Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

31/12/2013

Chávez & Chávez, Sucessores (16) – A realização do ano

Segundo a ONG Observatorio Venezolano de Violencia, citado por El Comercio, o número de mortes violentas na Venezuela em 2013 foi estimado em cerca de 25 mil ou 79 por cada 100 mil, a terceira taxa mais alta do mundo. O número foi estimado pelos investigadores de sete universidades que integram o OVV porque o chávismo fabrica as suas estatísticas de causas.

Desde o início do chávismo em 1998 a taxa de homicídios passou de 19 a 79 por mil, pelo que, embora em concorrência apertada com outras realizações do regime, resolvo nomear as mortes violentas como a principal realização do chávismo este ano, quiçá dos últimos 15 anos.


1 comentário:

Unknown disse...

Se gostam de olhar e ver mais que a fé, basta ler a imprensa venezuelana para entender de onde vem tanto odio.tambem ajuda acompanhar a linguagem e argumentação dos contendores nas eleiçoes para perceber como os politicos sãopor vezes os inimigos da convivencia.
A imprensa e Capriles são dominados pelos americanos/ingleses e interesses que têm perdido todas as eliçoes para o chavismo.