Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

15/07/2013

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (70) - José Sócrates defende que o PS não deve concordar com o que ele assinou

Recorde-se aos mais desmemoriados que JS assinou em Abril de 2011 um memorando de entendimento com medidas de austeridades mais duras do que as adoptadas pelo governo PSD-CDS, particularmente no que respeita à redução da despesa, redução dos salários e pensões e despedimentos na função pública. Aliás, é por isso que as medidas ainda necessárias parecem agora mais duras, apenas porque não foram tomadas antes, como deviam.

Quando JS, o principal responsável pela inevitabilidade do resgate, «recomendou» ontem ao PS insultando a pouca inteligência do seu líder para não aceitar um acordo «depois das medidas anunciadas, das medidas estabelecidas», está a dizer por outras palavras para o PS não cumprir o compromisso que ele assumiu.

1 comentário:

Anónimo disse...

Tem desculpa: assinou sem ler. Se calhar o texto era em inlgrês ténico...
neves