Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

31/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (32) - Brasil e Reino Unido como cortinas de fumaça

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-2020; 70% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra do SNS ; o Dr. Costa aponta para 100 mil pessoas incluindo "privados"

A task force de coordenação do plano de vacinação estima que para cumprir a meta de 100 mil doses por dia sejam necessários mais 2.500 enfermeiros, 400 médicos e 2.300 auxiliares.

Dúvida que ninguém parece ter: até agora o SNS não foi além de uma média semanal de 40 mil doses; se mais 2.500 enfermeiros conseguem administrar 60 mil doses adicionais, para atingir a meta das 100 mil só seriam precisos 4.200. O que andam a fazer 76 mil enfermeiros (Pordata)? 

A preocupação e a atenção que os nossos mídia não dedicam ao desastre da vacinação em Portugal gastam-nas com um Bolsonaro e um Brasil com 59 mil casos por milhão e 1.488 mortes por milhão contra os 81 mil casos por milhão e as 1.656 mortes por milhão de Portugal.

É uma cortina de fumaça semelhante ao que a CE, pela boca do comissário do Mercado Interno Thierry Breton, está a usar com a AstraZeneca para camuflar o desastre europeu das vacinas.

Tentar ganhar as eleições na secretaria. A qualidade da democracia americana em degradação

Fonte

De 2020 para menos de dois meses 2021, aumentou sete vezes o número de projectos de lei apresentados nos parlamentos estaduais do EUA com o propósito de dificultar o voto das minorias usando vários expedientes, por exemplo eliminando a votação antecipada, restringindo a votação pelo correio, reduzindo a janela temporal para pedir e enviar os boletins de voto, etc. Desses projectos, 253 foram propostos em 45 estados pelos republicanos. Os democratas apresentaram 704 propostas para tornar a votação mais acessível, puxando a brasa à sua sardinha já que têm mais eleitores entre essas minorias.

30/03/2021

Desde sempre, o melhor conselho da DGS (embora inútil)

DGS aconselha portugueses a evitarem grandes esforços devido a massa de ar africana


Que é o melhor conselho não carece de explicação. A inutilidade também não deveria carecer. Contudo, devido aos conhecidos problemas de identidade nacional, pode ser difícil reconhecer que se há coisa que grande número de portugueses não carecem é de desculpas para evitarem grandes, pequenos ou médios esforços.

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Portugueses no topo do mundo (36) - O mundo com os olhos postos em nós

Outros portugueses no topo do mundo.

A semana passada tivemos duas ascensões notáveis ao topo do mundo.

Tivemos a camisola poveira copiada desavergonhadamente pela Tory Burch causando uma onda de indignação patriótica das Forças Vivas da Nação, como se dizia no Estado Novo, levantamento que, segundo a jornalista Helena Matos, só foi suplantado pelo Ultimatum inglês. Foi preciso uma emigrada lembrar que a Tory Burch já tinha sido precedida pela apropriação pelo estilista Nuno Gama, curiosamente muito saudada pela câmara da Póvoa.  

Tivemos também a cidade de Lisboa que «foi escolhida entre mais de 150 cidades mundiais como um dos "21 Lugares do Futuro", segundo um estudo que será divulgado hoje e que foi levado a cabo pela Cognizant». A explicação de Maximino Gouveia, «responsável máximo da Cognizant em Portugal» para a escolha é comovente de tão encomiástica, ao ponto que para um alfacinha emigrado como eu ficou irreconhecível.

Vá-se lá saber porquê, evoquei a entrevista ao jornal i de Elidérico Viegas, presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) onde revelou com grande escândalo nos meios turísticos que os prémios frequentemente recebidos por destinos turísticos «que andamos a apregoar com frequência são prémios atribuídos por estruturas ou organizações privadas que têm como fim o lucro e que vendem lugares em função dos preços que se pagam». Não é nada que uma criatura assisada e com o desconfiómetro a funcionar não possa concluir ao procurar as referências das entidades que atribuem os prémios.

29/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (31) - Só as farmácias os podem salvar do fracasso

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-2020; 70% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra do SNS e confirmado pelo ministro que gosta de malhar na direita

Não sei se o Dr. Marques Mendes ao anunciar a "vacinação em massa" de 200 mil professores no passado e no próximo fim de semana, estava mandatado como porta-voz, mas o certo é que no passado fim de semana foram administradas apenas 82 mil doses e dessas só 56 mil a professores, ou seja, um pouco mais de metade do objectivo. Para atingir o objectivo de 200 mil no próximo fim de semana será necessário atingir 144 mil e, sendo o fim de semana da Páscoa, só se Cristo adiasse o Calvário.

Entretanto, o Sr. Almirante queixa-se de falta de recursos e os enfermeiros queixam-se de precariedade, mas o Dr. Costa não perdeu a fé e garante que poderão ser vacinados por dia 100 mil pessoas entre «recursos do SNS e outros que possam ter de ser contratados fora do SNS» (DN). 

Com 100 mil doses por dia teríamos a vacinação completa em Outubro, antes do Inverno, mas esse número é mais de cinco vezes a média até agora e mais do dobro da melhor média semanal. Não há solução? Há sim, senhor ministro. É apenas necessário recorrer às 3 mil farmácias que à média de 20 por dia/farmácia acrescentariam 60 mil às 40 mil doses que parece ser o tecto do SNS.

Crónica da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa (78) - Em tempo de vírus (LV) (2.ª parte)

Avarias da geringonça e do país seguidas de asfixias

[Esta é a segunda parte da Crónica cuja primeira parte foi publicada ontem, domingo]

Boa Nova - modalidade energia

Depois de relerem Michael Porter com 30 anos de atraso, foi pré-anunciado que em Maio será anunciada a constituição do cluster português das baterias. Ou não, porque, pelos vistos, se a Volkswagen escolher a Espanha para a fábrica de baterias (no vosso lugar, apostaria neste cavalo) a coisa pode ficar pelo anúncio.

Boa Nova - modalidade vacina

Sr. Almirante das vacinas anunciou (depois de um certa contenção anunciativa, sucumbiu aos anúncios) que Portugal terá 11,3 milhões de doses no segundo trimestre e que serão administradas 95 mil vacinas por dia no segundo trimestre. O Dr. Costa puxou dos galões subiu a parada e anunciou 100 mil vacinas por dia em Abril.

Também foi anunciado que serão recebidos um milhão de testes rápidos na próximas semanas.

Boa Nova - modalidade habilitação ao concurso de provimento do lugar de SG do PS

Uma vez mais, o vencedor da semana passada foi o Dr. Pedro Nuno Santos que anunciou já ter encontrado três interessados para comprar a participação do "privado" Alfredo Casimiro que o o enganou gravando uma boutade em que o ministro disse que seria zerada a participação do "privado" tanso da TAP. O pobre Dr. Medina não conseguiu mais de que anunciar que «prepara aquisição de quase 240 mil plantas». É certo que com este anúncio o Dr. Medina ainda fica com mais quatro anúncios em carteira (o anúncio que terminou a preparação, o anúncio da decisão, o anúncio da compra e o anúncio da entrega), mas a verdade é que a negociação do Dr. Santos tem muito mais potencial para anúncios até por uma prosaica razão: o Dr. Santos não pode vender uma participação que não é do Estado (nem dele).

Choque da realidade com a Boa Nova

Para se atingirem os números anunciados serão necessários 150 centros de vacinação em massa e para tal serão precisos enfermeiros que as autarquias se queixam de não serem suficientes, apesar de umas contas de merceeiro que fizemos indicarem que com 76 mil enfermeiros muita coisa poderia ser feita.

Depois de muitos anúncios de muitos milhares de milhão, vai a ver-se e nas medidas de apoio relacionadas com pandemia em Janeiro e Fevereiro, com o país quase fechado, o governo gastou 1,1 mil milhões ou seja menos do que já enterrou na TAP.

Anunciada há um mês e meio a task force da testagem em massa reuniu-se pela primeira vez.

Choque da realidade com a Boa Nova - modalidade gestão pedronunista

«O Ministro Pedro Nuno Santos anunciou em 30 de julho o seguinte: “Faremos um processo de seleção contratando uma empresa que tem no quadro da sua atividade procurar no mercado internacional uma equipa qualificada para gerir a TAP … O processo de seleção demorará certamente semanas, pelo que, deverá ser encontrada uma equipa transitória para liderar os destinos da transportadora”.
No entanto, apenas em 10 de outubro o Governo contratou a empresa Korn Ferry para fazer a seleção do CEO; Passados 8 meses (quando o Ministro dissera que “o processo de seleção demorará certamente semanas”) a SIC soube em 5 de março que “O gestor mais bem posicionado como candidato à presidência da Comissão Executiva da TAP é o alemão Jaan Albrecht Binderberger, ex-presidente da Saudi Arabian Airlines”. Na mesma data, o Expresso refere que “O Ministério das Infraestruturas, de Pedro Nuno Santos, não confirma o nome de Binderberger, que só se irá tornar uma escolha definitiva e pública depois da aprovação do plano de reestruturação da TAP pela Comissão Europeia”.» (Miguel Júdice no Expresso)

28/03/2021

Crónica da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa (78) - Em tempo de vírus (LV) (1.ª parte)

 Avarias da geringonça e do país seguidas de asfixias

[Esta edição da Crónica vai ser dividida em duas partes: esta que sai hoje, Domingo, e a parte da Boa Nova que será publicada amanhã 2ª Feira]

Ainda não é o mafarrico, mas já se sente o cheiro das brasas

Segundo o BdP, no final de Janeiro o valor das moratórias (créditos suspensos de pagamento) era de 45,7 mil milhões de euros, ou mais de um quinto do PIB. As empresas contavam com 24 mil milhões, as famílias com cerca de 19 mil milhões e outras entidades com o restante. As moratórias de créditos hipotecários terminam no fim deste mês, os créditos pessoais no fim de Junho e as restantes em Setembro. Quando começar a desabar o castelo de cartas que o Dr. Costa andou a montar, ficará mais claro que as moratórias são apenas um dos expedientes que favoritos dos governos socialistas: empurrar os problemas com a barriga quando não há dinheiro para deitar em cima deles.

Os primeiros resultados do pedronunismo na TAP superam as expectativas

Entretida a coçar a sarna interna, a gestão pedronunista não negociou os programas dos operadores para destinos habituais dos portugueses, como Porto Santo e Cabo Verde, que ficaram para a Iberia e a SATA.

Se não consegues controlar os asilos controla os gajos que mastigam chicletes

Um governo que deixou os asilos transformarem-se em campos de extermínio da velhada, põe a polícia a multar um sujeito passivo que mastigava chicletes acabados de comprar numa máquina de venda automática.

Temos estes princípios. Se não gostarem temos outros

No dia seguinte à secretária de Estado do Turismo ter dito que os hotéis portugueses podiam receber estrangeiros, mas não os portugueses, o ministro da Administração Interna reagiu 100 vezes mais depressa do que no caso da morte no SEF e esclareceu que a secretária de Estado estava errada e que «na próxima semana, para Portugal, não haverá viagens turísticas. Só serão admitidos aqueles que para aqui se deslocam em deslocações essenciais».

Faz como eu digo, não faças como eu faço

«Altos funcionários dos Negócios Estrangeiros» disseram ao Público que Portugal estava preocupado com o facto da administração chinesa de Macau estar a interferir nos mídia,

Amarra-me e faz de mim o que quiseres

A APB é a associação dos bancos portugueses da qual são associados 24 bancos privados. A APB vai eleger o seu próximo presidente e faz saber que «está, no entanto, dependente da decisão do Governo para a presidência da CGD

Não há vida para além do orçamento ou cozido à portuguesa na obesidade e dieta em inanição

O mesmo partido cujo PR se lembrava, queixoso, que havia vida para além do orçamento, que teve um governo que conduziu o Estado à bancarrota em 2011, tem agora um governo que poupa na despesa para mitigar a queda da economia, em grande parte devida à sua estratégia de resposta à pandemia que consiste em confinar 99% dos sujeitos passivos para evitar a infecção do 1% de alto risco. E foi assim que o défice do OE 2020, que estava previsto ser de 7,3%, ficou em 5,7%. Esta obra do duo Costa-Leão é uma espécie de contraponto à obra do duo Sócrates-Teixeira dos Santos que começou por anunciar um défice de 2,2% em 2009 que acabou em 10,0%.

Os suecos perderam a paciência e os sujeitos passivos nacionais levaram mais uma bordoada fiscal

ministra sueca das Finanças diz ter perdido paciência porque Portugal está a servir de paraíso fiscal aos reformados suecos que desfrutam de isenção de IRS. Em contrapartida da bondade fiscal com que abençoa os reformados suecos, o governo português esmifra os portugueses e colocou a carga fiscal do ano passado a bater um novo recorde de 34,8% do PIB.

Para os outros cumpra-se a lei, para os amigos altera-se, se for preciso

Para aumentar os nomeados para o Banco de Fomento - sim, o mesmo Banco de Fomento que fora anunciado pela enésima vez em Setembro, sucedendo a um banco de fomento que fora privatizado por um governo PS, tinha ressuscitado há três anos e que já estava criado em Janeiro - o governo alterou o estatuto do gestor público.

Se não for preciso alterar a lei, é só nomear os amigos e fiéis servidores, como o Dr. Nicolau Santos, actualmente em comissão de serviço na Lusa - a Tass socialista - e agora a caminho da RTP,

O que fazer a marujos que não têm nada que fazer? «Edificar uma capacidade de treino»

Pois se a armada está desarmada, haverá coisa melhor para entreter os marujos do que dar-lhes um campo de golfe para responder à «necessidade de edificar uma capacidade de treino».

No Portugal dos Pequeninos até os “privados” são quase públicos

O Dr. Pedro Nuno Santos acusou, com toda a razão, o accionista privado de enganar o «Estado português, o Governo, o país e os trabalhadores” da Groundforce. Pois não é sabido que só o governo tem o monopólio de enganar o país e os trabalhadores?

Claro que o ministro tem de ser o advogado de defesa da EDP

O Dr. Rui Rio, num dos raros momento em que faz de conta que é oposição, acusou o ministro do Ambiente de ser «advogado de defesa» da EDP. Que outra coisa poderia ser o Dr. Fernandes senão advogado de defesa de uma empresa controlada por procuradores do PCC que poderia formar um governo só com os ex-ministros que passaram e ainda estão nos órgãos sociais da EDP.

[Continua amanhã]

Mitos (311) - A natalidade em Portugal é baixa porque temos menos "infraestruturas" de apoio

Portugal tem uma taxa de natalidade inferior à média da UE (8,4 pm em 2019 contra 9,3 pm) e, consoante os anos, é terceira ou quarta mais baixa da UE27.
Fonte: Eurostat

Segundo o mito corrente, a baixa natalidade resultaria da falta de creches e jardins de infância que levaria os pais a não terem filhos por carência de "infraestruturas" de apoio.

Fonte: Eurostat (via Expresso)

Como todos os mitos, pode ter algum coisa de verdade, mas não muito, porque Portugal é o segundo país da UE com maior percentagem de crianças em creches e o primeiro em jardins de infância.

27/03/2021

Proposta Modesta Para Evitar que os Áctivistas Desperdicem Acções e Indignações (5) - Áctivistas do anti-rácismo todos para o Norte da Óropa!, seus pamonhas

Em 1729 Jonathan Swift publicou um panfleto satírico com o título longo e insólito A Modest Proposal: For Preventing the Children of Poor People in Ireland from Being a Burden to Their Parents or Country, and for Making Them Beneficial to the Public.

Desde então, inúmeras Propostas foram baptizadas de «Proposta Modesta». O (Im)pertinências, com quase quatro séculos de atraso, apresentou já várias, algumas delas, como esta, Para Evitar que os Áctivistas Desperdicem Acções e Indignações.
Fonte

Exortemos o Dr. Ba, o directório da SOS Rácismo e todos os áctivistas anti-rácistas a não gastarem cera com ruins defuntos, a não desperdiçarem os seus justos combates, nem o dinheiro dos contratos de acessoria (não é para assessorar, é para ter acesso) com os brancos tugas que, de tão tão exauridos, nem ganas têm para serem rácistas. Em vez disso, devem rumar ao norte da Óropa.

26/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (30) - Se falham nas doses da vacina não falham nas doses de marketing

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-2020; 70% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra do SNS e confirmado pelo ministro que gosta de malhar na direita

Na quinta-feira dia 4 de Março, foram administradas 70.827 doses e atingido exactamente um total de um milhão de doses o que foi anunciado com grande alarido nos telejornais. Ontem, quinta-feira com 71.432 foi ultrapassado o recorde do dia 4 e superado um milhão e meio de doses, resultados que vão ser anunciados hoje nos telejornais (o Público já se antecipou). Houve aqui uma descoordenação no marketing exemplar do do governo do Dr. Costa, porque tiveram de escolher entre atingir exactamente 1.500.000 e ultrapassar o recorde diário. 

Vamos ver se estes ímpetos resistem ao fim de semana em que está anunciada a «vacinação em massa» dos professores.

ARTIGO DEFUNTO: Se o Brasil é em Março uma bomba-relógio o que foi Portugal em Fevereiro?

Entrevista do neurologista brasileiro Miguel Nicolelis ao Expresso / Dados do wordometers

25/03/2021

Contributos para um Dicionário do Correctês, do Inclusivês e de Outros Diacletos (1)

Estruturas Residenciais Para Pessoas Idosas (ERPI)
Asilos, lares, em geral locais onde se amontoam pessoas velhas.

Gestação de substituição
Barriga de aluguer.

Gratuito
Algo caro pago pelos contribuintes.

Luta contra a precariedade
Procura de um emprego vitalício.

Morte assistida
Eutanásia

Precário
Alguém que tem uma relação precária com a namorada e exige uma relação vitalícia com o patrão

Privados
Tansos ou ladrões, conforme o contexto.

Reposição das carreiras
Promoção de funcionários públicos sem avaliação e sem mérito.

(Continua)

24/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (29) - Estará sr. Almirante está a ser influenciado pelas más companhias?

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-2020; 70% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra do SNS e antecipado para o final de Junho pelo Sr. Almirante

Talvez influenciado pelas más companhias, o Sr. Almirante coordenador inaugurou a sua época de anúncios informando que no segundo trimestre (que começa já para a semana) serão administradas entre 95 e 100 mil doses por dia. Pois será, mas nos últimos dias do trimestre corrente a média está a ser um sexto desse número. E também anunciou que, se chegarem vacinas suficientes, será possível antecipar os 70% de vacinados do fim para o princípio do Verão. Verão? Veremos.

Entretanto, para se atingirem esses números dizem que serão necessários 150 centros de vacinação em massa e para tal serão necessários enfermeiros que as autarquias se queixam de não serem suficientes. Como não são suficientes? Pois se existem em Portugal 76 mil enfermeiros (Pordata), se forem dedicados à vacinação apenas 20% e se cada um deles administrar uma vacina em cada meia hora (nada de estresse, para ter tempo de tomar um cafezinho), num dia de trabalho de 7 horas (nada de estresse), 5 dias por semana (nada de estresse) teremos uma média de 152 mil doses por dia.

Proposta Modesta Para Evitar que os Áctivistas Desperdicem Acções e Indignações (4) - Áctivistas do anti-rácismo e do animalismo todos para Cabo Delgado!, seus pamonhas

Em 1729 Jonathan Swift publicou um panfleto satírico com o título longo e insólito A Modest Proposal: For Preventing the Children of Poor People in Ireland from Being a Burden to Their Parents or Country, and for Making Them Beneficial to the Public.

Desde então, inúmeras Propostas foram baptizadas de «Proposta Modesta». O (Im)pertinências, com quase quatro séculos de atraso, apresentou já várias, algumas delas, como esta, Para Evitar que os Áctivistas Desperdicem Acções e Indignações.

«A situação em Moçambique é infernal há bastante tempo. No norte do país, grupos radicais islamitas matam e decapitam populações inteiras. Esta semana ficámos a saber que estes radicais também decapitam crianças. A dimensão do inferno moçambicano só é equiparável ao silêncio lisboeta sobre o assunto. (...) só nos indignamos com a violência praticada pelo homem branco; não nos podemos indignar com a violência praticada pelo homem negro ou castanho, pois isso será sinal de racismo! » (Henrique Raposo)

«Moçambique não tem atenção, porque os seus agressores não são homens brancos, por um lado, e porque as suas vítimas são seres humanos, e não os cães de Santo Tirso ou os veados da Torre Bela. Se o Isis fosse um clube de caçadores a decapitar leões e zebras, as boas consciências e os média já teriam colocado Moçambique no centro da agenda. Como o isis é um bárbaro grupo terrorista de homens (não brancos) que matam outros homens e não animais, nada se passa. (...) »  (Henrique Raposo»

Retratada e denunciada a situação, Henrique Raposo lamenta-se em vez de exortar os áctivistas a levantarem a bundas flácidas afundadas nos sofás do áctivismo e darem corda aos sapatos partindo para Cabo Delgado combater o rácismo. Ponde-vos a caminho, seus pamonhas!

23/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (28) - O espectro das vacinas paira sobre a Óropa

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-2020; 70% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra do SNS confirmado pelo ministro que gosta de malhar na direita

Se o duo Marx-Engels escrevesse hoje um manifesto sobre a pandemia poderia bem começar como começou o outro: há um espectro que paira sobre a Europa. Desta vez é o espectro das vacinas, iniciado com a negociação desastrosa pela CE e continuado com a administração das doses pelos Estados membros.

Desta vez, nem a Alemanha escapa. Até ontem tinham sido administradas menos de 11 milhões de doses a uma média diária de 210 mil, suficientes para 6,5% da população (fonte), o que proporcionalmente à população equivaleria a números semelhantes aos do Portugal dos Pequeninos. Números semelhantes hoje, amanhã não sabemos. Só sabemos que os empresários alemães, diferentemente dos portugueses, não se conformaram, estão a adquirir câmaras frigoríficas para armazenas as vacinas e a planear usar os médicos (15 a 20 mil no total) e enfermeiros das empresas para administrarem as vacinas por sua conta. (fonte)

Um ano de pandemia confirma a superioridade da estratégia sueca face à portuguesa

Se dez meses mostravam, doze meses confirmam que a estratégia sueca de resposta foi melhor do que a portuguesa, por muito que os jornalistas de causas adoradores do Moloch estatal tentassem convencer-nos do contrário.
Fontes: worldometers. Our World in Data, Economist

É agora mais evidente o contraste entre as estratégias e os resultados.

Estratégias: 
  • um Portugal com máscaras obrigatórias em todo o lado, confinamento, escolas fechadas durante longos períodos, restauração e hotéis fechados, um serviço público de saúde dedicado quase em exclusivo à pandemia com marginalização dos recursos privados e
  • uma Suécia "laxista", máscaras de uso opcional, confinamento limitado e esporádico, escolas quase sempre abertas, restauração e hotéis sem condicionamentos, serviços de saúde público e privado em cooperação.
Resultados:
  • Suécia com menos 20% de casos, menos 21% de mortes e menos quase 50% do excesso de mortalidade. É arrasador.

22/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (27) - O Dr. Costa está à espera de quê para anunciar a imunidade colectiva no 10 de Junho?

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-2020; 70% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra do SNS e confirmado pelo ministro que gosta de malhar na direita

Depois de 5.ª e 6.ª feira acima das 40 mil doses, a milícia do Sr. Almirante foi-se outra vez abaixo. Valha-nos ao menos que o Sr. Almirante fala pouco e não anuncia muito, talvez para compensar os papagaios que falam, falam, como o Dr. Marques Mendes que anuncia a "vacinação em massa" nos dois próximos fins de semana de 200 mil professores e a chegada da vacina da Johnson & Johnson, que segundo ele permitirá vacinar 1,25 milhões em dois meses e meio.

Ocorrem-me várias dúvidas:
  • O Dr. MM acumula porta-voz de S. Ex.ª com porta-voz da Dr.ª Temido?
  • Se "vacinação em massa" é administrar 200 mil doses em quatro dias à média de 50 mil por dia, como classificar a administração de 873 mil doses no sábado passado no Reino Unido o que na proporção da população equivale ao Portugal dos Pequeninos administrar mais de 140 mil doses? 
  • Vamos bater palmas à administração de 1,25 milhões doses da vacina J&J em dois meses e meio, à média de 17 mil por dia?
Entretanto, a confirmar a asneira indesculpável da suspensão, a AstraZeneca foi mais uma vez confirmada com os resultados dos testes em larga escala nos EUA que revelaram uma eficácia de 79% sem efeitos secundários graves.

A mostrar que o Portugal dos Pequeninos não está só na Óropa verborreica e ineficaz, o comissário do mercado interno, o francês Sr. Thierry Breton, anunciou de façon ridicule que a imunidade colectiva na Óropa será atingida no 14 juillet. No lugar do Dr. Costa, um anunciador nato, anunciaria que no Portugal dos Pequeninos será alcançada a imunidade no dia 10 de Junho.

Crónica da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa (77) - Em tempo de vírus (LIV)

Avarias da geringonça e do país seguidas de asfixias

Separados à nascença

O Dr. Costa e o Dr. Rio, duas almas gémeas, estão a escolher os cinco novos juízes do Tribunal Constitucional a eleger em breve pelo parlamento de acordo com a sua posição favorável à eutanásia. (fonte)

O Estado sucial dá exemplos aos "privados"

O governo do Dr. Costa obriga os "privados" no sector dos serviços a adoptarem o teletrabalho, porém dos mais de 500 mil funcionários públicos na Administração Central só 60 000 estão em teletrabalho.

O Estado sucial como empreendedor

No seu universo "empresarial", o Estado sucial conta com o Estaleiro do Alfeite. Menos de um ano depois de ser nomeada, a nova administração chegou à conclusão que o Estaleiro só será viável (em rigor só poderá pagar salários) se o seu único cliente - a Marinha portuguesa - pagar o dobro do custo homem/hora. Eis aqui uma bela receita para viabilizar qualquer empresa dos "privados".

A CP, pertencente ao universo "empresarial" do Dr. Pedro Nuno Santos, teve parada em recuperação durante 8 anos um comboio de dois pisos cujo valor em novo seria entre 8 a 10 milhões de euros.

A SATA, a companhia regional de aviação dos Açores, assinou em 2016 um contrato de leasing de um avião Airbus A330 que custou até agora mais de 40 milhões de euros, com o avião estacionado desde 2019 no aeroporto Sá Carneiro, por custar mais caro se estivesse a operar.

O Estado sucial como máquina de extorsão

Há de facto uma área onde Estado sucial é um paradigma de excelência - a extorsão fiscal. Veja-se no diagrama seguinte a posição do Portugal dos Pequeninos no ranking do salário líquido que deixa os contribuintes levaram para casa depois de os depenar.

Bloomberg

21/03/2021

"Eles não percebem o mal que fazem". Talvez percebam, mas estão lá para tratar das suas vidinhas e não para se inquietarem com o bem ou com o mal

«Pasme-se! Em plena pandemia, de confinamento em confinamento, entre mortos e infectados, com boas e más notícias sobre as vacinas, num raro clima de incerteza e fragilidade, os deputados dedicaram muitas das suas atenções, algum trabalho, uma boa reserva de energia e muita polémica para aprovar uma lei sobre a eutanásia e o suicídio medicamente assistido. Não havia tempo menos indicado, momento mais desajustado e oportunidade mais perversa do que esta. Eles não percebem o mal que fazem. Eles não entendem o mau exemplo que dão. Eles não se interessam pelos resultados morais de uma tal atitude de brutalidade chocante. É quase obsceno. Provocatório, de qualquer modo. 

Um tema como este, da vida e da morte, que implica a liberdade individual, que põe em causa as escolhas pessoais, que altera as regras da justiça, que toca no fundo moral dos cidadãos, que atinge os sentimentos religiosos de muitos, que define os termos da compaixão, que obriga a uma reflexão profunda sobre a Constituição, que põe em causa a licitude de regras legais e que cria obrigações para as instituições, um tema como este, dizia, é discutido em estado de emergência e é votado quando se morre a mais! Eles não sabem o que fizeram. Eles não se dão conta das consequências dos seus gestos.  (...) 

O valor da inviolabilidade da vida humana não é respeitado pela eutanásia, dado que alguém tem de agir contra a vida de outrem. O mesmo valor é respeitado pelo suicídio assistido, dado que ninguém atenta ou viola a vida de alguém. Ao contrário da eutanásia, o suicídio assistido não atenta contra a inviolabilidade da vida humana.»

Excerto de Morrer bem, António Barreto fazendo o indispensável distinguo entre eutanásia e o suicídio assistido 

20/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (26) - Pois parece que sim, mas nunca se sabe

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-2020; 70% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra do SNS e confirmado pelo ministro que gosta de malhar na direita

A boa notícia é que nos últimos três dias parece ter havido um sobressalto, mas vamos ver o que acontece no fim de semana em que habitualmente os números caiem para metade ou menos. A má notícia é que mesmo com uma média diária de 45 mil a vacinação não estaria concluída antes de Maio de 2022. Entretanto, a AstraZeneca parece irá voltar a ser administrada. O stock existente afinal parece ser 227 mil vacinas

Parece? Sim, neste país o que é hoje verdade pode ser amanhã mentira, como disse aquele conhecido filósofo de Guimarães.

E se em vez de escolherem locais para a nomenclatura aparecer nos telejornais  usassem "Linhas de montagem"?

Estado empreendedor (109) – A TAP, o efeito Lockheed TriStar e a insanidade

Recontando a história (mais uma vez): nos finais dos anos 60 a Lockheed desenhou um novo avião para concorrer com o Boeing 747, que usaria motores revolucionários especialmente desenhados pela Rolls Royce. Primeiro desastre: a Rolls Royce entrou em falência para produzir os motores a um custo 4 vezes superior ao orçamentado. Para piorar as coisas, o choque petrolífero de 1973 aumentou o preço do jet fuel a um nível que tornou economicamente inviável para as companhias de aviação a operação do TriStar com esses motores excessivamente gulosos, desenhados para os tempos do petróleo a pataco. Segundo desastre: a Lockheed, com o argumento de já ter investido muitos milhões de dólares, decidiu continuar a investir e a produzir o L-1011 TriStar para não perder o investimento já realizado. Em resultado, ao fim de 14 anos de produção, vendeu, a preços de saldo, metade do volume de break-even e perdeu várias vezes o valor que teria perdido se interrompesse a produção em 1974, quando já era claro que o avião era inviável.

A TAP é há décadas um dos nossos Lockheed TriStar. Com o Dr. Pedro Nunos Santos e o Dr. Miguel Frasquilho no cockpit podemos descansar que enquanto não for atingido por um míssil disparado de Bruxelas este nosso TriStar continuará a voar e a torrar milhões de euros dos contribuintes.

Em entrevista ao Jornal de Negócios disse o co-piloto Dr. Frasquilho (em rigor é mais um comissário de bordo), que liquidar a TAP teria um custo de 9 mil milhões de euros até 2030.  É um argumento tirado a papel químico da estória do TriStar, trocando-se o choque petrolífero pela pandemia e a continuação da produção do TriStar pela manutenção do elefante branco chamado TAP, sem perceber que, mesmo dando de barato os 9 mil milhões (que me cheira a uma grande treta para justificar a opção que está mais do que tomada), esse seria o único custo certo em opção a continuar a deitar dinheiro em cima da TAP até ao fim dos tempos.

19/03/2021

O inferno está cheio de boas intenções (56) - Os primeiros choques de Joe Biden com a realidade

Como se pode ver no gráfico, já se fazem sentir os efeitos de [X].

X = fim do mandato de Donald Trump / medidas tomadas pela administração Biden / inflexão da curva de infecções depois do pico do Natal / ..., a resposta varia consoante se trate de um devoto ou de um agnóstico.

A seta vermelha assinala o dia da tomada de posse de J. Biden (fonte: worldometers)

Depois desta introdução ao jeito de teaser em intenção dos devotos que nos visitam, vamos às talvez boas intenções que começam a encher do inferno de Joe Biden.

Enfiando o boné de Donald Trump, Joe Biden assinou logo após a tomada de posse uma ordem executiva «Buy American», consignando 600 mil milhões de dólares (equivalente a duas vezes e meia o PIB português) do orçamento federal para a compra de bens e serviços americanos. Os efeitos previsíveis são no mínimo duvidosos e no máximo nocivos (ver esta análise).

Com outra ordem executiva, desta vez pisando o boné de Donald Trump, Biden alterou as políticas de imigração do seu antecessor, interrompeu a construção do «big, beautiful wall (depois de muitas afirmações bombásticas foram acrescentadas apenas umas ridículas 15 milhas), aliviou o controlo da fronteira com o México e declarou-se favorável à emigração. Seguiu-se o influxo de centenas de milhar de imigrantes, o caos e uma crise humanitária.

Em consequência, para travar o influxo, Biden viu-se compelido a pressionar o México, como Trump mas com boas maneiras, oferecendo 2,5 milhões de vacinas AstraZeneca. Também neste caso o resultado é no mínimo duvidoso.

18/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (25) - A dose habitual de cobardia, ilusionismo e incompetência

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-2020; 70% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra do SNS e confirmado pelo ministro que gosta de malhar na direita

Com apenas 30 casos de tromboembolismos em cinco milhões de vacinados com a AstraZeneca na UE, a que se somam a maior parte dos 25 milhões de britânicos já vacinados, a probabilidade de um vacinado vir a sofrer desta patologia está dentro do intervalo da probabilidade de ser morto por um raio.

É claro que a Agência Europeia do Medicamento só podia manter a aprovação da vacina da AstraZeneca, confirmando assim que os governos europeus que decidiram a suspensão andam a reboque do medo e alguns deles a reboque das jogadas políticas de Macron que desde o princípio esteve contra vacina da AstraZeneca, frustrado pela vacina francesa nunca ter visto a luz do dia e a Sanofi ficar reduzida a «enfrascar vacinas das concorrentes Pfizer e BioNTech».

Por cá continua tudo mais ou menos na mesma com o governo, pela voz do ministro que nos intervalos de malhar na direita malha na verdade, a aproveitar o episódio da AstraZeneca para fazer ilusionismo justificando o desastre do plano de vacinação com o atraso nas entregas (segundo o Almirante Gouveia e Melo existem 200 mil doses em armazém) e garantindo que 70% da população estará vacinada até ao fim do Verão.    

Entretanto, o Almirante Gouveia e Melo disse que em Abril serão criados postos de vacinação rápida ou massiva, será possível o autoagendamento e as farmácias ficarão de reserva. Haja Deus, depois de três meses descobrem agora a pólvora? Há meses que no Reino Unido, nos EUA e noutros países são utilizadas igrejas, escolas e estádios para fazer a vacinação, e num país que tem os melhores dos melhores estamos onde estamos? 

Enquanto os dirigentes da Óropa se babam de solidariedade e proíbem a exportação de vacinas, a administração americana está a preparar o envio de 4 milhões de doses da AstraZeneca para o Canadá e o México. 

Os observatórios como lugar geométrico do nepotismo e da lei de Parkinson no Portugal dos Pequeninos

Enviaram-me uma lista dos "Observatórios" existentes em Portugal que circula por aí e parece ter algumas imprecisões. Ainda assim, a lista é impressionante: 119 observatórios, cada um com uns quantos apparatchiks o que perfaz centenas de tenças. Suspeito que a maioria desses observatórios tenha sido criada por governos socialistas, mas os governos do PS-D não devem estar inocentes. 

[Leitura recomendada para quem não conheça: Parkinson Law revisited, um post já velhinho do outro contribuinte]

A lista completa:

1) Observatório dos medicamentos e dos produtos da saúde
2) Observatório nacional de saúde
3) Observatório português dos sistemas de saúde
4) Observatório da doença e morbilidade 
5) Observatório Vida
6) Observatório do ordenamento do território

17/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (24)

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-202070% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra

Após 6 semanas como coordenador da task force, a minha esperança de que o Almirante Gouveia e Melo viesse pôr alguma ordem na caserna vaporizou-se. Dia após dia, estamos cada vez mais longe dos objectivos: nas últimas duas semanas a data de conclusão à média dos últimos 7 dias atrasou-se 5 meses. 

É neste contexto que as garantias do Sr. Almirante que «recuperamos muito rapidamente esta pausa» (suspensão da administração da AstraZeneca) parecem delirantes. Sobre a falta de fundamento científico ou experimental da suspensão, juntando-se à European Medicines Agency, a Ordem dos Médicos concluiu que o «número de eventos tromboembólicos nas pessoas já vacinadas não é superior ao identificado na população em geral».

Retomando o desastre da negociação da Comissão Europeia com as farmacêuticas, já aqui referido, desastre que, contudo, não justifica o atraso português, como também já demonstrei, recomendo a leitura do artigo Dez anos depois, a União Europeia volta a falhar de Jorge Fernandes.

O jornalismo de causas femininas queria dar um exemplo de que «o nosso cérebro é preconceituoso por sistema» e acaba a aceitar o nepotismo

 «... um pai está a levar o filho para uma entrevista de emprego numa grande empresa da bolsa. Quando chegam ao parque de estacionamento da empresa, o telemóvel do filho toca. Ele olha para o pai, que lhe diz: "Força, atende." Quem lhe está a ligar é CEO da empresa, que lhe diz: "Boa sorte, filho, vai correr bem". O filho desliga a chamada e olha para o pai, que está com ele dentro do carro. Como é que isto é possível?

As caras intrigadas das pessoas que são questionadas (que pode ver aqui) mostram como o nosso cérebro já é preconceituoso por sistema, mesmo que não queiramos que ele o seja: considero-me feminista e mesmo assim falhei estupidamente, o que muito me envergonha. Na verdade, é extremamente simples: o CEO da empresa é a mãe do rapaz.

A jornalista de causas femininas que escreveu a newsletter da Tribuna do Expresso, de onde cito o excerto acima, pretendeu dar um exemplo do preconceito de quem não concebe uma mulher como CEO de uma empresa e, sem dar por isso, não questiona o nepotismo dessa mulher que procura dar emprego ao filho na empresa que dirige, como se o nepotismo de uma mulher o tornasse eticamente aceitável.

16/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (23) - Ineficácia, meias verdades, omissão de factos, nevoeiro estatístico

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-202070% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra

Após várias semanas de acusações da CE à  AstraZeneca alegando que não cumpria as entregas contratuais, em contratos tardia e pessimamente negociados, acrescente-se, vários países, incluindo Portugal, decidiram suspender a administração desta vacina por supostos feitos secundários nocivos, contra o parecer científico da European Medicines Agency que continua a garantir que a vacina é segura e que eventuais efeitos negativos são compensados pelos benefícios da imunização. Já foram administrados 7 milhões de doses na UE da vacina e só em poucas dezenas de casos se registaram sintomas que nem sequer há certeza de serem causados pela vacina. 

Apesar de não existirem evidências científicas que fundamentem a decisão, a DGS resolveu suspender a administração da vacina da AstraZeneca, da qual já tinha sido administradas em Portugal 400 mil sem efeitos nocivos conhecidos. Aliás, segundo o virologista Pedro Simas a vacina é segura e a própria DGS afirma que «estas reações são extremamente raras e no nosso país não foram reportados fenómenos semelhantes aos encontrados nos outros países».

Entretanto, o coordenador da task force já avisou que a suspensão da vacina da AstraZeneca atrasará a vacinação em duas semanas, o que poderia ser uma piada quando se sabe que nesta altura, decorridas 11 semanas, já temos um atraso superior a oito semanas em relação aos objectivos declarados pelo seu antecessor (média diária de 70 mil).

Disse ainda o sr. Almirante coordenador que vão ser mantidas em armazém as 200 mil vacinas da AstraZeneca  já entregues o que vem desfazer mais um rumor da falta de vacinas que a incompetência governamental fazia circular para justificar os atrasos: à média actual de 20 mil teríamos vacinas para 10 dias, sem contar com o stock de vacinas de Pfizer.

Ineficácia, meias verdades, omissão de factos, nevoeiro estatístico, cortesia do governo do Dr. Costa.

Se Mme Giroud ressuscitasse reconheceria que a igualdade entre homens e mulheres está próxima

No PSD, principal partido da oposição, a coordenadora das Mulheres Sociais-Democratas iniciou um processo de recrutamento via WhatsApp para "ajudar" a preencher uma quota de 40% de mulheres.  

Em Portugal as mulheres já são mais numerosas do que os homens em profissões socialmente prestigiadas como médicos (56%), magistrados (62%) e advogados (55%) e já estão em maioria (58%) nos diplomados pelas universidades o que à medida em que esses diplomados entrarem o mercado de trabalho aumentará a maioria feminina nessas e noutras profissões. 

Em termos comparativos as mulheres portuguesas já estão muito bem posicionadas na OCDE, como se pode ver nos gráficos seguintes.

Economist

Dirão, sim, está-se mais próximo da igualdade mas ainda há um longo caminho a percorrer. Longo? Depende da perspectiva. Em termos temporais, o Homo sapiens sapiens por cá anda há 300 mil anos e nos últimos 60 anos, desde que foi inventada e se generalizou a pílula e o aborto foi sendo liberalizado, as mulheres alcançaram ou sobrepuseram-se aos homens em muitos domínios onde no passado não estavam presentes. Foi uma grande vitória dirão. Depende da perspectiva, porque nesta competição pela igualdade as mulheres adoptaram os critérios e os valores masculinos de sucesso.

Chegados aqui está na altura de chamar Mme Giroud e aplicar o seu critério prático de igualdade. Para Françoise Giroud, jornalista e fundadora de L'Express, escritora, política francesa e feminista, a igualdade de oportunidades entre homens e mulheres seria alcançada quando uma mulher incompetente fosse preferida a um homem competente.

Se Mme Giroud ainda vivesse, suspeito que já teria concluído que em muitos países já falta pouco e em Portugal pode não faltar nada para se atingir a igualdade desse ponto de vista. Vejamos alguns exemplos recentes.

Olhemos, por exemplo, para o governo português com as suas 8 ministras e 16 secretárias de Estado que num governo geralmente incompetente em conjunto não se destacam pela competência, to say the least. Pelo contrário, algumas das governantes estão abaixo dos mínimos e poderiam facilmente ser substituídos por homens menos incompetentes. Há alguns casos terminais como as ministras da Coesão Territorial e da Agricultura ou a maioria das secretárias de Estado que vivem na quase clandestinidade. Certamente Mme Giroud, com o seu intelecto superior, concluiria que todas estas governantes foram preferidas a homens que poderiam ser mais competentes sem dificuldade.

Dirão, ah, mas isto é aqui no Portugal dos Pequeninos. Não, não é. Olhemos para a Comissão Europeia e o desastre da presidência (o fiasco negocial das vacinas é um paradigma de incompetência) por uma Ursula von der Leyen que, tendo sido uma ministra da Defesa que em tempos me pareceu aceitável, foi vítima do Princípio de Peter e podemos concluir ter sido preferida (ao que parece por uma jogada de Macron) a pelo menos meia dúzia de homens mais competentes.

15/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (22) - A coisa vista pela comentadoria do regime está a correr bem

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-202070% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra

O que dizer de um plano que se propôs atingir uma média diária de 70 mil e até agora está em 15 mil ou que se propôs vacinar 70% dos portugueses até ao fim do verão deste ano e ao ritmo actual já seria difícil atingir esse objectivo antes do Inverno do próximo ano? E o que dizer de um governo que está a executar esse plano? Pode dizer-se que é o plano é um fiasco, ou um falhanço, ou um flop e que o governo é negligente ou incompetente ou incapaz ou algo parecido.

Excepto se for um opinion dealer como o Dr. Marques Mendes que disse «Boas notícias cá dentro – A vacinação no terreno corre bem».

Crónica da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa (76) - Em tempo de vírus (LIII)

Avarias da geringonça e do país seguidas de asfixias

Este ano o dia 1 de Abril é o dia do Dr. Costa (por razões para além das óbvias)

O estado de emergência renovado no dia 11 terminará no dia 31 e não voltará a ser renovado. Depois disso o que se seguirá? Será o que o Dr. Costa quiser, porque ele já anunciou que quer «libertar-se dos decretos e da sua aprovação pelo Parlamento».

A família socialista tem imenso jeito para o negócio

Numa espécie de preliminar para o regabofe da bazuca, a família exercitou a sua capacidade extractiva e, em apenas três meses, processou sem visto prévio do Tribunal de Contas mais de dois terços dos 253 milhões de euros de contratos públicos ao abrigo do regime excepcional.

Onde é que já vimos antes cientistas comportamentais a ajudarem governos a massajar as meninges dos súbditos?

O Dr. Costa criou mais uma task force desta vez com «cientistas comportamentais para assessorarem o Governo em relação à melhor forma de passar a mensagem às populações sobre os comportamentos indicados para combater a pandemia de covid-19».

"Privados", uma espécie de idiotas úteis

Com uma enternecedora franqueza, o Dr. Pedro Nuno Santos confessou em privado o que ele pensa do papel dos "privados" na pessoa do accionista da TAP: «o que vai acontecer é que participação de Humberto Pedrosa vai-se transformar em pó». Não fora a providencial gravação feita pelo "privado" da Groundforce, contra o qual o Dr. Pedro Nuno se apressou a apresentar queixa, e as mentes mais débeis poderiam ficar em dúvida sobre o papel reservado aos "privados" pelo pedronunismo, uma variedade de socialismo talvez um pouco menos hipócrita.

Ridículo, disse ele

O Dr. Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros (interroguei-me por breves momentos porque não foi ainda criado um ministério dos Negócios Nacionais mas fez-se luz instantaneamente: os Negócios Nacionais estão repartidos por todos os outros ministérios) classificou como ridícula a notícia do Politico que enumerava várias despesas sumptuárias para uma presidência puramente formal que não terá eventos presenciais, como por exemplo um centro de imprensa que custou 260 mil euros para acolher jornalistas que nunca cá porão os pés.

14/03/2021

Como atrasar irremediavelmente o plano de vacinação? Resposta: um dia de cada vez (21)

Média diária desde o início da vacinação em 27-12-202070% da população vacinada no final de Setembro foi o objectivo definido pela ministra

Como se vê, continua tudo na mesma e a média móvel diária não descola dos 20 mil o que vai empurrando a conclusão da vacinação para as calendas gregas.
Mais difícil de perceber é a enorme variação dos números diários com o coeficiente desvio-padrão/média acima de 0,6, como se as vacinas fossem administradas por uma equipa de enfermeiros de geometria variável.

Há o hardware, há o software e há o vapourware. Há quem lhe chame unicórnio

A Outsystems é uma software house de origem portuguesa, com sede em Boston, que dispõe de uma plataforma de desenvolvimento de programas low code que permite criar novas aplicações de forma intuitiva, não requerendo programação convencional nem exigindo conhecimento especializado de uma linguagem de programação.

Como não divulga regulamente as contas, a última facturação conhecida da Outsystems é de 2018, ano em que atingiu 83 milhões de euros. Foi recentemente avaliada em cerca de 8 mil milhões de euros, o equivalente a mais de 5 vezes a capitalização bolsista da Sonae SGPS, isto é o valor que o mercado de capitais atribui à holding do grupo da família Azevedo

As empresas do grupo Sonae têm 40 vezes mais empregados, um volume de negócios mais de 70 vezes superior e lucros que representam 3 vezes a facturação da Outsystems. Tanto quanto se sabe, esta última não teve até agora resultados positivos. 

Usando o mesmo rácio valor da empresa/facturação, a mercearia aqui na minha rua, que deve vender uns mil euros por dia, valerá mais de 30 milhões de euros.

Mais do que uma software house, a OutSystems é uma espécie de vapourware house.

13/03/2021

A linguagem inclusiva como dialecto da novilíngua


Na coluna da esquerda exemplos da novilíngua orwelliana, na coluna da direita, 72 anos depois de Orwell publicar o seu 1984, exemplos da linguagem inclusiva na versão da universidade de Manchester

TAP, Unipessoal - o pedronunismo como receita para o desastre

«Lendo as notícias sobre a TAP no último mês, ela não parece ter apenas uma maioria de capital público. Não é também uma mera entidade pública com uma missão clara. Não é sequer uma empresa com gestores e trabalhadores. Antes, ela é uma delegação do Ministério das Infraestruturas e da Habitação. Quem acautela pelos créditos e garantias dados à empresa? O ministro Pedro Nuno Santos. Quem discute planos de reestruturação? Santos. Quem firma acordos com os sindicatos dos trabalhadores? Santos. Quem negoceia com os fornecedores? Santos. Quem revela quem será contratado para a Comissão Executiva? Santos. Quem discute o futuro do aeroporto? Santos. Dependendo do tema, Santos é credor, acionista, gestor, estratego, crítico... Hoje, na comunicação social, a TAP é Santos, e Santos é a TAP. (...)

Se olharmos para a TAP como um serviço público às ordens do ministro Santos, o acordo com os sindicatos faz sentido. Já da perspetiva de uma empresa que concorre num mercado privado, faz bastante menos.»

De quem é a TAP?, Ricardo Reis

12/03/2021

A grande diferença é que a Óropa não precisa de Trump para se entropiar, disse ela

«No todo, parece-me que as coisas estão a correr bem, na medida do possível. Acho que aprendemos a conviver com o vírus, o país está a funcionar. Bem sei que havia umas almas que achavam que os EUA não tinham feito nada de jeito quando o Trump era presidente, mas não é bem assim. Claro que a questão fulcral é que os americanos estão a funcionar apesar do Trump, mas os europeus, que não tiveram Trump nenhum, estão fartos de tropeçar em problemas.»  (Rita Carreira em Memphis)