Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/06/2014

Pro memoria (173) – Poderá o PCP fazer de UDP para o trotskismo em vias de extinção? (ADENDA)

Depois do que escrevi aqui sobre os desejos de acasalamento contra natura do trotskista Francisco Louçã com o estalinista Jerónimo de Sousa, o casal dirigente do Bloco de Esquerda, Catarina Martins e João Semedo, escreveu no Pravda Público uma «Carta às esquerdas» onde propõe um casamento de mão esquerda (*) poligâmico ao PCP.

«Comam-nos» sumarizou Joaquim Couto o apelo da carta. Sumário comentado por um anónimo que acrescentou «quem os comeu foi o Sócrates que os deixou sem agenda fracturante».

(*) Casamento morganático (direito alemão), união entre uma pessoa da nobreza e uma pessoa de condição inferior, a quem não se transmitem as prerrogativas do cônjuge, nomeadamente direitos sucessórios.

Sem comentários: