Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

05/05/2015

Lost in translation (238) – Finalmente falaram em português entendível pelos sujeitos passivos

«O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) considera que "hoje, mais do que a viabilidade da empresa [TAP]", é o "regime de prestação de trabalho [dos pilotos] que está em causa". O SPAC tem em curso uma greve de 10 dias na TAP e na Portugália que começou a 1 de Maio.

Num comunicado datado de 3 de Maio, a que o Negócios teve acesso, onde faz o balanço da greve, o sindicato diz que existe uma "crescente viabilização de voos através de voos de instrução ou com tripulações compostas apenas por comandantes e membros da estrutura da empresa".

Esta circunstância, argumenta o SPAC, "revela ao futuro empregador que é afinal possível realizar parcialmente a operação com um número de pilotos reduzido, tornando o AE [Acordo de Empresa] dispensável e prejudicando gravemente todos nós, incluindo aqueles que agora a ele renunciam".»

Jornal de Negócios

Sem comentários: