Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/12/2013

Bons exemplos (75) – Nostra Culpa, Nostra Culpa, Nostra Maxima Culpa, reconheceu ele por outras palavras (II)

Complemento de Bons exemplos (74)

Sabe-se lá porquê, pelo menos um jornal (o DN), citou uma versão diferente da frase de Teixeira dos Santos dita na entrevista ao negócios quando se referia ao processo de reformas em curso que «devia ter sido feito há 14 anos».

Na versão do DN, Teixeira dos Santos teria dito: «devia ter sido feito há 12, 13, 14 anos atrás». Esta pequena diferença vai meter no saco dos governos que deveriam ter feito e não fizeram as reformas necessárias não apenas uma pequena parte do último ano do XIII governo (do qual Teixeira dos Santos foi SE Tesouro) mas igualmente o XIV governo de Guterres por inteiro (do qual por coincidência Teixeira dos Santos já não fez parte) que tomou posse há 14 anos em Outubro de 1999 e terminou o mandato em Abril de 2002 por fuga do «pântano» do seu líder animador há 11 anos e meio.

Se for como escreve o DN, Teixeira dos Santos terá feito o que sabe fazer melhor (fugir com o rabo à seringa), substituindo uma mea culpa por uma nostra culpa da qual ele modestamente se isenta quase por completo.

Sem comentários: