Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

14/02/2015

DIÁRIO DE BORDO: Como o justicialismo degenera (outra vez) em oportunismo e falta de princípios (VIII)


aqui se fez referência a umas trapalhadas de Íñigo Errejón, «um dos fundadores e ideólogos do Podemos e o estratega da campanha que levou Pablo Iglésias e mais quatro ao Parlamento Europeu» e actual secretário político.»

Agora é a vez de outro fundador do Podemos estar envolvido em evasão fiscal. Trata-se de Juan Carlos Monedero que «criou uma empresa instrumental em 2013 para facturar 425.150 euros por trabalhos realizados três anos para os governos de Venezuela, Bolívia, Nicarágua e Equador». (El Mundo via Com jornalismo assim...)

Não é extraordinário um partido disfarçado de objecto político não identificado que vive a apontar o dedo acusador à «descomposición política y moral de las élites tradicionales, con la corrupción» consiga ter os seus dirigentes corrompidos ainda antes de chegarem ao poder?

Sem comentários: