Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/12/2013

Pro memoria (151) – De Semper idem para Semper mutandis. Agora é oficial.

Uma sequela deste e deste posts.

«O discurso de Pacheco Pereira é exactamente o contrário do que dizia há 20 anos!»

Miguel Sousa Tavares, na conferência promovida pelo Expresso «O jornalismo (que temos) é útil à democracia?», aproximando-se perigosamente das teses de uma certa bloguilha ultra-neoliberal.

Como escreveu com propriedade um comentador anónimo, «pela boca morre o Peixeco»

2 comentários:

Anónimo disse...

Fui eu o comentador anónimo. Obrigada!

Anónimo disse...

Mas eu acho aquela "é muito para um homem só" ainda mais inspirada!