Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

11/08/2013

As minhocas não são todas iguais. Há umas que se vêem melhor do que outras

Minhocas? Quais minhocas?
«No caso BPN mexe-se na terra e sai minhoca por todo o sítio», concluiu Cândida Almeida, antiga responsável do DCIAP, antiga membro da Comissão de Honra da candidatura de Mário Soares à Presidência da República e actualmente colocada no STJ (where else?).

Saúde-se a visão de águia que agora vê tanta minhoca e nos seus tempos de procuradora não viu uma única a sair de casos como o diploma da UI, projectos na câmara da Covilhã, Cova da Beira, compra dos apartamentos do Héron Castilho, Freeport, Face Oculta, TVI, Taguspark-Figo.

1 comentário:

Anónimo disse...

É para casos destes que existem oftalmologistas especializados. Para se ver minhocas em vez de crimes.
Coitada da Senhora. Após a morte do excelente profissional que foi seu marido, nunca mais se endireitou.
E porque não uns bons psychiatras para os nossos justiceiros doentes.
E, já agora, também assoprarem no balão? Que isto de análises ao sangue não é de fiar. Lá diziam os antigos que nas veias e nas artérias circulava o ar.