Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/10/2016

Um governo à deriva (28) - O mundo é composto de mudança ou o socialismo, o crescimento, a austeridade e o bater o pé a Bruxelas é o que o Costa precisar

Continuação por outras palavras deste post.

Roubando as palavras de Rui Ramos no Observador:

«O mundo é mesmo feito de mudança. Não foi há séculos, mas há uns meses que António Costa nos persuadia de que fazer crescer a economia era mais importante do que tratar das contas públicas. Ei-lo agora a exigir ser julgado unicamente com base na meta do défice negociada com Bruxelas. Também não foi há séculos, mas há uns meses, que Costa e os seus mentores nos ensinavam que o verdadeiro caminho da prosperidade era o consumo doméstico. Ei-los agora a falar de exportações. É a governação em zig-zag, com uma doutrina que muda conforme os relatórios do INE.»

Que me perdoe Rui Ramos, não é governação em zig-zag, não é incoerência. É a governação em linha recta - a recta do prolongamento da vida política de Costa - e é a coerência de sacrificar a esse prolongamento as ideias, os princípios políticos e, sobretudo, os interesses do país.

Sem comentários: