Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/08/2015

Encalhados numa ruga do contínuo espaço-tempo (43) – O PREC do GES. Nada aprendem e nada esquecem

O furor nacionalizador está tão incrustado nas meninges comunistas que nem mesmo o desastre que foi a nacionalização do BPN, que era para não custar nada e o nada poderá ficar em 7 mil milhões, e muito menos o facto de a resolução do BES até ver ser da responsabilidade dos accionistas e credores subordinados e do sector financeiro, no que respeita à capitalização pelo Fundo de Resolução do Novo Banco (ver FAQ do BdP a este respeito), fazem o PCP desistir da ideia de nacionalizar o BES. O comité central (do PCP e não do BES que esse está desactivado) assim o decidiu e o camarada secretário-geral assim o anunciou.

Sem comentários: