Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

11/03/2011

CAMINHO PARA A SERVIDÃO: Quando o privado é público e o público é privado

O que se pode dizer dum regime com um Tribunal Constitucional que assiste passivamente ao incumprimento por um bom número de apparatchiks, ocupando sinecuras de lugares políticos e de gestores de empresas públicas, das regras legais de declaração dos rendimentos e dá instruções ao Ministério Público para propor acções no Tribunal Administrativo exigindo essa declaração a dois administradores privados que representam accionistas privados duma empresa cotada na bolsa?

A empresa é a REN e os administradores em causa são Filipe de Botton, presidente da Logoplaste, Manuel Champalimaud, dono da Gestfin, e Luís Atienza Serna, presidente da Red Eléctrica de España e renunciaram ao cargo.

Sem comentários: