Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/08/2013

Mitos (123) – O TARP foi a socialização dos prejuízos (4)

Outros exemplos do mesmo mito: (1), (2) e (3)

Recorde-se que, para a esquerda europeia, o TARP (Troubled Asset Relief Program) foi montado pela administração Bush para salvar a bolsa dos capitalistas da economia de casino.

Depois de mais de um ano a ter resultantes trimestrais superiores a USD 10 mil milhões, a AIG anunciou recomeçar a pagar dividendos e comprar acções próprias pela primeira vez desde 2008, quando foi intervencionada pelo governo americano que tomou uma participação de 80%, entretanto já vendida com mais-valias.

Atravessando para o outro lado do Atlântico, também se ficou a saber que o UKAR, o bad bank com os activos tóxicos de outros bancos ingleses intervencionados devolveu mais 1,9 mil milhões de libras atingindo o total devolvido 6,6 mil milhões de libras dos 48,7 mil milhões que o governo inglês injectou. Segundo o seu CEO, o processo de devolução irá continuar e estará terminado em 10 anos.

Sem comentários: