Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/05/2015

Encalhados numa ruga do contínuo espaço-tempo (38) – O economês e o politiquês

«… economês … uma espécie de marxismo dos imbecis que é a determinação da política (superestrutura) pela infraestrutura (economia) em termos tão grosseiros que deixariam Marx coberto de vergonha e Adam Smith furioso com tanta ignorância», escreveu Pacheco Pereira em mais um manifesto contra a tirania da «inevitabilidade».

Inspirado nessa formulação, poderia escrever: politiquês ... uma espécie de marxismo dos ressabiados que é a determinação da política (superestrutura) pela política (superestrutura), uma espécie de pescadinha de rabo-na-boca, suportado pela inumeracia e servido por uma boa dose de esquizofrenia pesporrente.

Sem comentários: