Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

25/02/2015

Um dia como os outros na vida do estado sucial (22) – Afinal há gente preocupada com a privacidade nas escolas

Apesar das imensas dúvidas quanto à capacidade do ensino público, encalhado nos parâmetros sindicais do Partido Comunista, se adaptar, com esforço ainda consigo perceber a lógica de substituir o chumbo ou reprovação escolar, agora rebaptizado, segundo o processo de reforma semântica em curso (PRSC), de retenção, por uma «espécie de “transição condicionada” – ou seja, o aluno passa, tendo no ano seguinte um apoio suplementar nas disciplinas em que revelou maiores dificuldades».

Ultrapassa-me o propósito de outra das medidas recomendadas pelo Conselho Nacional de Educação: acabar com obrigatoriedade «de afixação pública e obrigatória das pautas com notas individuais e nominais» nas escolas.

1 comentário:

JSP disse...

E ainda há almas pias,imbuídas do "espírito do bem comum e da caridade cristâ" que se interrogam do porquê do nosso secular , e atávico, atraso "no concerto das nações"...