Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/02/2015

Chávez & Chávez, Sucessores (28) – HSBC, banco do socialismo chávista

Clicar para ampliar
«No período em que o reeleito presidente Hugo Chávez se declarava socialista e aumentava seu programa de nacionalizações, entre 2005 e 2007, o Governo da Venezuela mantinha depósitos no valor de 12 bilhões de dólares (33,2 bilhões de reais, pelo câmbio atual) em quatro contas do HSBC Private Banking na Suíça, já na época questionado por sua opacidade e por dar cobertura a sonegadores de impostos. A informação consta na chamada Lista Falciani, a relação de clientes da filial suíça do HSBC que o especialista em informática Hervé Falciani obteve em 2010 e que agora foi revelada graças a uma investigação jornalística internacional, liderada pelos jornais Le Monde e The Guardian, numa parceria com o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, que conta com a participação de 140 repórteres de 45 países.» (El País do Brasil, via Com jornalismo assim, quem precisa de censura?)

Será o entranhado desvelo com que o jornalismo de causas vê o socialismo chávista que explica os nossos mídia (com excepção do Observador) terem ignorado uma notícia com mais de uma semana?

E, por falar nas realizações da revolução socialista versão chávista, vejam-se os diagramas aqui ao lado e leia-se o ponto de situação da Economist: «The revolution at bay».

Sem comentários: