Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

10/08/2013

Bons exemplos (66) – Foram muitos os pecadores e só dois confessaram

Até hoje, que me lembre, de entre a multidão de criaturas que passaram pelos 25-governos-25 que nos desgovernaram nos últimos 39 anos e, portanto, responsáveis em doses variáveis pelo estado actual do país, só duas assumiram alguma parcela de responsabilidade por terem feito o que prometeram não fazer ou porque não fizeram o que prometeram fazer: António Guterres, primeiro-ministro do XIV governo, numa entrevista na RTP o ano passado e Miguel Frasquilho, secretário de estado do Tesouro do XV governo, numa entrevista no Económico publicada ontem, onde admitiu não ter o governo de Durão Barroso cumprido o prometido – referia-se apenas à redução de impostos.

Por isso podemos concluir, sem grande margem de erro, que qualquer dos outros mais de mil sujeitos que passaram por um ou mais desses 25 governos ou não perceberam os malefícios de que foram cúmplices ou não têm em grande consideração as vítimas desses malefícios.

Sem comentários: