Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

09/08/2015

CASE STUDY: bendita econometria (a confirmação)

Este é uma espécie de continuação do post de há 9 anos onde escrevi:

Segundo o modelo econométrico que os doutores Pereira e Jorge Andraz usaram no estudo "O impacto económico e orçamental do investimento em Scut" que acabam de publicar, por cada milhão de euros que o governo investir em infra-estruturas rodoviárias o efeito acumulado no PIB será de 18 milhões de euros, a longo prazo (quando todos estivermos mortos, como dizia o velho Keynes).

Ultrapassando a dúvida inconveniente que se poderia colocar a respeito dum país como a Irlanda que, não tendo praticamente auto-estradas, conseguiu em 20 anos passar de um PIB per capita igual ao português para praticamente o dobro, o modelo dos doutores Pereira e Jorge Andraz mostra claramente o auto-estrada para a convergência real.

Nove anos depois o multiplicador de Pereira e Andraz contribuiu para criar a 2.ª dívida pública mais elevada da UE e deu o resultado exemplificado no infograma da Visão (que mostra as AE do Sul incluindo as SCUT).

Clicar para ampliar

Para uma retrospectiva do que foram as SCUT, uma invenção de Cravinho apadrinhada por Guterres e continuada pela dupla Sócrates - Mário Jamais Lino, clicar a etiqueta CCUT.

Sem comentários: