Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

31/08/2022

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Portugueses no topo do mundo (49) - Campeões da síndrome de Peter Pan, a confirmação

Outros portugueses no topo do mundo.

Eurostat

A percentagem de jovens portugueses dos 15 aos 29 anos que estão a estudar e a trabalhar é menos de metade da UE. É uma espécie de confirmação da síndrome de Peter Pan em que os jovens portugueses são campeões europeus permanecendo no colo da família até quase os 36 anos.  

E, tal como no caso da idade de saída de casa dos pais, há uma correlação negativa muito significativa entre o nível de desenvolvimento dos países medido pelo PIB per capita e a percentagem de jovens que estuda e não trabalha.

30/08/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (29b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

(Continuação de 29a)

Se eles o dizem…

O relatório sobre o Questionário da Independência Judicial de 2022 da RECJ, com a participação de 15.821 juízes de 27 países, concluiu que 26% dos cerca de 500 juízes portugueses acreditavam ter havido durante os últimos três anos juízes que aceitaram subornos ou estiveram envolvidos nalguma forma de corrupção. A ministra da Justiça assobiou e chutou para o lado dizendo que «foi uma situação absolutamente excepcional», situação que outros relatórios já tinham mostrado.

«Em defesa do SNS, sempre»

Uma das consequências imprevistas das políticas de remendos para defenderem o SNS, dizem, adoptadas pelo Dr. Costa e a sua ajudante Dr.ª Temido pagarem muito mais a alguns médicos do que os “privados”. Por exemplo, os chamados tarefeiros (em muitos casos médicos do SNS a fazerem horas extraordinárias nas urgências de outros hospitais) podem receber mais de 2 mil euros por dia nas urgências.

«Pagar a dívida é ideia de criança»

O endividamento da economia, isto é, a dívida total das empresas não financeiras e das famílias, teve um crescimento de 24,1 mil milhões no 1.º semestre atingindo 794,8 mil milhões, garantido assim que no próximo semestre será ultrapassado a cifra “mágica”, como dizem os patetas, de 800 mil milhões. As yields da dívida pública dos PIGS, incluindo Portugal, continuam a subir em todos os prazos.

O PS fez o PSI20 minguar para PSI14

Nos últimos 3 anos o principal índice bolsista perdeu 6 empresas cotadas e apesar do aumento nos últimos dois anos tem hoje valores que são uma fracção dos valores da primeira década deste século. É um bom indicador do estado do capitalismo português periférico e dependente.

Euronext

O Estado sucial como máquina de extorsão

O International tax competitiveness Index 2021 da Tax Foundation apurou que entre os 37 países da OCDE Portugal continua a ser o 34.º na competitividade fiscal, o 35.º na fiscalidade empresarial (tem o IRC total mais alto dos 37), o 31.º no IRS, o 33.º no IVA, e o 20.º no IMI.

29/08/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (29a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

O Dr. Medina mostra as suas credenciais de putativo sucessor do Dr. Costa

Recorde-se que depois de ter oferecido ao Dr. Figueiredo (que contratou o Dr. Medina como comentador da TVI) um contrato com a câmara e um subsídio de 350 mil euros a empresa do filho do Dr. Figueiredo, o Dr. Medina ofereceu ao Dr. Figueiredo um lugar no ministério das Finanças como consultor para as políticas públicas. Como se fosse pouco, ficámos a semana passada a saber que o Dr. Medina depois de ter nomeado o Dr. António Furtado, o seu ex-director da área de Gestão Patrimonial da Câmara de Lisboa para presidente da Estamo, uma empresa pública de gestão de imobiliário, nomeou de seguida a sua ex-chefe de gabinete Dr.ª Fátima Madureira para vice-presidente.

O algoritmo da Dr.ª Patrícia

A secretária de Estado da Administração Interna, regozijou-se porque, segundo ela, no incêndio no Parque da Serra da Estrela a área afectada prevista segundo «os dados, os algoritmos e as contas feitas dizem que a área ardida que deveríamos ter deveria ser 30 por cento superior. Ou seja, ardeu 70 por cento daquilo que era suposto arder» Foi, por isso, imediatamente desancada pela oposição e os jornalistas armados em cientistas que, injustamente, não tiveram em consideração o facto da licenciatura em Relações Internacionais da Dr.ª Patrícia não a qualificar para lidar com a aritmética elementar (se a previsão foi 30% superior à área ardida, então a área ardida representaria 76,9% = 1/1,3 e não 70% do que era suposto arder) e muito menos para saber o que seja um algoritmo.

Boa Nova

Se houvessem dúvidas que a Dr.ª Vieira da Silva, ministra da Presidência, está à altura de ser um@ delfin@ do Dr. Costa, ficaram dissipadas quando anunciou um plano de revitalização do Parque Natural da Serra da Estrela, severamente queimado pelos incêndios cuja extensão se deve (pelo menos em parte) à incompetência governamental, para deixar o Parque «melhor do que estava». Já agora, sugeria à Dr.* Mariana que se informasse sobre o estado de recuperação dos 9 mil hectares do Pinhal de Leiria que arderam em Outubro de 2017.

TAP, uma companhia low standard e high cost

Ao mesmo tempo que era anunciado que a TAP receberá este ano mais 990 milhões do Estado sucial, totalizando 2.554 milhões de dinheiro dos contribuintes para tornar possível manter a flutuar um operador que dá emprego a uns milhares e transporta uma pequena percentagem dos contribuintes mais abonados, era igualmente anunciado um grande sucesso: a TAP “só” tinha tido 202 milhões de euros de prejuízo no primeiro semestre.

Acrescente-se que, ainda assim, esse grande sucesso só foi possível pelo “sacrifício” dos trabalhadores que perderam algumas das suas mordomias e pelo mau serviço prestado aos clientes transportando-os em aviões low standard e high cost fretados a operadores rascas como a Hi Fly Malta.

Votando com os pés

Durante o resgate pela troika, o PS e a esquerdalhada em coro berraram que os jovens portugueses eram forçados a emigrar pelos sacrifícios impostos pelo governo “neoliberal” que geria a falência socialista. Segundo os dados da ONU (aqui citados por Ricardo Reis), entre 2011 e 2020 emigraram 992 mil portugueses, pelo menos 400 mil de forma permanente. Cerca de metade dos 992 mil emigraram durante o governo socialista que, diziam eles, haveria de dar oportunidades aos jovens. Ainda segundo a ONU, há 2,6 milhões de portugueses a viverem no estrangeiro, o oitavo rácio mundial, e isso diz muito sobre o resultado de quase cinco décadas de várias modalidades de Estado sucial que superam a este respeito o resultado de quase outras cinco décadas do Estado Novo.

(Continua)

28/08/2022

CASE STUDY: Chuva na eira e sol no nabal na América Latina

Os inimigos da liberdade não apreciam a democracia liberal e entre outros defeitos apontam-lhe o de criar desigualdades, por exemplo na distribuição dos rendimentos. Não é certo que as crie, porque sendo os homens desiguais nos talentos, a desigualdade na distribuição dos rendimentos é apenas uma das consequências inevitáveis. Contudo, os inimigos da liberdade parecem ter razão porque as democracias liberais ao não conseguirem assegurar a igualdade de oportunidades, tendem a acentuar essas desigualdades e, ao fazê-lo, alienam os mais pobres e colocam a sua sustentabilidade em risco como a história mostra e como, de novo, parece estar a acontecer.

Voltarei mais tarde a este tema, mas, por agora, pretendo apenas responder à questão: sendo certo que a democracia liberal tende a acentuar as desigualdades de rendimento, as democracias iliberais que apenas retêm as formalidades das democracias liberais, na melhor hipótese, ou, na pior, os regimes não democráticos, reduzem essas desigualdades?

Inequality in Latin America is fuelling a new wave of populism

A resposta parece ser não, pelo menos no caso da América Latina onde, com poucas excepções, os regimes da maioria dos Estados têm sido democracias imperfeitas, para ser benigno, alternando com ditaduras militares, com golpes de estado pelo meio, e, no entanto, ou talvez por causa disso, a desigualdade não só é maior do que a média mundial e nos EUA, como os sistemas fiscais mostram-se menos eficazes para a atenuar.

27/08/2022

Manifestações de paranóia/esquizofrenia (40) - É como viver num metaverso

Outras manifestações de paranóia/esquizofrenia


«Cerca de 15 pessoas entram em fila em um ensolarado escritório imobiliário em Denver, tomam os seus lugares e ficam frente a frente como se estivessem prontos para uma palestra. As próximas três horas são parte sermão, parte grupo de apoio para teóricos da conspiração. Os participantes discutem eventos e preocupações que os preocupam. Segundo eles, o Fórum Económico Mundial quer liderar um governo global; as eleições primárias do Colorado foram falsificadas; o papa, e possivelmente Joe Biden, são hologramas; e a sociedade está a apenas duas semanas do colapso.

O encontro é uma reunião local de People’s Rights, uma rede para aqueles que temem que seus direitos individuais estejam sendo corroídos pelo governo federal dos Estados Unidos. É a ideia de Ammon Bundy, um candidato a governador em Idaho que é mais conhecido por ter liderado confrontos armados contra o governo federal no rancho de sua família em Nevada em 2014 e num refúgio de vida selvagem em Oregon em 2016. A oferta principal do grupo, criado por Bundy em 2020, é o seu serviço de atendimento telefónico para a milícia: se um membro se sentir ameaçado pode convocar seus compatriotas para o ajudarem.

Charles Tappan, que liderou a reunião, repudia Bundy e argumenta que o grupo está mais interessado em preparar-se para três cenários – uma tomada do mundo globalista, uma invasão alienígena ou o Arrebatamento no fim dos tempos – do que pegar em armas contra os federais. No entanto, as conspirações expressas em Denver são semelhantes às preocupações dos eleitores que participaram de um recente evento de campanha de Bundy em Sandpoint, Idaho, uma pequena cidade que fica a uma hora de carro ao sul da fronteira canadense. Aqui, os participantes reclamam do exagero federal, dos “extremistas ambientalistas” e da grande mídia. “Eu sou uma extremista?” pergunta retoricamente uma mulher. "Não sei!"

A evolução de Bundy de líder da milícia a candidato a governador reflete uma fusão da extrema direita com a política eleitoral. Em vez de fomentar a insurreição, muitos extremistas adotaram uma nova mentalidade: se você não pode vencê-los, junte-se a eles

26/08/2022

Internacional nacionalista? (2) - É a comunhão de ideias ou a atracção pelo dinheiro que não tem cor nem cheiro e faz sempre falta?

Uma espécie de continuação daqui

«Na última década, uma parte significativa do financiamento de partidos antissistema em países europeus tem origem em pessoas e entidades ligadas à liderança russa.

O financiamento tem sido canalizado para partidos populistas de extrema-direita, os quais adaptaram o seu discurso racista, xenófobo, securitário, autoritário e nacionalista, para uma narrativa claramente antissistema, em especial anti-UE e anti-NATO.

Em França, o Reassemblement National (RN) de M. Le Pen é um bom exemplo de financiamento russo. Em 2014, o micropartido de J-M Le Pen, Cotelec, recebeu um empréstimo de 2 milhões de euros de uma obscura empresa offshore cipriota - a Vernonsia Holdings Ltd - que é alimentada por fundos russos e ligada a Yuri Kudimov - um ex-agente do KGB que chefiou o banco estatal russo VTB e que é próximo do influente oligarca Konstantin Malofeev. O RN beneficiou desse empréstimo, pois obteve um empréstimo da Cotelec para financiar a campanha presidencial de 2017. Em 2014, o FN (nome anterior do RN) contraiu um empréstimo de 9,4 milhões de euros junto de um banco russo, o First Czech Russian Bank, para financiar a sua campanha para as eleições regionais e departamentais de 2015. E M. Le Pen já assumiu existirem outros empréstimos a bancos russos num "total de 20 milhões de euros". As posições anti-UE e anti-NATO do RN já justificariam o investimento russo. Mas Le Pen ainda faz regularmente declarações pró-Putin e está rodeada de colaboradores russófilos.

Foi na Áustria que um destes partidos populistas nacionalistas chegou ao poder - o Freiheitliche Partei Österreichs (FPÖ). O que não é surpreendente, sobretudo se considerarmos que Viena é desde há muito o principal centro do capital russo; o estatuto neutral do país e a fragilidade decorrente da localização geográfica facilitaram a entrada de capital russo ao longo de décadas e não é certamente por acaso que a sede do principal banco russo, o Sberbank, é em Viena. Em maio de 2019, foi divulgado um vídeo de 2017, mostrando o líder do partido - e em 2019 vice-chanceler do governo austríaco - H-C Strache, a falar de fundos para o partido com uma suposta cidadã russa familiar de um político poderoso na Rússia; no vídeo, Strache acolhe a interferência em meios de comunicação austríacos de uma forma que favoreça o FPÖ, citando o panorama mediático da Hungria de Orban.

