Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

30/09/2011

CASE STUDY: a Madeira como região de culto (5)

[Sequela de (1), (2), (3) e (4)]


O Bokassa das Ilhas é um verdadeiro, honesto e corajoso socialista capaz de dizer o que os socialistas envergonhados não ousam. Ouçamo-lo no comício-jantar no Arco da Calheta:

«A minha política é para as pessoas. Não estou a fazer política para contabilistas, para a troika, para agradar a União Europeia, que vai por caminhos errados e que está a suicidar-se. Tenho orgulho de ter feito dívida. Abençoada seja a dívida. A dívida está aí. Foi posta ao vosso serviço, para a dignidade de cada homem e de cada mulher.»

Está lá tudo. A bondade do investimento público, a obra feita, a dívida virtuosa, o primeiro as pessoas, o povo, o desprezo pelos contabilistas. E com uma cereja no topo do bolo: em vez de aumentar a carga fiscal dos seus súbditos, como fazem os socialistas envergonhados, tem conseguido trespassar esse aumento para as costas dos cubanos à responsabilidade dos socialistas envergonhados do PS (e do PSD). O homem é um génio.

Sem comentários: