Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

27/02/2015

CASE STUDY: O homem providencial para o Estado Previdência (10)

(Outros feitos do homem providencial)

Depois de o jornalismo de causas socialistas ter escamoteado durante quase uma semana o surto de sinceridade que atacou o ungido quando falava aos investidores chineses, agradecendo-lhe estarem a comprar as pratas desta família arruinada que é o Portugal Socialista e concedendo distraidamente que o país está numa situação «bastante diferente daquela que estava há 4 anos atrás», desabou sobre o pobre Costa um coro de protestos dos seus correligionários do PS e de quase todo o resto da esquerdalhada e outro coro de piadas por parte de luminárias afectas a governo.

Coros que, sendo difícil de acreditar, chegaram até à Reuters e suscitaram do ungido uma vasta soma de explicações incluindo um SMS enviado aos sócios do PS.

É pena. Tudo isto é muito triste. Quando um homem resolve interromper momentaneamente a gestão de prudentes silêncios entrecortados com discursos de vacuidades e ilusões, cai-lhe o mundo em cima. Não está certo. É um péssimo incentivo.

Sem comentários: