Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

24/12/2013

CASE STUDY: Se não morreu da falta de regulação pode morrer do excesso (2)

aqui tinha colocado em dúvida o mito da falta de regulação da economia americana usando o exemplo da lei Dodd-Frank de 2010, inspirada pela falência do Lehman Bros, que com 848 páginas é 23 vezes mais extensa do que a lei Glass-Steagall que reformou o sistema financeiros após o crash de 1929.

A esse exemplo pode agora acrescentar-se o da chamada lei Volcker que está em vias de ser aprovada com as suas 963 páginas (incluindo um preâmbulo com os comentários resultantes da consulta pública), 2.286 notas de rodapé e 1.347 questões. Toda esta pletora de legalês tem como o único propósito impedir que os bancos pratiquem o «proprietary trading», isto é especulem nas bolsas no seu interesse com o dinheiro dos depositantes.


Muitos colocam em dúvida a bondade desse propósito. Dou de borla, acrescentando que de pouco deve servir se o governo americano através do Fed continuar com a impressora a trabalhar no «quantitative easing» para fabricar a próxima bolha, da qual já existem sérios indícios.

2 comentários:

JSP disse...

A visita habitual, mas com dupla intenção : o prazer da leitura diária - e a utilização da sazonal "fórmula" consagrada , "Bom Natal, e que, ao longo de 2014, nos continuemos a "encontrar" regularmente".
José J.Pereira.

Impertinente disse...

Esperamos continuar a ter o prazer da escrita diária e a agradecer-lhe o prazer da leitura diária.
Bom Natal e Bom Ano