Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

09/05/2015

Dúvidas (95) – Será a arte a continuação da política por outros meios?

Abriu hoje a Bienal de Veneza. Okwui Enwezor, um escritor e crítico nigeriano que caiu nas graças dos meios da arte politicamente correcta, é o curador do show principal «Todos os futuros do Mundo» com a presença de 136 artistas de 53 países com obras «denunciando» a finança internacional e a globalização.

Uma das mais importantes manifestações de «arte» decorrerá durante 7 meses com a participação de actores que lerão em voz alta os 4 volumes de «O Capital» de Karl Marx, incluindo as notas de pé de página.

Sem comentários: