Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/12/2013

Pro memoria (152) – Mais nódoas para o currículo do ministro anexo

Se João Rendeiro, antigo presidente do Banco Privado Português, estiver a falar verdade, o Banco de Portugal «não só conhecia como sempre consentiu na comercialização das estratégias de retorno absoluto com garantia de capital». Estas «estratégias» não só foram uma das causas do afundamento do BPP como em boa verdade são operações com taxa garantida que só poderiam ser feitas por seguradoras.

Como tudo isto se passou durante o mandato 2000-9 do ministro anexo Vítor Constâncio, agora em repouso em Frankfurt, se isto for verdade, são mais umas nódoas para o currículo do ministro anexo.

Sem comentários: