Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

30/06/2014

Pro memoria (180) - Pela boca morre o peixe

«A lamentável comédia no seu banco pôs em causa a credibilidade do sector e do país» disse Ricardo Salgado em 2009 a Filipe Pinhal por alturas do assalto ao BCP, orquestrado pelo governo Sócrates com cumplicidades e financiamento dos Espíritos e consumado com a ocupação da administração por Santos Ferreira, vindo da Caixa que também tinha financiado o assalto da Caixa, e por Armando Vara, um paradigma da relação promíscua e corrupta entre política e negócios.

Se Ricardo Salgado tiver um módico de vergonha a esta hora estará a ordenar ao seu pelotão de advogados para requerer o apagamento do seu passado nas bases de dados do Google, Bing, Yahoo, Lycos, etc.

(Recordado por José António Lima, no SOL)

Sem comentários: