Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

10/08/2022

Neoliberalismo, chamou ele à doutrina dominante no Portugal dos Pequeninos governado pelo Dr. Costa. Ofereçam-lhe uma viagem para Havana (só ida)

Entrevista ao Público (o Avante da Sonae)

O Dr. Barata é um filósofo, professor da Universidade da Beira Interior, e informa-nos na sua página pessoal que foi um dos criadores do «Manifesto para uma Esquerda Livre, esteve na fundação do partido político Livre e integrou a coordenação do Congresso Democrático das Alternativas.» Só podia. 

09/08/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (26b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.


Take another plan

«A TAP muda de edifícios, contrata serviços externos cada vez mais a preços milionários, tem os aviões de carga parados. São milhões de euros e dizem sempre: isto é o plano de reestruturação», acusou o presidente do Sindicato dos Pilotos de Aviação Civil esquecendo-se, contudo, de referir que nos finais de 2020, em relação à Iberia a TAP tinha mais 20% de pilotos por avião e quase mais 30% de tripulantes, pilotos cujo custo médio aumentou quase 40% em três anos e que têm salários muito mais elevados.

O Estado sucial que não se consegue autogovernar vai cuidar das startups

Segundo a Investopedia, Startup é «uma empresa nos primeiros estágios de operações. As startups são fundadas por um ou mais empreendedores que desejam desenvolver um produto ou serviço para o qual acreditam haver procura. Essas empresas geralmente começam com custos elevados e receita limitada, e é por isso que procuram capital de várias fontes, como capitalistas de risco.» Para a Startup Portugal uma startup precisa que o governo lance uma nova lei de startups, que é como quem diz, precisa de subsídios porque no Portugal dos Pequeninos o venture capital é proporcionado pelos contribuintes através do Estado sucial.

A justiça arrisca perder a corrida contra a morte dos acusados

Completaram-se oito anos desde a falência do BES e os crimes de burla qualificada de que foram acusados os seus administradores continuam por julgar.

Já é o mafarrico e já se sente o cheiro das brasas

A inflação na OCDE continuou a crescer e atingiu 9,6% em Maio, a taxa mais alta em 34 anos. Se pensa que a inflação é passageira e que os coelhos que o Dr. Costa tirará da cartola pouparão o país, pense melhor, porque a Moody’s considera que Portugal é um dos 10 países europeus com maior risco de inflação persistente.

«Pagar a dívida é ideia de criança»

BdP

Segundo o BdP, a dívida pública voltou a aumentar 200 milhões em Junho, mas, para quem não goste de más notícias, sempre pode olhar a coisa pela óptica do rácio dívida/PIB que se reduziu 0,3 pontos percentuais em relação a 1.º trimestre.

08/08/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (26a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

«Em defesa do SNS, sempre». A novela dos médicos de família ou o mais meio milhão convertido em menos meio milhão

Desde 2015, quatro meses antes de ser entronizado primeiro-ministro, o Dr. Costa prometeu que mais meio milhão de “utentes” passariam a ter médico de família, reduzindo para metade os cerca de um milhão que ainda não tinham. Desde então, periodicamente o Dr. Costa fez novas promessas e anúncios (ver este pro memoria de 07-10-2021) enquanto o número de “utentes” sem médico de família aumentava. Sete anos depois o milhão herdado do governo neoliberal transformou-se em um milhão e meio.

Continuam os pedidos de escusa de responsabilidade dos médicos, desta vez dos ginecologistas e obstetras.

E o que faz o governo? Ora faz o que sabe fazer bem, e põe as redacções amigas a dar "notícias" positivas sobre o que está a funcionar.

«Estamos preparados»

O excesso de mortalidade continuou a aumentar nos últimos meses e só este ano registaram-se 5.500 óbitos acima do esperado. Veja-se no gráfico seguinte como o excesso é muito superior ao da vizinha Espanha. A explicação mais provável é o que o excesso seja um dos efeitos do colapso do SNS, incapaz de dar resposta às doenças crónicas e aos doentes idosos com maior risco.

Fonte

A família socialista tem imenso jeito para o negócio

Mais um autarca socialista da câmara de Vila Franca do Campo acusado de favorecer um irmão e o marido de uma vereadora socialista.

Separação de poderes? Mais devagar. É preciso que haja respeitinho

Segundo o Público (aka o Avante da Sonae), o grupo parlamentar do PS rejeitou cinco audições a ministros nos últimos quatro meses.

Para os amigos tudo, para os inimigos nada, para os outros fala-se grosso

Já é uma tradição. O Dr. Costa ameaça a Altice e sugere que os portugueses escolham outro operador, ameaça a Galp por fechar a refinaria de Matosinhos e agora põe de castigo a Endesa, que por acaso é uma empresa espanhola, por ter previsto um aumento dos preços da electricidade que o governo começou por negar para dias depois confirmar numa versão adocicada, e manda o Dr. Galamba conferir as facturas.

(Continua)

07/08/2022

Mitos (321) - Não são as grandes petrolíferas privadas ocidentais as maiores responsáveis pelas emissões

Um marciano que chegasse a Terra e lesse a maioria dos jornais ou/e conhecesse os alvos dos protestos dos ambientalistas ficaria convencido que as maiores responsáveis pelas emissões são as grandes petrolíferas privadas, as oil majors, tais como ExonMobil, BP, Shell, Chevron e TotalEnergies.

State-run oil giants will make or break the energy transition

Como em quase tudo que tem a ver com as grandes causas que movem os áctivismos e os áctivistas, a realidade é bem diferente, como se pode ver nos diagramas acima.

Na realidade são as empresas estatais, largamente dominantes em África, Médio Oriente, América Latina e Ásia) e não as privadas, e são as não americanas nem europeias, que dominam as reservas e a produção (mas não o investimento, guess why). Não admira, por isso, que os cinco maiores produtores sejam do Médio Oriente (Saudi Aramco, saudita, NIOC, iraniana), Rússia (Gazprom e Rosneft) e China (CNPC). 

Já agora, note-se que as maiores reservas do mundo são controladas pela PDVSA, a petrolífera estatal venezuelana, que, contudo, não figura nas 15 maiores produtores e nem consegue abastecer o pequeno mercado da Venezuela, importa da «irmã República Islâmica do Irão» e deixa regularmente várias regiões sem gasolina (guess why).

06/08/2022

A arte de bem titular toda a notícia (5)


«Os primeiros dois anos de pandemia (de março de 2020 a igual mês deste ano) custaram aos contribuintes portugueses 2976 milhões de euros, de acordo com os quatro levantamentos do Tribunal de Contas (TdC) aos chamados "contratos públicos covid" e cálculos do Dinheiro Vivo.» (Diário de Notícias)

Nesse mesmo período, o Estado sucial administrado pelo governo do Dr. Costa extorquiu aos privados cerca de 75 mil milhões de euros de impostos e contribuições, dos quais o Estado sucial usou 4% para comprar a alguns desses privados bens e serviços que não conseguiu (nem tinha de) produzir ou prestar.

05/08/2022

CASE STUDY: Um país pobre com tiques de país rico


A infografia do Eurostat mostra Portugal, um dos países mais pobres da UE, com indicadores que o comparam aos países mais ricos (à direita), muito longe dos países sobreviventes do colapso do comunismo (à esquerda) que, recorde-se, nos estão a ultrapassar, um a um ano, após ano.

Em conclusão, quem trabalha menos (very low work intensity [*]) em Portugal têm um risco de pobreza inferior à média UE, ao contrário de quem trabalha mais (Medium work intensity, Very high work intensity) que tem um risco de pobreza superior à média UE. Será que os incentivos para trabalhar funcionam ao contrário no Portugal dos Pequeninos?

[*] Intensidade laboral muito baixa: a média do tempo trabalhado é igual ou inferior a 20% do tempo de trabalho possível; intensidade laboral muito alta: a média do tempo trabalhado excede 85% do tempo de trabalho possível.

04/08/2022

Lost in translation (361) - O "profundamente neoliberal" é apenas um sound bite de um paleosocialista tentando provocar um reflexo pavloviano dos consumidores

«O que fica absolutamente claro é que para o presidente do PSD os interesses do mercado, em particular numa aparente ameaça especulativa, sobrepõem-se aos interesses dos utentes, dos consumidores, e isso é absolutamente inaceitável. Revela bem a natureza política e ideológica da nova liderança do PSD, que como sempre dissemos é uma natureza profundamente neoliberal”, disse o secretário-geral adjunto do PS, Dr. João Torres, o que, à parte o «profundamente neo», que está lá só como sound bite, seria uma boa notícia a respeito do Dr. Montenegro não fossem os paleosocialistas como o Dr. João Torres geralmente mentirosos.

Se o Dr. João Torres fosse dotado de um módico de inteligência para perceber os resultados dos últimos de 17 anos de governos socialistas com um resgate pelo meio e de algum pudor, não teria corrido o risco de acrescentar «para o PS em primeiro lugar estão os consumidores, em primeiro lugar está também a boa gestão da coisa pública» o que poderia levar os consumidores a ficar com vontade de experimentar um governo profundamente neoliberal em alternativa aos desastres que o paleosocialismo nos tem proporcionado.

«A boa gestão da coisa pública» é ter uma das electricidade mais caras da UE, em que os subsídios pesam mais de 40%, ter fechado a central de Sines, a central a carvão mais eficiente e menos poluidora da Península Ibérica, etc. (um enorme etc.). 

03/08/2022

CASE STUDY: A política energética alemã tem sido um perfeito disparate e toda a Europa está a pagar a factura

«Consideremos a lamentável dependência da Alemanha dos combustíveis russos. Isto aconteceu não só porque Putin seduziu empresários e políticos com preços baixos, aumentando assim a participação da Rússia no consumo de gás natural da Alemanha de 30% há duas décadas para 55%. Também foram tomadas decisões para reduzir o fornecimento de energia de outras fontes. Entre inúmeros exemplos de tal tolice, a mais conhecida diz respeito à energia nuclear. Quando um tsunami atingiu os reatores nucleares japoneses em Fukushima em 2011, o governo da então chanceler Angela Merkel fechou metade da capacidade de geração nuclear da Alemanha praticamente da noite para o dia. Estabeleceu a data de fecho de dezembro de 2022 para as últimas três centrais, uma meta que só agora está sendo questionada, quando a escassez de energia se aproxima. Refletindo a peculiar ausência de urgência na política alemã, um compromisso proposto pede aos Verdes que abandonem sua insistência em fechar os reactores e em troca seus parceiros de governo abandonam as objeções aos limites de velocidade nos auto-estradas.

No entanto, talvez o maior golo da Alemanha tenha sido marcado contra sua própria indústria de gás natural. Os alemães não têm a sorte dos seus vizinhos holandeses, cujo campo gigante de Groningen, à distância de um mero passeio de bicicleta da fronteira, produziu cerca de US$ 500 mil milhões em gás desde 1959. Mas as próprias reservas da Alemanha não são insignificantes. Na virada do milénio, a Alemanha estava bombeando cerca de 20 mil milhões de m3 de gás natural por ano, o suficiente para suprir cerca de um quarto da demanda nacional. Mas, embora os geólogos pensem que a Alemanha detém pelo menos 800 mil milhões de m3 de gás explorável, a produção não cresceu, mas entrou em colapso, para uns meros 5-6 mil milhões de m3, equivalentes a apenas 10% das importações da Rússia.

A razão é simples. A geologia determina que quase todo o gás da Alemanha só pode ser extraído usando fracturação hidráulica (fracking), mas o público alemão tem um medo irracional de fracking. Não apenas um medo: em 2017, o governo de Merkel aprovou uma lei que basicamente proíbe o fracking comercial, embora as empresas alemãs tenham usado a técnica no país desde a década de 1950, sem um único incidente relatado de danos ambientais graves.

As causas do medo do público não são difíceis de perceber. Em 2008, a Exxon, uma grande empresa petrolífera americana, propôs a expansão do uso de fracking num local no norte da Alemanha. Enquanto ambientalistas se juntavam para protestar, o cada vez mais influente Partido Verde entrou na luta. O mesmo fez o Russia Today, um canal pró-Kremlin, alertando para que fracking causa radiação, defeitos congénitos, desequilíbrios hormonais, a libertação de imensos volumes de metano e resíduos tóxicos, e o envenenamento de dos peixes. Nada menos que um especialista como o próprio Putin declarou, antes de uma conferência internacional, que fracking faz gosma preta sair das torneiras da cozinha.

Os alemães parecem gostar de contos de fadas. "Finalmente, desistimos de tentar explicar que fracking é absolutamente seguro", suspira Hans-Joachim Kümpel, ex-chefe do principal órgão consultivo do governo sobre geociência. "Eu realmente não posso culpar as pessoas que não têm compreensão da geologia subsuperficial, se tudo o que ouvem são histórias de terror."

Os produtores alemães de gás dizem que, se tiverem a oportunidade, com os novos métodos de fracking ainda mais limpos e seguros de hoje, eles poderiam duplicar a produção em apenas 18-24 meses. Nesse nível, a Alemanha pode estar bombeando gás até o próximo século. Isso reduziria as importações em cerca de US$ 15 bilhões por ano. E isso não é um conto de fadas.»

Excerto de Germans have been living in a dream

02/08/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (25b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.


Já é o mafarrico e já se sente o cheiro das brasas

As previsões do FMI para 2022 e 2023 apresentadas a semana passada apontam para a estagnação na zona euro, ou mesmo ligeira contracção, e para um dos ritmos mais baixos de crescimento da economia mundial das últimas décadas.

O PIB português do 2.º trimestre aumentou 6,9% face ao 2.º trimestre do ano anterior em que a economia se afundou pela pandemia, e caiu 0,2% em relação ao trimestre anterior, o que foi a terceira maior contracção na UE.

Entretanto, a inflação continuou a acelerar atingindo 9% em Julho.

De volta ao velho normal

Em Março o aumento homólogo das importações (30%) foi mais do dobro das exportações (13,6%) e sem os combustíveis foi 20,2% e 12,4%, respectivamente. Em consequência, o défice da balança comercial de bens aumentou de 1,3 para 2,4 mil milhões.

«Empresa Financeiramente Apoiada Continuamente (pelo) Estado Central»

A EFACEC, nacionalizada por um governo do PS que sucedeu a outro governo do PS que havia facilitado a entrada de Isabel dos Santos, foi finalmente vendida em Abril ao grupo DST que «açambarca 1/4 do PRR para as empresas». A coisa está empatada em Bruxelas porque a DGComp percebeu tratar-se não de um negócio de venda da EFACEC, mas de um auxílio do Estado à DST, o que o seu presidente negou declarando enfaticamente ao Expresso que «a transação tem que ser declarada uma não ajuda de Estado».

Os lucros escandalosos da Galp. Um exemplo de ignorância e estupidez ao serviço da demagogia

Como se pode ver no relatório do 2.º trimestre da GALP, o EBIT (Earnings before interest and taxes) do 1.º semestre aumentou em 2022 em termos homólogos 853 milhões, dos quais 748 milhões (88%) dizem respeito às actividades de upstream (exploração, desenvolvimento e produção) todas elas no estrangeiro. Na verdade, do aumento de 853 milhões do EBIT a componente das actividades comerciais é de apenas 11 milhões (1,3%). Moral da estória: os indignados que querem taxar os lucros escandalosos da Galp estão a fazer lóbi para o Brasil, Angola, Moçambique, S. Tomé e Namíbia.

O Estado sucial do Dr. Costa fecha em Agosto e não ventila

Além das urgências dos hospitais, também as esquadras podem fechar em Agosto, isto num país que é o quinto da UE com mais polícias.

Em Maio de 2020 o governo pela mão do Dr. Brilhante encomendou 1.151 ventiladores à China dos quais só 73 chegaram a Portugal. Decorridos dois anos soube-se agora que os 30 ventiladores oferecidos pelas câmaras algarvias aos hospitais de Faro e Portimão estavam avariados e nunca foram usados.

01/08/2022

Manifestações de paranóia/esquizofrenia (39) - De como um caso de polícia se torna num evento nacional

Outras manifestações de paranóia/esquizofrenia

Paranoia: «ocorrência de pensamentos delirantes, geralmente persecutórios, que levam o paciente a adoptar uma atitude de permanente desconfiança em relação aos que o rodeiam».

Exemplo: uma mulher branca alcoolizada chamou num restaurante num restaurante na Costa da Caparica «pretos imundos» a duas crianças pretas filhas de um casal de actores brasileiros brancos (fonte). O casal podia perfeitamente ter dado um par de estalos à mulher branca alcoolizada ou outra coisa qualquer pelo facto de ter chamado «imundos» aos filhos, que até tinham um ar lavadinho (quanto aos «pretos», é factual) e a coisa ficava por aqui. 

Em vez disso, resolveram insultar os portugueses, queixando-se de terem sido alvo de racismo em Portugal e iniciando uma campanha que mobilizou milhares de patetas, despertou a paranoia do áctivismo anti-rácista, açulou o jornalismo de causas e deu uma oportunidade àquele ex-presidente brasileiro condenado por corrupção de aproveitar para lavar a jacto a sua reputação e outra ao actual presidente português que não precisa de oportunidades para dizer vacuidades.

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (25a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

A bazuca leva um empresário do regime ao espaço

Dos 1.300 milhões do fundo de capitalização das empresas, 40 milhões foram directos à holding do Sr. Mário Ferreira, dono da TVI, que está envolvido num caso de fraude fiscal na venda do navio «Atlântida», pântano onde chafurdaram o Dr. Carlos César e o Sr. Eng. Sócrates e agora chafurda o Dr. Lacerda Machado. Dá para pagar a viagem do Sr. Mário Ferreira ao espaço na Blue Origin por 27,5 milhões de euros.

O Dr. Silva que gosta de malhar na direita é hoje o maior promotor do Chega

A pesporrência do Dr. Silva a praticar didáctica democrática endoutrinando o Dr. Ventura como se estivesse na tele-escola, além de ser inadmissível num presidente do parlamento, é uma preciosa ajuda à estratégia de vitimização do Chega, o que já era uma coisa óbvia e ficou demonstrada com as conclusões do estudo The Unintended Consequences of Speaking Out Against the Radical Right”.

Computadores para a escolas, um case study do socialismo em acção

Em retrospectiva: em Abril de 2020 foi anunciada a compra de 1.200.000 computadores, só autorizada em Julho. Em Janeiro do ano passado, tinham sido entregues 100 mil. Em Março do ano passado foi anunciado pela terceira ou quarta vez a aquisição de mais 350 mil. O Tribunal de Contas concluiu em Julho seguinte no seu relatório que 60% dos computadores anunciados só estariam disponíveis no próximo ano lectivo 2021-2022.

Em Outubro passado, o Público anunciava que o «Ministério já comprou mais 600 mil computadores» e no mês seguinte, na falta dos 600 mil, o mesmo jornal anunciou que o Ministério vai comprar 15 mil computadores de secretária para as escolas». No princípio de Dezembro, outro órgão da imprensa amiga anunciava que há «600 mil computadores prestes a ser distribuídos pelos alunos» e no final do mês outro órgão da imprensa amiga consolava o povo com uma retrospectiva do passado lembrando que em 2020 foram distribuídos 450 mil e 300 mil em 2021 e, como dizia disse o Eng. Guterres a respeito do PIB, «é só fazer as contas» e chegamos a 750 mil.

Mais de dois anos depois, uma auditoria do TdC constatou que não foram distribuídos 350 mil computadores e que foram pagos 1,3 milhões por acesso não utilizado à internet.

Para os amigos tudo, …

O Dr. Medina nomeou para presidente executivo da Estamo (uma participada da Parpública que gere o património imobiliário do Estado) o seu amigo Dr. António Furtado, antigo director municipal do património da CML, suspeito de envolvimento numa rede de tráfico de influência com outros dirigentes da câmara.

O pedronunismo insulta a inteligência dos portugueses

Desde que há 24 anos um governo socialista reconheceu que era indispensável um novo aeroporto, o PS esteve 17 anos no governo e o Dr. Pedro Nuno, que foi membro desses governos durante 7 anos, veio agora responsabilizar o PSD pelo atraso.

É uma espécie de fogo de barragem à la Putin

A CGTP, a central sindical do Partido Comunista, apresentou ao parlamento 700 (setecentos) pareceres rejeitando a proposta de alterações à legislação laboral.

O Estado sucial como máquina de extorsão

A receita fiscal no 1.º semestre aumentou 30% para 23,0 mil milhões o que compara com o aumento do PIB nominal de apenas 11,9%, de onde resulta um agravamento substancial da carga fiscal.

(Continua)

31/07/2022

Mitos (320) - Os sem-abrigo podem ser pobres, mas não são os pobres

«Não, não soube sempre o que eram sem-abrigo. E percebo até porque existe um grande desconhecimento quanto aos sem-abrigo. Vivi completamente equivocado e enganado: diziam-me que eram pobres, depois diziam-me que eram bêbedos e drogados e quando vim para o Júlio de Matos em 1984 e vi que os doentes mais graves não estavam no hospital, mas dormiam à minha porta, é que percebi uma coisa espantosa - ‘então, vivi com eles um quarto de século sem saber quem eram’. Por isso, percebo que ninguém saiba, desde o mais humilde cidadão ao Presidente da República, eu próprio também não soube durante um quarto de século.

(...) admito que haja 5 a 10% dos casos em que não conseguimos fazer um diagnóstico psiquiátrico. Mas deve-se ver o pacote todo em conjunto, e isso é impossível por várias razões. Nos últimos anos tenho feito várias apresentações em que digo que só temos de fazer duas coisas e eu em 10 segundos digo tudo - se fosse reconhecida a importância da saúde mental e da psiquiatria, estaria desbloqueado o caminho para a resolução da problemática das pessoas sem-abrigo. Em segundo lugar, é preciso colaborar porque nenhuma instituição nem ninguém consegue resolver o problema dos sem-abrigo sozinho. Se Portugal fizesse isto nos próximos 100 anos, resolvia 99% dos casos de sem-abrigo. (...)

A primeira vez que estudámos isso foi em 2001, com a amostra de rua da Santa Casa da Misericórdia. Fomos fundadores da equipa de rua. E quando chegámos aos 1000 casos de rua fomos fazer as contas: 56 ou 57% tinham álcool, depois havia 20% de psicoses, depois as drogas e as perturbações de personalidade. No total, era mais de 90%. Eu acho que isto não varia muito, é obvio que podemos sempre admitir que há 10% de pessoas sem qualquer tipo de patologia. Agora, eu nunca vi pobres na rua, é muito difícil ver isso, mas admito que se houver um terramoto como o de 1755 possa haver.  (...)

Os sem-abrigo são como uma folha em branco, cada um vê o que quer, por isso é que é tão bom para os políticos e para toda a gente: se eu for uma pessoa com compaixão, eles servem para servir a minha compaixão, se eu for político, servem todos os políticos: os governos em funções, a oposição, e ainda os jornalistas e o povo. E quem quiser culpar os sem-abrigo também tem bons exemplos. Não digo que sejam mitos, mas cada um vai buscar a verdade que quer, como se fosse o todo.»

Excerto de uma entrevista a António Bento, psiquiatra e director do Serviço de Psiquiatria Geral e Transcultural do Hospital Júlio de Matos

30/07/2022

CASE STUDY: E se o sexo dos professores tiver influência no desempenho dos alunos?

Até 1989 a Finlândia adoptou uma política de discriminação positiva na formação dos professores do ensino primário fixando uma quota mínima de 40% para os homens para equilibrar a distribuição por sexos numa profissão onde tendencialmente as mulheres representavam a grande maioria. Daí resultou que, apesar das mulheres terem em média notas mais altas, muitas foram preteridas por homens para atingir a quota mínima.

Três décadas depois Ursina Schaede e Ville Mankki da universidade de Turku realizaram um estudo publicado em Abril (Quota vs quality? Long-term gains from an unusual gender quota) que acompanhou mais de 800 mil crianças que entraram nas escolas primárias entre 1988 e 2000, separando os alunos que tiveram professores femininos não sujeitos à quota e professores masculinos, e chegaram à seguinte conclusão:

«Pupils exposed to a higher share of male quota teachers during primary school transition more smoothly to post-compulsory education, have higher educational attainment, and labor force attachment at age 25. Pupils of both genders benefit similarly from exposure to male quota teachers. Our findings are consistent with the quota improving the allocation of talent over the unconstrained selection process. » 

O estudo sugere que os professores masculinos seleccionados pela quota obtiveram melhores resultados do que os professores femininos com médias comparáveis, por razões que podem estar relacionadas com a maior proporção de professores masculinos que falavam o finlandês como língua materna ou terem estudado matemática. Seja como for, as conclusões do estudo contrariam duas ideias populares: (1) a de que a discriminação positiva tem sempre consequências negativas e (2) não há diferenças de desempenho entre homens e mulheres.

29/07/2022

O Dr. Pedro Nuno insulta os jornalistas (eles não se importam, estão lá para isso) e a inteligência dos eleitores (que na esmagadora maioria não deram por nada)

DN

O aeroporto está atrasado pelo menos desde os tempos em que o menino e futuro Dr. Pedro Nuno ainda era presidente da Mesa da Reunião Geral de Alunos do ISEG e o Dr. Guilhermino Rodrigues, secretário de estado dos Transportes do primeiro governo do Sr. Eng. Guterres reconheceu (29-05-1998): 
«A manterem-se as taxas de crescimento actuais, entre 2003 e 2007 esgota-se a capacidade do actual aeroporto. É evidente que é possível, com alguns investimentos complementares, aumentar a vida útil deste aeroporto por mais dois ou três anos. Eu diria que, em 2007 ou 2008, a capacidade do actual aeroporto estará esgotada.» 
Desde então, o PS esteve 17 (dezassete) anos no governo e o próprio Dr. Pedro Nuno Santos é membro de governos do PS há 7 (sete) anos. Como o actual líder do PSD tomou posse há três semanas, poderíamos imputar-lhe no máximo por 0,24% do atraso - supondo que lhe competiria tomar a decisão. 

28/07/2022

DIÁRIO DE BORDO: Petição para atribuição de uma medalha de mérito à Dra. Temido pela promoção involuntária da saúde privada

Há quase três décadas que utilizo prestadores privados da rede de um seguro de Saúde. Até há poucos anos era relativamente fácil marcar uma consulta ou um exame médico e o atendimento era rápido, quase sem filas de espera e sem congestionamentos.

Gradualmente, à medida que o SNS se degradava, sob a batuta da Dr.ª Temido e as cativações do Dr. Centeno e dos seus sucessores (veja-se o diagrama já publicado no último Semanário de Bordo), a procura dos cuidados privados de saúde foi aumentando e, em particular a partir da pandemia, as marcações começaram a ser difíceis, as filas e os tempos de espera a aumentarem e até se assistiu a alguns congestionamentos, num claro indício de prosperidade dos operadores privados.

Para dar os exemplos que conheço melhor, a Cuf Saúde apesar de ter registado uma quebra de 6% dos rendimentos operacionais em 2020, primeiro ano da pandemia, cresceu 25,7% em 2021; os números equivalentes do Hospital da Luz foram 4% e 8%, respectivamente.

Considerando a sanha da Dr.ª Temido contra os "privados" e a concorrência da sua prestação de cuidados de saúde, parece-me extremamente difícil encontrar um melhor exemplo da chamada lei das «consequências imprevistas da acção social intencional», formulado por Robert Merton em 1936, que neste caso reveste a forma particular de consequências indesejadas, ou, em português corrente, tiro no pé.

27/07/2022

Dúvidas (341) - Porque algumas direitas nacionalistas são atraídas pelo Czar Vlad?

Algumas direitas professam o nacionalismo que para efeitos práticos podemos considerar como a «ideologia baseada na premissa de que a lealdade e a devoção do indivíduo ao Estado-nação superam outros interesses individuais ou de grupo». ‎

Alguns partidos e muitas pessoas que se consideram da direita nacionalista olham para a Rússia de Putin com simpatia indisfarçável, e nalguns casos indisfarçada. Mesmo admitindo que por vezes essa simpatia tem um preço que Putin costuma pagar bem, existe muita gente que tem aparentemente uma admiração genuína e desinteressada pelo regime putinesco pelo seu suposto nacionalismo.

É aqui que reside a minha dúvida, pois como pode um nacionalista simpatizar com um regime com um ditador e uma clique que governa um Estado Federal de duas dezenas de repúblicas, quatro dezenas de regiões autónomas, mais de uma centena de etnias diferentes que falam mais de uma centena de línguas diferentes e professam quatro religiões principais, Estado que é um Império composto por vários potenciais Estados-nação cuja coesão resulta exclusivamente de ser governado com mão de ferro e supressão de todas as liberdades?

26/07/2022

SERVIÇO PÚBLICO: A liderança maligna precisa de ressabiados devotos e obedientes e de outros idiotas úteis

«A liderança maligna também se nutre de características dos liderados, o segundo vértice da malignidade. Pessoas ressabiadas, desprovidas de empatia, entusiasmadas com uma liderança “forte” que decide por elas próprias — eis as características potenciadoras da emergência de lideranças malignas. Estas pessoas podem entregar-se acriticamente aos ditames do líder messiânico, legitimando-lhe malfeitorias e dislates morais. No processo, também emergem seguidores oportunistas. Estes, cientes de que, para se manterem no círculo do poder, precisam de mostrar lealdade pessoal ao líder messiânico, acabam também por apoiar, mais ativa ou mais passivamente, a malignidade. Retaliando contra qualquer sinal de discordância, este tipo de líder rodeia-se de sicofantas que lhe dizem o que deseja ouvir. Com o decurso do tempo, a tomada de decisões baseia-se em informação incompleta — e o isolamento do líder perante a realidade agrava-se.

Este processo é reforçado pela paranoia crescente. Num quadro de violência contra qualquer sinal de discordância, confundida com deslealdade, a desconfiança passa a imperar. Os que se sentem injustiçados desejam vingança — e tentam o golpe palaciano. Quando o golpe fracassa, a vingança sanguinária reforça-se. A paranoia coletiva emerge. A violência transforma-se num trunfo sempre à mão, com consequências trágicas para os liderados e, por vezes, o próprio líder.

O terceiro vértice é o contexto. A liderança maligna emerge mais provavelmente quando a situação conduz os liderados a depositarem esperanças num líder salvífico. Quando a autoestima ou a identidade de um povo está ameaçada por reais ou imaginários inimigos externos, é mais provável que esse povo se entregue nas mãos do líder ungido e redentor. Alguns líderes são dotados de um faro particular para estes descontentamentos — o que os leva a cavalgar a onda de frustração dos liderados e a prometer-lhes um futuro que resgate o orgulho perdido.

Quando o entusiasmo com estas promessas ganha tração, desenvolve-se uma espécie de combustão que, a médio longo prazo, se revela tóxica. Perante obstáculos provindos dos “inimigos” e “desleais”, líder e liderados diabolizam a discordância. Para vencer essas “escumalhas”, o líder propõe e os liderados aceitam a remoção de pesos e contrapesos institucionais — libertando o líder e o seu círculo dos constrangimentos que sustentam as liberdades e o processo democrático. Instituições como os tribunais ou o parlamento são progressivamente empobrecidas — ainda que, na aparência, a separação de poderes se mantenha. É então que o líder dispõe das condições para se perpetuar no poder e, se necessário, mudar a Constituição. Esta mudança está à mão de semear — pois as institui­ções já perderam poder de vigilância e são meras correias de transmissão da vontade do todo-poderoso líder. Eis que se concretiza a resplandecente fórmula: L’état c’est moi!»

Excerto de Putin e o triângulo da liderança, Arménio Rego e Miguel Pina e Cunha

25/07/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (24)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

Ineficiente, sempre. Ineficaz quando possível

Em 2018, o governo comprou para o Exército por 6 milhões drones de vigilância de fogos que não foram usados. Em 2020, o governo compra mais 12 drones para a Força Aérea e começa a contratar guardas-florestais, cujas funções de vigilância num país normal seriam substituídas pelos drones. Em Julho desse ano, a Força Aérea assina o contrato; a 17 desse mês o ministro do Ambiente diz que os drones estariam operacionais dentro de dias; a 4 de Agosto os ministros fazem uma acção de promoção; a 30 de Setembro só estavam operacionais quatro dos doze drones e um desses drones que voava em teste despenhou-se em Beja. Decorrido mais um ano, só estavam disponíveis 7 desses drones e, entretanto, os de descolagem vertical foram suspensos e um dos outros despenhou-se em 11 de Agosto do ano passado o que levou a suspender todos.

Ponto de situação: de uma dúzia de drones comprados em 2020 por ajuste directo num contrato que o TdC considerou desastroso, em Julho deste ano só 3 estavam a ser utilizados. Pior é difícil, até para o Estado sucial gerido pela clique socialista.

A função zingarilho da Boa Nova é do tipo quanto mais, mais

Se as coisas correm mal isso não é necessariamente um problema. O problema é quando a choldra começa a perceber e, então, quanto mais se torna impossível de esconder por trás do nevoeiro informativo a cargo do jornalismo alinhado, mais o governo tira coelhos da cartola que têm uma vida tão curta quanto a dos coelhos dos vendedores da banha da cobra nas feiras. Alguns exemplos de anúncios dos últimos dias:
A consistência não é o forte do Dr. Costa

À segunda-feira, o Dr. Costa puxa dos galões das energias renováveis na produção de electricidade para se recusar a participar nas medidas propostas pela CE para reduzir dependência energética da Rússia. Segundo ele, tais medidas seriam «para compensar o atraso em que outros se colocaram quando podiam e deviam ter feito investimentos como nós fizemos nas energias renováveis». À quinta-feira, manda o secretário de Estado da Energia dizer que se opõe à redução de 15% da utilização do gás proposta pela CE porque «estamos a usar o gás por absoluta necessidade» para… a produção de electricidade.

Plano para manter a flutuar o Estado sucial em afundamento

Dos 16 mil milhões de euros do PRR, às empresas privadas chegaram até agora 9 milhões de euros e às empresas públicas chegaram mais de 700 milhões de euros, em cima das centenas de milhões que recebem de subsídios.

24/07/2022

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Portugueses no topo do mundo (47) - Campeões da síndrome de Peter Pan

Outros portugueses no topo do mundo.

O ano passado concluímos aqui face aos mesmos dados de 2020 que a idade de saída de casa dos jovens é um dos proxies do colectivismo que cultiva a dependência do grupo (neste caso da família) e do Estado, por oposição ao individualismo característico das sociedades liberais que proporcionam ambientes mais favoráveis à iniciativa, ao empreendedorismo e, em consequência, ao desenvolvimento económico e social. Só posso concordar. 

Feitas as contas, o coeficiente de correlação (Pearson) em 2021 entre o PIB per capita e a idade de saída de casa é -0,45, valor que geralmente se considera traduzir uma correlação negativa forte, ou seja, a idade de saída mais baixa está claramente associada a um nível mais baixo de prosperidade.

23/07/2022

Vejamos os factos sobre o TVDE sem o estrabismo do jornalismo de causas, Über alles

«As revelações do Uber Leaks têm sido uma montanha a parir um rato, que não deve esconder o verdadeiro escândalo que foi a falta de concorrência nos transportes durante décadas

As secções de economia da imprensa internacional desta semana foram dominadas com a excitação sobre os Uber Leaks (ou Uber Files ou Uber Papers). Um antigo executivo da companhia Uber partilhou centenas de milhares de documentos internos da firma com um consórcio de jornalistas internacionais que as analisou extensivamente durante várias semanas e agora publicou os seus resultados. Por todo o mundo saíram artigos com títulos explosivos, prometendo revelar as práticas pérfidas da companhia. Tendo passado horas a ler o que encontrei, cheguei à conclusão que os Uber Leaks mostraram mais uma vez que a brevidade dos títulos (ou das mensagens nas redes sociais) podem causar muita indignação com pouca substância de suporte. (...)

O que espero que estas notícias não escondam é o mais importante: o que foi e o que é o negócio dos transportes dentro das cidades. Um sector protegido durante décadas, que prestava um péssimo serviço com preços altos, e em que era quase impossível entrar porque alguns incumbentes com frotas de dezenas de veículos protegiam o seu monopólio e usavam a sua força política para terem lucros chorudos. Entrou um concorrente, não com nenhuma bondade, mas usando táticas agressivas e nalguns casos pouco éticas para tentar capturar esse bolo. Para o fazer, usou o dinheiro de acionistas para ter prejuízo brutais ao dar ao consumidor preços muito abaixo do custo durante anos, esperando com esse dumping depois conseguir ela monopolizar o sector. Tudo indica que falhou, porque o sector tradicional respondeu e entraram novos concorrentes. Entretanto, o consumidor beneficiou de preços muito baratos no transporte na última década, de uma melhoria de serviço considerável incluindo nos táxis tradicionais, e de um avanço tecnológico com uma série de aplicações que permitem chamar um táxi ou outro serviço de transporte nalguns minutos nas principais cidades do mundo.

O escândalo aqui é este período estar a chegar ao fim. Aos poucos e poucos têm crescido os regulamentos sobre este sector pelo mundo fora. A maioria com boas intenções, mas o efeito prático é aumentar os custos fixos do serviço, criando economias de escala artificiais, que estão a levar a que sejam novamente só empresas com grandes frotas a dominar novamente o sector. Com tantos carros estacionados durante o dia, é pena ver nas notícias esta semana filas de horas no aeroporto de Lisboa. Os turistas estariam dispostos a pagar muito bem a um dos 308 mil portugueses desempregados para passarem umas horas a levá-los ao seu hotel.»

Uber escândalo, Ricardo Reis no Expresso

22/07/2022

Paying the price to do business with the New Middle Empire

Financial Times

For those who may not know, «HSBC Holdings plc is a British multinational universal bank and financial services holding company. It is the largest bank in Europe by total assets, with US$2.953 trillion as of December 2021. In 2021, HSBC had $10.8 trillion in assets under custody (AUC) and $4.9 trillion in assets under administration (AUA), respectively. HSBC traces its origin to a hong in British Hong Kong, and its present form was established in London by the Hongkong and Shanghai Banking Corporation to act as a new group holding company in 1991; its name derives from that company's initials. The Hongkong and Shanghai Banking Corporation opened branches in Shanghai in 1865 and was first formally incorporated in 1866.» (Wiki)

21/07/2022

A arma secreta do Czar Vlad: o palhaço checheno

Observador

Pro memoria (423) - É muito descaramento. No lugar dos "frugais", cortaria ao Dr. Costa os fundos que os contribuintes europeus lhe dão para ele fingir que governa

Reagindo ao anúncio do financiamento pela UE de um pacote de medidas para ajudar os países mais dependentes do gás russo a fazerem transição, o Dr. Costa, depois de explicar que em Portugal se torraram 17 mil milhões de euros nas energias renováveis (esqueceu-se de dizer que durante 20 anos os portugueses pagaram a energia a preços mais elevados do que na maioria dos outros países) reagiu assim:

«A solidariedade significa também que não vamos fazer pagar aos portugueses, depois de investirem 17 mil milhões de euros em renováveis, custos suplementares para compensar o atraso em que outros se colocaram quando podiam e deviam ter feito investimentos como nós fizemos nas energias renováveis.»

Pordata
Para quem é primeiro-ministro de um país que desde 1986 recebeu da UE transferências líquidas de 78 mil milhões de euros (equivalente a cerca de 100 mil milhões de euros a preços de 2021) e durante os seus governos de 2016 a 2021 recebeu 14 mil milhões de euros e se prepara para receber 14 mil milhões de euros para financiar um Plano de Recuperação e Resiliência, dizer tal coisa mostra um enorme descaramento.

19/07/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (23b)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.


A obra do Dr. Costa

Os críticos do Dr. Costa dizem que ele é pior primeiro-ministro desde Dona Maria II e não deixará uma única obra. Não é verdade e não é justo. Não falo apenas do estado em que deixou o SNS, com a preciosa ajuda da Dr.ª Temido, nem dos mais de 70 mil funcionários que acrescentou ao stock, nem mesmo refiro a dívida pública que à sua conta aumentou 44 mil milhões de 236 para 280 mil milhões. Sublinho apenas o inestimável contributo que o Dr. Costa e os seus dois governos deram para consolidar a posição do Estado sucial português como o supremo mendicante de Bruxelas e dos seus fundos.

mais liberdade

Não, não são portas giratórias. Simplesmente não há portas

O Eng. Matos Fernandes, que deixou o ministério do Ambiente e regressou às bancadas do parlamento, irá dedicar os seus muitos tempos livres como consultor nas áreas de energia e ambiente do Instituto de Conhecimento da Abreu Advogados. O Dr. Siza Vieira contratado como sócio ajudará a PLMJ nos muitos trabalhos jurídicos que presta ao Estado. A um nível mais modesto, o Dr. Saraiva, agora vereador e antigo vice-presidente da câmara de Lisboa onde substituiu o Dr. Duarte Cordeiro, foi nomeado por indicação deste para a administração do Metro de Lisboa.

De volta ao velho normal

Com a ajuda da inflação, estamos a voltar gradualmente aos tempos socráticos com a balança comercial cada vez mais desequilibrada. Em Maio as exportações e as importações registaram um crescimento homólogo de 40,6% e 46,4% (35,3% e 34,4%, sem combustíveis), respectivamente.

Justiça socrática

O recurso do Eng. Sócrates no STJ, relacionado com a Operação Marquês, vai passar pelas mãos de um dos juízes que esteve com ele no governo entre 1996 e 1999, teve uma sanção disciplinar por tentar arquivar a investigação sobre o Freeport e voltou ao governo como adjunto da ministra Van Dunen.

Banco de Fomento é «torrar dinheiro em coisas que não valem pevid

Para que serve um Banco de Fomento várias vezes anunciado para as «próximas semanas», sucedendo a um banco de fomento que fora privatizado por um governo PS, tinha ressuscitado em 2018 e segundo o Dr. Siza já estava criado em Janeiro de 2020 e só viu a luz do dia em 2021? Segundo João Serrenho da CIN, um dos poucos empresários que não vive pendurado no governo, serve para «torrar dinheiro em coisas que não valem pevide».

Já é o mafarrico e já se sente o cheiro das brasas

A taxa de inflação homóloga em Portugal subiu 0,7% em Junho para 8,7%, o valor mais alto desde 1992.

18/07/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (23a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.


Há cinco anos, dois meses depois da catástrofe de Pedrógão Grande, o ministro da Agricultura de então anunciava que o governo tinha feito a maior revolução da floresta desde D. Dinis. Dois meses depois, o governo anunciava mais uma reforma da floresta e criava com grande pompa e circunstância uma Estrutura de Missão para Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais presidida pelo Engenheiro Florestal Tiago Martins Oliveira, apresentado como o mago das florestas, que criou a Agência de Gestão Integrada de Fogos Rurais. Cinco anos depois, o Eng. Oliveira, poucos dias antes do início da presente temporada de incêndios em exibição em todos os canais, veio dizer-nos que «o problema dos incêndios não passa pela existência de mais meios de combate, mas pela gestão da propriedade florestal». That’s it.

Ó Dr. Costa, o que nasce sempre da acção humana são as políticas desastrosas do seu governo

Parece que o Dr. Costa garantiu que «Os incêndios nascem sempre da ação humana». Como se factcheckou não é verdade.

Estado Sucial Simplex

Desde 1996 o número de órgãos consultivos do Estado cresceu 79% para mais de 400. O que fazem? Ninguém sabe. Já quanto aos mais de 800 apparatchiks que o Dr. Costa e os seus ajudantes nomearam para os gabinetes do governo sabe-se que servem de câmaras de eco.

«Em defesa do SNS, sempre»

Quando se pensava que já tinha sido atingido o pior, os hospitais começaram a transferir o caos das urgências para o atraso das cirurgias e consultas que já estão a diminuir em relação ao ano passado devido à mobilização de médicos para as urgências. Entretanto, na região de Lisboa metade das vagas para médicos de família ficaram por ocupar apesar do SNS oferecer salários mais altos do que os dos médicos de família já contratados que no sábado protestaram numa manif.

O SNS afunda-se sozinho, não precisa da ajuda dos “privados”

Mesmo com a preciosa ajuda da Dr.ª Temido, a despesa do SNS com os hospitais privados reduziu-se em 2020 e conta apenas 4% do total.

Take Another Plan e as entradas de leão e saídas de cordeiro

O Dr. Pedro Nuno Santos, que o episódio do despacho dos aeroportos revelou ser um banana a fingir-se de teso, chutou para canto as responsabilidades da TAP no cancelamento de dezenas de voos e consequente caos atribuindo-os aos problemas do aeroporto de Lisboa.

A família socialista tem imenso jeito para o negócio

Há três anos soube-se do caso das 780 mil «golas» inflamáveis distribuídas aos velhinhos perdidos por esses cus-de-judas para se protegerem dos incêndios florestais, golas que afinal, explicou depois a Protecção Civil, eram apenas para “merchandising“ e “propaganda“. O caso envolveu uma família socialista e vários apparatchiks avulsos. Três anos mais tarde o governo foi forçado a devolver a Bruxelas 844 mil euros de subsídios.

(Continua)

17/07/2022

ACREDITE SE QUISER: Mudam-se os tempos, não se muda a CP

«Há uns anos, um meu conhecido saiu-se com uma frase. Sabes, ele tinha uma loja de decoração, faliu e ficou sem nada. O que vale é que lhe arranjaram um lugar na administração da CP.

Sabe o que é isto? ASCEF. FENTCOP. SERS. SIFA. SINAFE. SINDEFER. SINFA. SINFB. SIOFA. SMAQ. SNAQ ESTMEFE. SNTSF. FECTRANS. SFRSI. ASSIFECO.

Numa viagem no Alfa Pendular de Lisboa para o Porto, atrasado meia hora, ar condicionado rebentado, comida e bebidas esgotadas e comboio apinhado de gente e bagagens, resolvi ir ao portal da CP para perceber o que se faz no Conselho de Administração. Parece que tudo o que o CA faz é negociar com sindicatos e emitir comunicados sobre as negociações com sindicatos, quando há anúncios de greve. E há anúncios de greve quase todas as semanas.»

Foi assim, numa pausa no seu cosmopolitismo obsessivo-compulsivo, que a Drª Clara Ferreira Alves, aka Pluma Caprichosa, desceu à terra e se deu conta do estado de um dos engenhos mais eficazes a torrar o dinheiro dos contribuintes a pretexto de lhes proporcionar transporte público ferroviário.

É a continuidade por outros meios da CP fássista, a propósito da qual se contava umas décadas atrás a anedota de um funcionário que indignado por não contratarem o filho se queixava «não há nenhum filho da puta que não entre na CP, só o meu filho é que não

16/07/2022

DIÁRIO DE BORDO: Elegeram-no? Então aguentem outros cinco anos de TV Marcelo (8) - O passado do Dr. Marcelo é imprevisível

Então aguentem outros cinco anos, uma espécie de sequência indesejada da série Outras preces (não escutadas).

A entrevista ao Dr. Marcelo pelo seu inimigo de estimação Dr. Balsemão, publicada na Revista do Expresso, onde o Dr. Marcelo reformulou o passado em geral e o seu em particular (como aqui se evidencia) poderia muito bem ter tido lugar na Rússia onde é costume os próprios russos reconhecerem que «a Rússia é um país com um passado imprevisível» e ser publicada no Izvestia.

Exemplos do costume (54) - A fábrica de presidenciáveis já começou a trabalhar (V)

Desta vez com uma antecedência inabitual de quatro anos já se antecipam os supositivos votos que os supositivos candidatos a Belém terão. Começou pelo almirante Gouveia e Melo e não foi agora com a sondagem da Intercampus que o dá como favorito com 31,7% dos votos na primeira volta, seguido do Dr. Paulo Portas e do Dr. Marques Mendes ex aequo.

Não foi agora, foi muito antes, ainda o Sr. Almirante andava à volta das vacinas e já se escrevia aqui que no Portugal dos Pequeninos qualquer criatura que dê conta do recado é um candidato potencial à presidência de qualquer coisa (por exemplo, da República), a propósito da disponibilidade por ele demonstrada com um prudente «até lá muita coisa pode acontecer», disponibilidade reforçada mais recentemente com a entrevista ao Observador que, por coincidência que deve ter dado algum trabalho, antecedeu em dois dias a divulgação da sondagem da Intercampus.

É ainda muito cedo e o Sr. Almirante arrisca-se a ser apenas uma lebre dos corredores de fundo, sendo certo que tem a seu favor vários argumentos e o gosto pelas fardas que muitos portugueses acalentam 

15/07/2022

Sem a malária a Europa latina seria talvez a Europa cartaginesa

Anopheles, o fazedor de história
«A malária também moldou outros continentes. Já foi comum na Europa. Uma das razões por que Roma antiga era tão difícil de conquistar era por estar protegida pelos pântanos Pontine. Os romanos pensavam que as febres que as pessoas apanhavam lá eram causadas por gases nocivos. Daí o nome mal'aria, “ar ruim”.

Em 218 AC. Hannibal atravessou os Alpes e derrotou os romanos em Trébia, Trasimene e Canas, mas não conseguiu a conquista por causa da malária, que custou ao general cartaginese o olho direito, a sua esposa, o seu filho e grande parte de seu exército. Diversas invasões posteriores de bárbaros enfrentaram o mesmo obstáculo. "O mundo ainda vive entre as sombras assombradas por mosquitos do Império Romano", observa Winegard  (Timothy Winegard, “The Mosquito”) -  muitos países falam uma língua baseada em latim, enquanto vários sistemas políticos adoptaram a lei romana. De facto, "o Império Romano primeiro martirizou e depois facilitou a passagem do cristianismo pela Europa". (...)

É interessante especular como seria o mundo se a malária nunca tivesse existido. Se Hannibal tivesse conquistado Roma, os europeus hoje falariam línguas derivadas do púnico em vez do latim? Se o comércio transatlântico de escravos não tivesse sido tão lucrativo, teria a América evitado a guerra civil e a segregação? Se o exército japonês fortalecido por quinino não tivesse vencido os nacionalistas chineses, os comunistas de Mao Tsé-Tung teriam sido capazes de tomar o poder?»

(How malaria has shaped humanity)