Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

01/12/2013

Lost in translation (194) – Abusivo significa o que eles quiserem

Um trio composto pelo controleiro da CGTP, por um camarada deputado do PCP e por um camarada deputado do BE, acolitados por uma dúzia de camaradas dos CTT tentaram impedir a saída os camiões do centro de distribuição de Cabo Ruivo durante a noite do dia de greve e tiveram que ser afastados pela polícia de intervenção enquanto encenavam uma resistência passiva para os jornalistas de causas casualmente presentes.

O trio comandante da tentativa de obstrução a quem queria trabalhar, protestou em newspeak contra o «acto de coarctar a liberdade» e o «uso abusivo de força». O camarada Arménio dirigiu-se ainda aos camaradas polícias em sindicalês com palavras simples e pedagógicas adequadas ao intelecto dos camaradas polícias: «Tenham calma, ponham-se lá no vosso sentido. Qual é o problema de segurança aqui, pá? Não se virem contra aqueles que estão do vosso lado, pá. Virem-se contra aqueles que estão do outro lado, que vos exploram, que vos cortam os salários, pá. As pensões, pá. Ainda não perceberam isso?».

3 comentários:

Anónimo disse...

Com tantas pázadas o tio arménio já deve ir a meio da cova/tumba. O jorginho, a quem valeu a ascendência hebraica, é que foi aconselhado a tempo para parar com pás.
eao

Anónimo disse...

PS: (lagarto, lagarto) — são todos uns pulhas.
eao

jsp disse...

Resumindo : o Mé-Mé comuna bale, mas o rebanho passa...