Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/02/2015

LASCIATE OGNI SPERANZA, VOI CH'ENTRATE: Respeitai o luto da esquerdalhada

Os últimos meses não têm trazido boas notícias para a esquerdalhada doméstica.

É a vaga de fundo que tarda em empurrar para S. Bento o ungido, que apresenta sondagens que teriam servido para humilhar o Calimero Seguro se ele ainda por aí andasse.

É o salvífico candidato a Belém que tarda em aparecer.

São os diktats do esquerdismo infantil desengravatado do Syriza coligado com o direitismo senil do Anel que tardam em impressionar os dirigentes europeus engravatados.

E é agora a confirmação, se precisa fosse, de mais uma traição do PS francês, que não tardou, pela mão de Hollande e Manuel Valls ao retirarem do parlamento para votação o pacote de reformas de liberalização económica que vai ser aprovado hoje (quinta-feira) pelo governo francês.

Decididamente, os amanhãs tardam em cantar.

Sem comentários: