Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

15/08/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (27a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

Contrata-me como comentador que eu contrato-te como lobista e chamo-te consultor para as políticas públicas

Há uns anos, ao Dr. Medina, um dos putativos sucessores do Dr. Costa, foi-lhe proporcionado na TVI em acumulação com a presidência da câmara de Lisboa, um púlpito de comentador pelo director da Informação Dr. Sérgio Figueiredo, um “jornalista”, que em tempos foi presidente da Fundação EDP (em retribuição pelos serviços de promoção do Dr. Mexia?). O Dr. Medina não perdeu tempo para lhe retribuir e logo que o Dr. Figueiredo abandonou a TVI ofereceu-lhe um contrato com a câmara para convencer uns famosos a gravar uns vídeos promovendo o comércio local. Como a gratidão era muita, o Dr. Medina ofereceu-lhe agora um lugar no ministério das Finanças como consultor para as políticas públicas, oferta da qual o Dr. Costa, com o seu inigualável sentido de oportunidade, já se distanciou.

A diferença entre o Convento de Mafra e o mausoléu da Caixa é que um foi pago com o ouro do Brasil e o outro com o saque dos contribuintes


No tempo das vacas que pareciam gordas, a Caixa Geral de Depósitos construiu o mausoléu da Avenida João XXI de estética Estado Novo onde se alojaram mais de 4.000 zombies. Quando perceberam que afinal as vacas eram magras, a Caixa vendeu o mausoléu por 252 milhões ao fundo de pensões dos seus zombies que ela própria gere. As vacas continuaram a emagrecer e a Caixa com menos zombies, entretanto confortavelmente reformados e pré-reformados, vendeu a ideia ao governo de arrendar o espaço sobejante para alojar os seus os gov-zombies em número sempre crescente num “campus” com Hot desking e clean desk. Decorridos vários meses, ainda só há uma centena de gov-zombies no mausoléu, mas já estão a tratar da fruição do ginásio e campo de squash (Expresso)- first things, first.

Ineficiente, sempre. Ineficaz quando possível

No pico do verão os aviões Canadair de combate os incêndios florestais estiveram 17 dias inoperacionais.

O Estado sucial que não consegue tratar dos incêndios florestais pretende substituir a família

Para @ president@ do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida os pais não têm de saber se @s filh@s estão grávid@s ou contraíram gonorreia ou snifam coca, por exemplo. Quem tem de saber é o Estado sucial através de um dos seus múltiplos departamentos.

A família socialista tem imenso jeito para o negócio

As famílias socialistas podem não saber se @s filh@s estão grávid@s ou contraíram gonorreia ou snifam coca, como as outras famílias, normais digamos. Do que não restam dúvidas, a avaliar pelos casos conhecidos que são uma espécie de parte visível do icebergue socialista, é que a família socialista não deixa de aproveitar as abundantes oportunidades de fazer contratos com o Estado sucial governado pelos socialistas – 60% dos contratos públicos foram adjudicados este ano por ajuste directo sem concurso.

Quem se mete com o PS, leva porrada e não leva dinheiro

A ministra da Agricultura, comentando críticas da CAP pela “inexistente” resposta do governo ao impacto da seca, atirou-lhe com «É melhor perguntar porque é que durante a campanha eleitoral a própria CAP aconselhou os eleitores a não votar no Partido Socialista». Talvez não pareça, mas é uma óptima pergunta porque a CAP deveria estar cansada de saber que o dinheiro do PS, perdão do Estado sucial, é para os amigos e não para os críticos.

(Continua)

1 comentário:

Unknown disse...

me(r)dina : "internacionalista" quando bufo, profundamente "doméstico" quando toca a nepotismo ( corrupção ?)...
Em suma : um português dos nossos dias...