Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

14/02/2015

Pro memoria (223) - Não deitemos fora a criança com a água de a lavar

O facto de a frenética eurodeputada Ana Gomes, a pasionaria do Rato, ser uma espécie de metralhadora desgovernada que gasta a sua reduzida pontaria a atirar sobre tudo quanto mexe não nos deve levar a descartar todas as suas actividades bélicas.

O «Tiro ao Portas», como lhe chama a Visão, pode ser que tenha, e tem certamente, várias pistas falsas, mas algumas merecem uma investigação. Por exemplo o «súbito afluxo financeiro que bafejou o CDS, (a) sucessão de 105 depósitos em numerário (no total de 1 060 250 euros) nas contas do CDS-PP, no BES, em dezembro de 2014», dinheiro depositado por personagens fictícias (algumas delas com apurado sentido de humor, como o célebre Jacinto Leite Capelo Rego), cujo rasto leva até aos submarinos.

Sem comentários: