Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/12/2013

CAMINHO PARA A SERVIDÃO: A política da canhoneira na versão Kremlin

Porque suspendeu a Ucrânia as conversações com a União Europeia uma semana antes da cimeira de Vilnius em que estava prevista a assinatura do acordo de associação?

O ministro sueco dos Negócios Estrangeiros Carl Bildt twitou a resposta:
«Ukraine government suddenly bows deeply to the Kremlin. Politics of brutal pressure evidently Works».
A pressão brutal consistiu em embargos pelo governo do czar Putin que reduziram o comércio externo da Ucrânia em 25%. O governo de Yanukovych estimou em 15 mil milhões de dólares as perdas potenciais resultantes das medidas russas.

Como quer que seja, é duvidosa a vontade do governo de Yanukovych de se aproximar da UE. Como pitorescamente descreve a Economist, a opção favorita de Yanukovych é sacar dinheiro à Rússia para pagar a suspensão da integração na UE, sendo certo que as suas preferências e as da sua clique aproximam-no muito mais do czar Vladimir do que de Durão Barroso ou de Van Rompuy.

Sem comentários: