginativo e apropriado nome de “Descamisados” que se encontra regularmente em experiências gastronómicas.

Nas obras do Estado sucial o «suplementar» pode ser «essencial»

As obras do ex-Hospital Militar de Belém, adjudicadas em ajuste directo a três empresas amigas por um montante que era para ser 750 mil e acabou para 2,6 milhões, já deu 19 arguidos e deu agora um pingue-pongue entre os organismos do ministério da Defesa onde se discute se as obras adicionais que justificaram a derrapagem eram «obras suplementares» ou «obras essenciais».

«A educação é a nossa paixão»

No caminho para a demolição do ensino público como peça do elevador social, o governo do Dr. Costa deu mais um passo importante no «progressivo desmantelamento de pilares estruturantes em que se apoia a Escola portuguesa», para usar as palavras da Sociedade Portuguesa de Matemática comentando as alterações ao currículo de Matemática do ensino secundário.

(Continua)