Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

15/12/2013

Pro memoria (153) – O choque com a realidade do carro eléctrico de Sócrates (II)

Pelos vistos nem só o carro eléctrico de Sócrates chocou com a realidade. Também o Acção Socialista Expresso parece um pouco perdido.

Se é verdade que estão completamente furados os planos socráticos de em 2020 haver 180 mil carros eléctricos e 25 mil locais de carregamento, o  Expresso que inventariava há 3 meses 1.100 pontos de carregamento e 400 veículos, no ontem inventariou 1.300 pontos de carregamento normal, 50 pontos rápidos, postos que terão custado 15 milhões, e 426 carros eléctricos vendidos desde 2010 sendo 140 este ano até Outubro.

Também ficámos a saber que desde 2010 foram feitos 27 mil carregamentos - o que dá 555 euros de investimento por carregamento, so far - nos 1.300 pontos, equivalentes a 7 carregamentos por ponto e ano ou um carregamento em cada 52 dias.

Quando um socialista/keinesyano vos tentar converter à bondade do investimento público e para mais decidido por gente com o currículo do engenheiro José Sócrates, se não vos ocorrer os muitos outros casos de desperdícios dos dinheiros públicos extorquidos dos bolsos privados, lembrai-vos ao menos do carro eléctrico.

2 comentários:

Anónimo disse...

e o preço dos carros?se tirarmos ás vendas os carros comprados pelo estado ou autarquias quantos ficam?

Anónimo disse...

e o preço dos carros?se tirarmos ás vendas os carros comprados pelo estado ou autarquias quantos ficam?