Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

24/05/2015

ARTIGO DEFUNTO: Se ele o diz…


«Vou-lhe dizer uma coisa que eu aprecio: nunca houve tanta liberdade de imprensa como há hoje em Portugal. Governo nenhum desde o dr. Mário Soares… aliás, o dr. Mário Soares tem muito maus exemplos em matéria de liberdade (de imprensa). Isto é um mérito que tenho que reconhecer a este Governo. Há outros, como há outros defeitos.» (Marinho e Pinto em entrevista ao Observador)

Não é tudo mérito do governo. Há muito demérito do jornalismo de causas que infesta os mídia. A independência da parte desse jornalismo afecta às causas socialistas só se manifesta quando em S. Bento não mora um socialista. Quanto ao jornalismo de causas comunistas e berloquistas, esse ocupa-se a fazer cálculos para saber qual dos dois demónios é menos diabólico.

1 comentário:

Antonio Cristovao disse...

Acho que se exagera, apesar de que na base concordo. A qualidade quando aparece não tem nem tabus nem esquerda/direita. O Observador que as esquerdas caviar passam a apelidar de direita é o jornal mais bem escrito, com temas mais interessantes e tanto publica bons temas que podem ser arrumados dum lado como do outro. Pessoalmente só vejo dois lados : bem escrito e mal escrito