Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/05/2015

Dúvidas (97) – Finalmente a tão esperada revolta dos indignados?

Parece que não. É apenas a boçalidade dos lampiões. (DN)

Comentário ao comentário:

Tem Bruno Costa razão neste seu comentário. Não é a boçalidade dos lampiões. É a de alguns lampiões, como já foi de alguns dragões e de alguns lagartos. Julgo que os lampiões não são especialmente boçais. São mais os lampiões boçais porque os lampiões são em maior número. O meu ponto não era esse. O meu ponto são outros dois pontos. Ponto um: deve ser uma frustração para a esquerdalhada não conseguir excitar assim as massas; ponto dois: as emoções do futebol, aqui e noutros sítios, levam as massas excitadas à boçalidade.

4 comentários:

Bruno Costa disse...

Gosto muito do seu blog mas generalizar assim: "É apenas a boçalidade dos lampiões.", não é muito digno. O espaço é seu mas sempre achei que em blog sério não devia entrar futebol pois o nível desce sempre. Basta ver o exemplo dos chamados canais de "notícias" onde juntam três tipos supostamente inteligentes à volta de uma mesa a falar de futebol e só sai, lá está, boçalidade. Sou benfiquista de sofá e a última coisa que vi ontem antes de me deitar cerca das 11H45M foi um policia à bastonada numa família de pai, avô e duas crianças. Foi o suficiente para desligar a televisão e ir para a cama.

Bruno Costa disse...

Obrigado pela resposta que ajudou muito a compreender a sua intenção. Totalmente de acordo!

Lufra disse...

Provavelmente a maioria dos "boçais" não são lampiões, nem lagartos ou dragões, são bocais, arruaceiro, ladrões e carteiristas profissionais e que até tem um kit de camisolas e cachecóis para trocar conforme as conveniências, e até há os que usam fardas!

Anónimo disse...

Isto é como a história das religiões. É sempre uma minoria que faz isto e aquilo. Todas as religiões são pacificas mas há sempre uma que insiste em ter o nome banhado em sangue.
Nos aficionados de qualquer clube também há sempre muito imbecil, mas existem uns específicos que insistem em ter na sua história os registos de maior violência.
Não vale a pena dizer que são todos iguais porque não são. Da mesma forma que o PSD não é igual ao PS em corrupção e compadrio, o Benfica não é igual ao Porto e Sporting no que diz respeito à violência dos seus adeptos. O Benfica é hoje (depois de tantos episódios) um clube extremamente violento.
Os Muçulmanos dizem que apenas uma minoria dos Muçulmanos é violento, mas a verdade é que não só não conseguem eliminar essa minoria como têm dificuldade em repudiar os actos violentos perpetrados por outros Muçulmanos.
A história dos adeptos do Benfica é igual e é exactamente por isso, que hoje só se fala daquele polícia em Guimarães e se esquece tudo o resto.
Aliás ao contrário do Porto Sporting e Guimarães cujos actos violentos estão sempre relacionados com as claques. A violência por parte de adeptos do Benfica acontece muitas das vezes fora do âmbito das claques (embora as claques do Benfica tenham alguns dos piores criminosos Portugueses e tenham repetidamente actuado de forma violenta e criminosa).

É preciso acabar com este branqueamento, e que se torne consciência nacional que assistir a um jogo do Benfica ou a uma festa benfiquista é cada vez mais um acto de risco extremo. É preciso que se perceba que levar um filho a um jogo do Benfica (seja em que modalidade for) ou a uma festa do Benfica significa colocar em risco a vida da criança.