Em Itália, também existem indícios de financiamento russo à Lega Nord de Salvini, sobretudo depois da revelação pública de negociações nesse sentido, em 2018, no Metropol Hotel, em Moscovo, entre responsáveis da Lega e russos. O apoio financeiro de Putin a Salvini já rendeu bastante; o líder da Lega chegou a vice-PM, colocou a Itália na linha da frente dos países anti-imigração e levou ao derrube do governo de Draghi.

O regime russo sob a liderança de Putin transformou-se num moderno "Komintern" que coordena e financia ações várias antissistema em países europeus (e noutras geografias...), seja para promover a divisão e o enfraquecimento da UE - que os líderes russos sempre consideraram uma ameaça aos seus interesses -, seja para promover uma Internacional Fascista que proteja os interesses do regime imperialista, fascista e cleptocrático que está instalado na Rússia desde a era pós-soviética.»

O moderno komintern e o financiamento de partidos antissistema na Europa, Jorge Costa Oliveira

25/08/2022

Um Serviço de Desenvolvimento de Identidade de Género pode ser uma espécie de clínica do Dr. Mengele (3) - O Dr. Mengele vai ter de fechar a clínica

Continuação de (1) e (2)

Em retrospectiva: a Tavistock and Portman NHS Foundation, uma organização inspirada na ideologia da identidade de género, geria uma clínica "transgénero" dedicada à mudança de sexo em Inglaterra e Gales que durante dez anos administrou "supressores de puberdade", um coquetel hormonal para travar o desenvolvimento normal da sexualidade, a milhares de crianças e adolescentes com disforia sexual.

Depois de vários desastres provocados pela actividade da clínica "transgénero", alguns dos quais referidos nos posts anteriores, finalmente o NHS considerou as práticas da Travistock não seguras para crianças e tomou no final do mês passado a decisão de fechar a clínica a partir da próxima Primavera. É uma decisão atrasada e de efeitos diferidos, mas é, apesar disso, melhor do que manter o status quo, como pretendiam os áctivistas da identidade de género.

24/08/2022

Duginism in a nutshell

«Aleksandr Dugin is part of a weird strain of Russian imperial hypernationalism that somehow manages to venerate Russian Orthodoxy, Stalin, the Nazis, and the occult all at the same time. You can read more here about the late-1980s trends in the U.S.S.R. that produced this vicious and deeply weird school of thought, but spare yourself the effort it would take to make sense of it all. Much of it is warmed-over Russian messianism and mystical gobbledygook, the product not only of 19th-century Russian grievances against Europe and Western Christianity but also of late-20th-century Soviet resentments against the “Atlantic” world led by the United States.

Underneath it all is the simple and brutal belief that Russia—specifically white, Christian Russia—is destined to rule Eurasia as the first step to contesting world domination with the decadent Americans and Europeans. Dugin’s ravings are as unreadable in Russian as they are in English, but the Russian General Staff assigns Dugin’s book as a required text, and understandably so. It is an almost perfectly Orwellian view of total and permanent war, a perfect ideology for a country afflicted by both a deep inferiority complex and a dark spiritual vacuum».

Tom Nichols, The Atlantic Daily

23/08/2022

LA DONNA È UN ANIMALE STRAVAGANTE: Para tirar os trapinhos qualquer causa é boa (26)

 


«The activists approached under the guise of a selfie, but stripped their clothes from the waist up and revealed proclamations against buying Russian gas»

Esta não é uma qualquer causa. É uma causa boa que nem precisaria dos argumentos mamários das áctivistas.

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (28b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.



O excesso de mortalidade em Portugal atingiu 24% em Junho, quatro vezes mais do que a média da UE. O calor extremo, uma das explicações habituais, não se aplica em Junho, mês que, segundo o IPMA, registou uma temperatura média menos de um grau superior às do período 1971-2000 que num quarto dos anos teve médias superiores à deste ano. Como já referi em semanários anteriores, a explicação mais provável é o que o excesso seja um dos efeitos do colapso do SNS, incapaz de dar resposta às doenças crónicas e aos doentes idosos com maior risco.

«Em defesa do SNS, sempre»

A dívida total do SNS a fornecedores atingiu em Junho 2.353 milhões batendo um novo recorde.

Fonte: SNS - Dívida Total, Vencida e Pagamentos em Atraso

Continuam as escusas de responsabilidade (um expediente original único do Portugal dos Pequeninos): 6.500 enfermeiros a nível nacional e 70 assistentes operacionais só no hospital de Setúbal.

O Estado sucial ocupado pelo PS é um Estado kafkiano

Foi abundantemente noticiado pela imprensa que passará a ser obrigatório a partir de Setembro o registo de galinhas poedeiras o que, na minha modesta opinião, é talvez a medida de maior alcance tomada pelos dois governos do Dr. Costa.

O Estado sucial grávido do PS

O Eng. José Animal Feroz Sócrates falou um dia do “PS grávido do Estado”. Contudo, seria mais apropriado dizer que o PS vem emprenhando o Estado sucial com legiões de utentes que no 2.º trimestre voltaram a aumentar atingindo 741.698, o que representa um aumento de quase 82 mil em relação ao exército herdado do governo de Passos Coelho. É obra.

Então não estamos a crescer mais do que a Óropa?

Na inflação, que aumentou 9,4% em Julho contra a média europeia de 8,9%, sem dúvida. Na carga fiscal também não se duvida.

mais liberdade

Já na economia, nem por isso. No segundo trimestre deste registou uma queda de -0,2% em relação a primeiro trimestre contra 0,6% da UE e o crescimento homólogo desceu de 11,8% para 6,9%.

22/08/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (28a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

O Dr. Costa quer o mausoléu da Caixa só para si

O Dr. Costa gostou tanto do mausoléu da avenida João XXI que o quer em exclusivo para os seus gov-zombies como “campus” com Hot desking e clean desk, ginásio e campo de squash e vai expulsar todos os caixa-zombies lá estacionados.

O homem que sabia demais e a família socialista, sempre

Com o seu inigualável sentido de oportunidade, o Dr. Costa tentou distanciar-se da contratação do Dr. Figueiredo como “consultor para as políticas públicas” (em boa verdade seria mais para as políticas privadas) pelo Dr. Medina. Sem grande sucesso porque o seu delfim, sentindo-se abandonado, deixou escapar para os jornalistas amigos que o Dr. Costa estava cansado de saber da contratação, mas esqueceu de informar que ele próprio tinha atribuído há dois anos, quando ainda era comentador da TVI contratado pelo Dr. Figueiredo, um subsídio de 350 mil euros a uma empresa de um filho do Dr. Figueiredo.

O saudoso Dr. Sisa Vieira pode ter saído do governo, mas o governo não saiu dele, o que explicará o Banco de Fomento, cuja criação ele abundantemente anunciou durante vários anos, ter contratado um seu ex-adjunto por ajuste directo.

Boa Nova

Ameaçado pelo Czar de lhe cortar o gás, o governo alemão lembrou-se que dava jeito um gasoduto desde Portugal. O Dr. Costa, cujo governo em seis meses já tem menos gás que o alemão, agarrou-se à ideia e mandou a imprensa amiga encher os jornais de garantias ao Sr. Scholz que «a Alemanha pode contar 100% com o empenho de Portugal para a construção do gasoduto». Esqueceu que tal gasoduto já existe há 13 anos no papel – a REN anunciou-o no dia 17-09-2009 - de onde talvez se junte ao novo aeroporto e ao novo hospital de Lisboa e nunca saia do papel.

Choque da realidade com a Boa Nova

Por falar de obras que ficam no papel, alguém sabe como decorreu a recuperação dos 9 mil hectares do Pinhal de Leiria que arderam em Outubro de 2017? Cinco anos depois foi anunciado um projecto da GEOTA para plantar 650 mil árvores até 2025.

O Estado sucial como máquina de extorsão

mais liberdade

Se os lucros das grandes empresas nacionais forem excessivos, como proclama a esquerdalhada e o governo murmura, o que dizer da receita fiscal?

Se não conseguires resolver, esconde. Se não conseguires esconder, adia. Se não conseguires adiar, anuncia um estudo em pormenor

Durante duas semanas o parque da Serra da Estrela ardeu perante a «descoordenação, conflitos entre entidades e abandono de área ardida». E o que faz o Dr. Costa? Espera que o incêndio se extinga para «estudar em pormenor, o que é que foi acontecendo ao longo da fita do tempo e que podia ter acontecido de uma forma diferente, ou não». Entretanto, mesmo sem o estudo, o ministro dos Incêndios anuncia a contratação de mais 500 bombeiros que estavam escondidos à espera de serem contratados e mais 4,2 milhões de euros para o SIRESP, apesar de ter dito duas semanas antes que o SIRESP «não falhou».

(Continua)

To have pride or to be proud, that's not the question

21/08/2022

Russia has many Achilles' heels, Putinism is the biggest one, and Crimea is just one of them

«Another day, another Russian arms depot up in smoke. The latest attack, this time on an ammunition storage site near Mayskoye on the Crimean Peninsula, highlights three particular aspects of this phase of the war, and the degree to which Kyiv is adapting quicker and more effectively than Moscow.

The first is that the long-heralded Ukrainian counter-attack is, so far, less about a melee on the ground and more about a methodical attempt to target Russian supply lines. Until now, this has been through missile and rocket strikes, although Moscow’s claim that the Mayskoye attack was carried out by ‘saboteurs’ would – if true – represent an interesting new approach. (And a serious embarrassment for the Russian security forces, given that the alleged attackers apparently also managed to disappear.)

The old adage that ‘amateurs study tactics, but professionals study logistics’ is especially true in light of modern militaries’ dependence on a constant supply of fuel, ammunition, and all the other consumables of mechanised warfare.

This is a particular Achilles’ heel of the Russians. They have tended to rely on a few, larger supply hubs as close to the front line as possible, to minimise the distances their limited fleet of trucks must travel. Now that the Ukrainians are using not just the much-vaunted new American HIMARS launchers with highly-accurate GMLRS rockets but also a range of other Nato-supplied artillery and rocket launch systems, Kyiv’s claim that it can hit near enough all Russia’s supply lines in the south are distinctly credible.

With dozens of their fuel and ammunition stores having been destroyed, the Russians are having to rely on more, smaller ones, based further from the lines.

This is not the only reason why recent weeks have seen a dramatic decrease in the amount of artillery fire across the front line, but it certainly is one of the main ones. Given that the Russians have relied on massive bombardments for what advances they have made, this seriously degrades their offensive capabilities and their ability to disrupt any Ukrainian counter-attacks.

The second is how far the accuracy of the western weapons systems being supplied to Ukraine is being used to best effect thanks to first-rate intelligence that allows for rapid or even real-time targeting.

In some cases, it seems that this is thanks to western assistance, with information from spy satellites and technical intelligence-gathering quietly fed to Kyiv. At others, it is through good use of drones, stealthy scouts on the ground, or informants amongst the population now behind Russia’s front line.

«However, it is also thanks to inspired use of open source intelligence in the panopticon age. Despite their efforts to confiscate their soldiers’ mobile phones and otherwise prevent the leakage of actionable information, the Russians are swimming against the tide.

A recent missile strike on a Wagner mercenary force HQ in Popasna, for example, was delivered thanks to the incautious social media posting of a pro-Russian journalist. When he uploaded a photo on Telegram showing the base and a street sign, he inadvertently gave the Ukrainians the clues to identify its location, so that it could be targeted using GPS coordinates.

Finally, the attack underlines the message of last week’s strike on the Saki airbase: that Crimea is well and truly in play. There is no real sense that a direct Ukrainian assault on the heavily-defended peninsula is possible in the foreseeable future. However, the relative impunity it – and the numerous bases, airfields and supply hubs there – enjoyed until recently is now a thing of the past.

None of this is to suggest that a Ukrainian victory is in any way inevitable – it is always dangerous to write Russia off as spent. However, what it does underline is the degree to the which the Ukrainians are adapting more quickly and effectively than their enemy, taking the huge amounts of western military assistance and using it in ways that maximises their own strengths and denies the Russians their own.

This is not just a matter of sheer numbers of soldiers or weight of bombardment, nor even tactics and generalship. It is a war of imagination and adaptation, and there the Ukrainians have again demonstrated their edge.»

«Ukraine has found Russia’s Achilles’ heel in Crimea», Mark Galeott

20/08/2022

SERVIÇO PÚBLICO: O Portugal dos Pequeninos visto por um estrangeirado

«Portugal é um país sem futuro. É um país profundamente desigual, ao mesmo tempo rico e europeu, mas com salários miseráveis para uma parte significativa da população – mais de metade da qual ganha menos de 1000 euros por mês. É um país que tem impostos muito progressivos, mas depois é capturado por interesses corporativos, muitas vezes dos ricos. Pense no caso da TAP – quem anda de avião e qual o salário dos pilotos? – ou dos que não pagam propinas para andar na universidade pública ou ir ouvir ópera ao São Carlos. Todos estes subsídios beneficiam quem? Basta ver as melhores universidades públicas, como a Nova SBE, e observar o tipo de alunos que lá andam – como se vestem e as marcas de carros que conduzem. São os filhos dos pobres que não vão para a universidade, ou que por falta de notas devido a um contexto económico e social desfavorecido pagam propinas nas privadas. Tudo isto é fiscalmente regressivo e fundamentalmente injusto. Tudo indica que nada vai melhorar nas próximas décadas. Portugal é um país doente, mas em negação. Aliás, a própria oposição está frequentemente em negação. Votei no PSD em 2011, mas não hesito em dizer que esse Governo teve uma retórica pública desastrosa e na verdade fez poucas reformas importantes, sendo a exceção mais importante as reformas laborais do Pedro Martins, entretanto de resto já em grande parte revertidas. Deviam ter repetido até à exaustão que estavam a implementar o ‘memorando de austeridade do Sócrates’, mas fizeram antes erros graves com a questão da TSU, do ‘irrevogável’, e da muito infeliz expressão ‘ir para além da troika’. Repare como o PS com profunda desonestidade não hesita em gastar a tecla da ‘austeridade do Passos’ até à exaustão. E sabem que o povo já se esqueceu, ou não quer saber, de quantos do atual PS estiveram ao lado de Sócrates. O povo confunde o momento em que sentiu as consequências com os culpados, e por isso a coligação PSD-CDS perdeu 700 mil votos que precisava em 2015. E depois não quiseram aceitar que perderam, porque é evidente que quem consegue formar maioria no parlamento é que ganha, o resto é conversa. A conversa do diabo que aí vinha mostrou não compreenderem como funciona a UE e o BCE e foi a machadada final. Penso que vamos ter muito tempo de PS pela frente, infelizmente. Quem acha que vitórias como as de Cavaco Silva se podem repetir não compreende as tendências de longo prazo nem o contexto do que era o país na altura, e do que é agora. O Nuno Garoupa, que é a pessoa que melhor compreendeu estas tendências e previu o que ia acontecer à direita, costuma dizer que Portugal é uma cleptocracia legitimada nas urnas. Parece-me uma boa descrição do país. Devo dizer que na minha opinião ele tem uma capacidade intelectual completamente fora da escala entre a direita portuguesa, que no geral é muito limitada. Também por isso não o ouvem o suficiente, muitos preferindo uma devoção pouco refletida ao chefe atual, seja quem for, numa lógica de sebastianismo tolo e suicidário. Aviso como declaração de interesses que o Nuno Garoupa é meu amigo próximo, mas isso também tem a ver com me parecer que muitos dos avisos que faz, nomeadamente sobre a Justiça, metem o dedo na ferida dos entraves fundamentais à economia e sociedade portuguesa. Tenho uma grande admiração intelectual por ele, e quem me conhece sabe que raramente uso tais palavras sobre seja quem for. Há muito poucas pessoas no espaço público verdadeiramente independentes em Portugal. É por isso que aprecio pessoas como o Luís Aguiar-Conraria ou a Susana Peralta, ou o Pedro Magalhães, que têm a sua ideologia mas pensam nas questões assunto a assunto e vendo o que diz a literatura científica. Da minha parte posso dizer-lhe que não sou militante de nenhum partido, até tenho divergências com parte da direção (e das bases) do partido em que tenho votado, a IL, sobre várias questões (por exemplo fiscais). É normal em partidos plurais haver diversidade de pontos de vista, mas existem por aí muitas claques em busca de uma qualquer pureza ideológica e boas lideranças devem moderar os ânimos e meter essa gente na ordem. Os partidos não devem ser clubes de futebol, nem uma religião. E há linhas que não se podem ultrapassar. Por isso, e apesar de eu ter muita estima por pessoas como a Carla Castro ou o Joaquim Miranda Sarmento, até já anunciei publicamente que não volto a votar na IL nem no PSD enquanto não clarificarem porque se juntaram ao PS e não assumiram posição sobre a proposta do Conselho Superior da Magistratura sobre a criação de um grupo de trabalho para limitar a circulação de juízes entre a justiça e a política. Devia ser evidente que a independência do poder judicial tem que ser intocável. Portas giratórias desta natureza são profundamente destrutivas de um país, aliás já a transbordar de conflitos de interesse com o é o caso de Portugal. Deixar isto acontecer é mais um passo para Portugal seguir o caminho da Hungria e da Polónia. Por isso, não hesito em votar em branco, se tiver de ser, e em encorajar outros a fazer o mesmo. Não voto útil.»

Da entrevista de Nuno Palma, professor associado da Universidade de Manchester e especialista em história económica, ao jornal Nascer do Sol

19/08/2022

Pior é possível, mas difícil


Daily Presidential Tracking Poll - Rasmussen reports

A decisão e execução desastrosa da retirada do Afeganistão em finais de Agosto certamente contribui para acelerar a queda da aprovação de Biden pelo eleitorado, mas é apenas uma das razões. A sua taxa total de aprovação, mais baixa ainda do que a de Trump na mesma altura do mandato, era nos finais de Julho, antes da aprovação do pacote legislativo de combate à inflação e à crise climática, a mais baixa de todos os presidentes americanos. Numa altura em que os EUA enfrentam ameaças e desafios o avô Joe não está claramente à altura deles. 

18/08/2022

ARTIGO DEFUNTO: A importância de dispor de uma imprensa amiga


Como se pode verificar, durante três trimestre consecutivos a economia portuguesa cresceu acima da Zona Euro e da UE quer em linha, isto é, comparativamente com o trimestre anterior, quer em termos homólogos, isto, é comparativamente como o mesmo trimestre do ano anterior. Resta acrescentar que o elevado crescimento homólogo do 1.º trimestre de 2022 (11,8%) se deveu à comparação com a enorme queda no 1.º trimestre de 2021 devida ao confinamento generalizado durante fase mais aguda da pandemia. 

No segundo trimestre deste ano a economia portuguesa encolheu (-0,2%) em linha, comparativamente com o crescimento (0,6%) da Zona Euro e na UE e o crescimento homólogo desceu de 11,8% para 6,9%, mas apesar de tudo foi o segundo maior da UE (a seguir à Polónia), porque Portugal foi um dos países em que a economia mais caiu do segundo trimestre do ano passado. 

Vejamos os títulos de dois jornais para a mesma notícia cujos factos são os citados:
Sabendo-se que a maioria dos leitores sofre de profunda iliteracia económica e financeira e se fica pelos títulos, fica exemplificada a importância de dispor de uma imprensa amiga.

17/08/2022

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Portugueses no topo do mundo (48) - World's top 10 pickpockets

Outros portugueses no topo do mundo.

«A rede de elétricos de Lisboa tem a 10ª percentagem mais alta de queixas contra carteiristas do mundo. O estudo é da money.co.uk e analisou o número total de críticas do Tripadvisor às atrações populares e estações de transportes de todo o mundo e comparou-o com o número de críticas que mencionam carteiristas revelando assim os piores lugares para ser vítimas deles.» (Expresso Curto)

16/08/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (27b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

 (Continuação de 27a)

Take Another Plan

Depois de cinco anos a circular na justiça de Herodes para Pilatos, o STJ deu razão ao sindicato dos pilotos e a TAP terá de pagar 50 milhões a mais de mil pilotos por “erro” no cálculo dos seus salários.

Para que serve um banco público?

Com uma lógica semelhante à da TAP, que tem um papel que os amigos do Estado sucial acham insubstituível, esquece o Porto e deixa os Açores para a Ryanair, também a Caixa, porque não se submete à lógica da banca capitalista que só quer estar presente nas grandes zonas urbanas, é insubstituível e vai fechar mais 23 balcões no interior.

Acredite se quiser

O ministério da Educação vai convocar 7.500 professores (mais de 7% do total) para juntas médicas para verificar baixas e a “mobilidade por doença”.

«Estamos preparados»

«Mais de mil médicos de 45 unidades apresentaram escusa de responsabilidade» que é um expediente assim do género «lavo daí as minhas mãos», possivelmente único num país civilizado.

Já é o mafarrico e já se sente o cheiro das brasas

Os Estados Unidos com dois trimestres em recessão, a economia portuguesa com uma inflação de 9,1% em Julho e um défice da balança comercial a atingir 4,6 mil milhões a meio do ano, a coisa promete. Quando o Dr. Costa se retirar para Bruxelas vai deixar uma herança que rivalizará com a do seu antecessor Dr. Eng. Sócrates.

A propósito da balança comercial, veja-se como a arte de bem titular toda a notícia prospera nas redacções dos jornais: para quê titular «Défice comercial agrava-se no 2.º trimestre com guerra, se pode dar a mesma notícia com «Exportações de bens aumentaram 37,1% e importações 41,6% em junho» ou, de preferência, com «Exportações disparam 37% em junho» .

Podemos não convergir com a Óropa na produtividade do trabalho, mas estamos a fazê-lo no custo médio por trabalhador que aumentou 4% em três meses e número de horas trabalhadas que se reduziu de 1,5% (INE).

Um luso-capitalismo periférico e dependente do Estado sucial

Com o PS, o índice da bolsa de valores de Lisboa PSI 20 encolheu primeiro para PSI 18, depois para PSI 15 e por último para PSI 14. O número de empresas cotadas que no passado já tinha sido 150 está actualmente em 37. O PS descobriu o caminho pacífico para o socialismo levando o capitalismo à extinção. Melhor é difícil.

15/08/2022

Birds of the same feathers flock together (5) - What unites them and all other despots or would-be despots is the hatred of liberties

BBC

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (27a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

Contrata-me como comentador que eu contrato-te como lobista e chamo-te consultor para as políticas públicas

Há uns anos, ao Dr. Medina, um dos putativos sucessores do Dr. Costa, foi-lhe proporcionado na TVI em acumulação com a presidência da câmara de Lisboa, um púlpito de comentador pelo director da Informação Dr. Sérgio Figueiredo, um “jornalista”, que em tempos foi presidente da Fundação EDP (em retribuição pelos serviços de promoção do Dr. Mexia?). O Dr. Medina não perdeu tempo para lhe retribuir e logo que o Dr. Figueiredo abandonou a TVI ofereceu-lhe um contrato com a câmara para convencer uns famosos a gravar uns vídeos promovendo o comércio local. Como a gratidão era muita, o Dr. Medina ofereceu-lhe agora um lugar no ministério das Finanças como consultor para as políticas públicas, oferta da qual o Dr. Costa, com o seu inigualável sentido de oportunidade, já se distanciou.

A diferença entre o Convento de Mafra e o mausoléu da Caixa é que um foi pago com o ouro do Brasil e o outro com o saque dos contribuintes


No tempo das vacas que pareciam gordas, a Caixa Geral de Depósitos construiu o mausoléu da Avenida João XXI de estética Estado Novo onde se alojaram mais de 4.000 zombies. Quando perceberam que afinal as vacas eram magras, a Caixa vendeu o mausoléu por 252 milhões ao fundo de pensões dos seus zombies que ela própria gere. As vacas continuaram a emagrecer e a Caixa com menos zombies, entretanto confortavelmente reformados e pré-reformados, vendeu a ideia ao governo de arrendar o espaço sobejante para alojar os seus os gov-zombies em número sempre crescente num “campus” com Hot desking e clean desk. Decorridos vários meses, ainda só há uma centena de gov-zombies no mausoléu, mas já estão a tratar da fruição do ginásio e campo de squash (Expresso)- first things, first.

Ineficiente, sempre. Ineficaz quando possível

No pico do verão os aviões Canadair de combate os incêndios florestais estiveram 17 dias inoperacionais.

O Estado sucial que não consegue tratar dos incêndios florestais pretende substituir a família

Para @ president@ do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida os pais não têm de saber se @s filh@s estão grávid@s ou contraíram gonorreia ou snifam coca, por exemplo. Quem tem de saber é o Estado sucial através de um dos seus múltiplos departamentos.

A família socialista tem imenso jeito para o negócio

As famílias socialistas podem não saber se @s filh@s estão grávid@s ou contraíram gonorreia ou snifam coca, como as outras famílias, normais digamos. Do que não restam dúvidas, a avaliar pelos casos conhecidos que são uma espécie de parte visível do icebergue socialista, é que a família socialista não deixa de aproveitar as abundantes oportunidades de fazer contratos com o Estado sucial governado pelos socialistas – 60% dos contratos públicos foram adjudicados este ano por ajuste directo sem concurso.

Quem se mete com o PS, leva porrada e não leva dinheiro

A ministra da Agricultura, comentando críticas da CAP pela “inexistente” resposta do governo ao impacto da seca, atirou-lhe com «É melhor perguntar porque é que durante a campanha eleitoral a própria CAP aconselhou os eleitores a não votar no Partido Socialista». Talvez não pareça, mas é uma óptima pergunta porque a CAP deveria estar cansada de saber que o dinheiro do PS, perdão do Estado sucial, é para os amigos e não para os críticos.

(Continua)

13/08/2022

Internacional nacionalista?

Internacional nacionalista? Parece uma contradição nos termos. Desde os tempos da 1.ª Internacional Comunista fundada em 1864 por Marx e Engels, passando pela 3.ª Internacional Comunista dissolvida em 1943 por supérflua (os partidos comunistas seguiam fielmente o PCUS) e a 4.ª Internacional trotskista, o internacionalismo costumava ser propriedade da esquerda.

Pois parece que pode deixar de ser. A direita nacionalista está a tentar tornar-se internacional e, em consequência, internacionalista. E até já tem um candidato a guru internacional ou pelo menos um modelo - Viktor Orban - que acabou de ter um papel de destaque na Conservative Political Action Conference em Dallas e foi adoptado por Donald Trump que o convidou para o seu campo de golfe em New Jersey.

Porquê este fascínio da direita americana por Orban? Uma resposta possível (Why is the American right obsessed with Viktor Orban?):

«Orban fornece um modelo do que o populismo de direita pode alcançar. Ele primeiro-ministro desde 2010, tendo servido anteriormente entre 1998 e 2002. Durante seu mandato mais recente, defendeu valores conservadores, transformando a Hungria na “democracia iliberal” que prometeu aos eleitores em 2014. Ele eliminou os estudos de género dos currículos universitários, construiu uma vedação na fronteira para impedir a entrada de refugiados da Síria devastada pela guerra e de outros lugares e inscreveu valores cristãos na constituição. Ele alterou as circunscrições eleitorais a seu favor. Tendo enchido os tribunais e a mídia com seus aliados, controla as instituições da Hungria. Isso cimentou seu poder e eliminou uma oposição efectiva. Colocou partes da economia nas mãos de comparsas; seus amigos e familiares ficaram ricos. Muito disso apela para a direita americana.

Orban conseguiu fazer isso porque seu partido, o Fidesz, ganhou no voto popular em 2010, levando sua aliança a uma supermaioria no parlamento. Isso permitiu que seu governo aprovasse uma lei eleitoral manipulada com impunidade. Desde então, ele cortejou os eleitores com uma narrativa de guerra cultural que explorou seus medos. Ele valoriza muito a identidade cristã da Hungria (cerca de três quartos dos húngaros dizem que são cristãos, embora apenas 15% frequentem a igreja semanalmente). Orban também apresenta o seu país como uma vítima perpétua, enfatizando sua perda de território após a Primeira Guerra Mundial e suas décadas de sofrimento sob o jugo da União Soviética. Ele agora apresenta a UE (da qual a Hungria é membro) como uma ameaça existencial. Mas os espectros que evoca são principalmente imaginados. Ele protesta contra os “invasores muçulmanos” e em 23 de julho disse à multidão que “não queremos nos tornar um povo mestiço”, embora a população da Hungria seja pelo menos 84% ​​branca. Em 2021, ele proibiu “propaganda homossexual e transexual” nas escolas e na mídia, acrescentando insulto à injúria em um dos países mais homofóbicos da UE. Essas tácticas continuam a dar frutos. Nas eleições deste ano, o Fidesz obteve 53% dos votos populares.

A Hungria oferece aos conservadores americanos um modelo de estado cristão e etnonacionalista com freios e contrapesos limitados, onde um partido sempre vence, mas que ainda parece observar os rituais da governação democrática. Também mostra como o medo populista bem-sucedido pode ser apoiado pelos eleitores. Na eleição deste ano, o Fidesz triunfou contra uma confusa aliança de esquerda de socialistas, liberais e nacionalistas. O Partido Republicano espera conseguir um resultado semelhante nas eleições de meio de mandato em Novembro, aproveitando as questões da guerra cultural para dividir os democratas. Já alimentou temores sobre o ensino de teoria racial crítica e direitos de gays e trans nas escolas, e fez incursões com eleitores de minorias, particularmente hispânicos. Discurso de Orban no CPAC, intitulado “Como lutamos”, certamente forneceu mais inspiração.»

12/08/2022

DIÁRIO DE BORDO: Elegeram-no? Então aguentem outros cinco anos de TV Marcelo (9) - Alguém pode fazer o favor de explicar ao Dr. Marcelo porque a esquerda se cola e a direita se descola

Então aguentem outros cinco anos, uma espécie de sequência indesejada da série Outras preces (não escutadas).

«Também a direita cometeu um erro que eu nunca percebi. É que os sucessivos líderes de direita, em vez de se colarem em mim, descolaram ostensivamente de mim. E quem é que colava a mim? O primeiro-ministro e o PS», disse o Dr. Marcelo em entrevista à CNN Portugal.

Os ingleses têm um ditado popular que explica tudo: Birds of the same feathers flock together.

11/08/2022

CASE STUDY: Trumpology (77) - The problem with the man is that even if half are conspiracy theories as his devotees claim, the other half are far too serious

«The FBI raided Donald Trump’s home in Florida, but we don’t know why. Early reports suggest a link to Trump’s alleged removal of classified material from the White House, but until we know more, there is no point in speculating on why the Justice Department has taken the remarkable step of searching the home of a former president. Republicans, of course, are now screaming that the FBI must be destroyed. Former Speaker of the House Newt Gingrich has gone so far as to suggest that federal agents planted evidence in Trump’s Florida manse; so much for the GOP as the party of “law and order.”

Investigating a former president and tossing his residence is a massive step, and normally, most Americans would, I assume, be reluctant to even consider it. But Trump, both in and out of office, effectively lives as a mafia don, thumbing his nose at the laws he was supposed to execute and the Constitution he was supposed to protect. He destroyed the norms that might have given him the benefit of the doubt now, leaving the rest of us to make a simple argument: No one is above the law.

And that includes the commander in chief. The raid on Citizen Trump is high drama, but I fear that the news from Florida is overwhelming an even more shocking story about President Trump and the American military. Law enforcement in the United States has always been an imperfect patchwork of fine departments and corrupt backwaters, of dedicated public servants and dangerous cowboys. But through it all, we have always been able to count on the armed forces of the United States as the apolitical and steady defenders of the American nation.

Trump wanted to change that and turn the military into his own praetorian guard. In an except from a forthcoming book, the journalists Susan Glasser and Peter Baker reveal an exchange between Trump and his then-chief of staff, John Kelly:

“You fucking generals, why can’t you be like the German generals?”

“Which generals?” Kelly asked.

“The German generals in World War II,” Trump responded.

“You do know that they tried to kill Hitler three times and almost pulled it off?” Kelly said.

Trump refused to believe Kelly: “No, no, no, they were totally loyal to him,” he replied. “In his version of history,” Glasser and Baker write, “the generals of the Third Reich had been completely subservient to Hitler; this was the model he wanted for his military.” (...)

Trump will continue his war on the FBI as part of his ongoing struggle against democracy and the rule of law. But his attempt to corrupt the U.S. military—which, in the event of a national crisis, foreign or domestic, is the final line of defense for our system of government—was a vastly more dangerous gambit, and one we should not forget in the midst of the current scrum.»

Newsletter The Atlantic Daily

10/08/2022

Neoliberalismo, chamou ele à doutrina dominante no Portugal dos Pequeninos governado pelo Dr. Costa. Ofereçam-lhe uma viagem para Havana (só ida)

Entrevista ao Público (o Avante da Sonae)

O Dr. Barata é um filósofo, professor da Universidade da Beira Interior, e informa-nos na sua página pessoal que foi um dos criadores do «Manifesto para uma Esquerda Livre, esteve na fundação do partido político Livre e integrou a coordenação do Congresso Democrático das Alternativas.» Só podia. 

09/08/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (26b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.


Take another plan

«A TAP muda de edifícios, contrata serviços externos cada vez mais a preços milionários, tem os aviões de carga parados. São milhões de euros e dizem sempre: isto é o plano de reestruturação», acusou o presidente do Sindicato dos Pilotos de Aviação Civil esquecendo-se, contudo, de referir que nos finais de 2020, em relação à Iberia a TAP tinha mais 20% de pilotos por avião e quase mais 30% de tripulantes, pilotos cujo custo médio aumentou quase 40% em três anos e que têm salários muito mais elevados.

O Estado sucial que não se consegue autogovernar vai cuidar das startups

Segundo a Investopedia, Startup é «uma empresa nos primeiros estágios de operações. As startups são fundadas por um ou mais empreendedores que desejam desenvolver um produto ou serviço para o qual acreditam haver procura. Essas empresas geralmente começam com custos elevados e receita limitada, e é por isso que procuram capital de várias fontes, como capitalistas de risco.» Para a Startup Portugal uma startup precisa que o governo lance uma nova lei de startups, que é como quem diz, precisa de subsídios porque no Portugal dos Pequeninos o venture capital é proporcionado pelos contribuintes através do Estado sucial.

A justiça arrisca perder a corrida contra a morte dos acusados

Completaram-se oito anos desde a falência do BES e os crimes de burla qualificada de que foram acusados os seus administradores continuam por julgar.

Já é o mafarrico e já se sente o cheiro das brasas

A inflação na OCDE continuou a crescer e atingiu 9,6% em Maio, a taxa mais alta em 34 anos. Se pensa que a inflação é passageira e que os coelhos que o Dr. Costa tirará da cartola pouparão o país, pense melhor, porque a Moody’s considera que Portugal é um dos 10 países europeus com maior risco de inflação persistente.

«Pagar a dívida é ideia de criança»

BdP

Segundo o BdP, a dívida pública voltou a aumentar 200 milhões em Junho, mas, para quem não goste de más notícias, sempre pode olhar a coisa pela óptica do rácio dívida/PIB que se reduziu 0,3 pontos percentuais em relação a 1.º trimestre.

08/08/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (26a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

«Em defesa do SNS, sempre». A novela dos médicos de família ou o mais meio milhão convertido em menos meio milhão

Desde 2015, quatro meses antes de ser entronizado primeiro-ministro, o Dr. Costa prometeu que mais meio milhão de “utentes” passariam a ter médico de família, reduzindo para metade os cerca de um milhão que ainda não tinham. Desde então, periodicamente o Dr. Costa fez novas promessas e anúncios (ver este pro memoria de 07-10-2021) enquanto o número de “utentes” sem médico de família aumentava. Sete anos depois o milhão herdado do governo neoliberal transformou-se em um milhão e meio.

Continuam os pedidos de escusa de responsabilidade dos médicos, desta vez dos ginecologistas e obstetras.

E o que faz o governo? Ora faz o que sabe fazer bem, e põe as redacções amigas a dar "notícias" positivas sobre o que está a funcionar.

«Estamos preparados»

O excesso de mortalidade continuou a aumentar nos últimos meses e só este ano registaram-se 5.500 óbitos acima do esperado. Veja-se no gráfico seguinte como o excesso é muito superior ao da vizinha Espanha. A explicação mais provável é o que o excesso seja um dos efeitos do colapso do SNS, incapaz de dar resposta às doenças crónicas e aos doentes idosos com maior risco.

Fonte

A família socialista tem imenso jeito para o negócio

Mais um autarca socialista da câmara de Vila Franca do Campo acusado de favorecer um irmão e o marido de uma vereadora socialista.

Separação de poderes? Mais devagar. É preciso que haja respeitinho

Segundo o Público (aka o Avante da Sonae), o grupo parlamentar do PS rejeitou cinco audições a ministros nos últimos quatro meses.

Para os amigos tudo, para os inimigos nada, para os outros fala-se grosso

Já é uma tradição. O Dr. Costa ameaça a Altice e sugere que os portugueses escolham outro operador, ameaça a Galp por fechar a refinaria de Matosinhos e agora põe de castigo a Endesa, que por acaso é uma empresa espanhola, por ter previsto um aumento dos preços da electricidade que o governo começou por negar para dias depois confirmar numa versão adocicada, e manda o Dr. Galamba conferir as facturas.

(Continua)