Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/07/2013

BREIQUINGUE NIUZ: Les bons esprits se rencontrent

Exemplos deste adágio:

Os amantes da liberdade que denunciam os seus atropelos ou abusos pelo Grande Satã acabam por se acoitar em paraísos da democracia como a Rússia ou o Equador.

As democracias populares ajudam-se umas às outras, como Cuba ao enviar armas para reparação na Coreia do Norte – preço a pagar em açúcar.

Por vezes, até as almas gémeas podem zangar-se, como foi o caso de Dilma Rousseff que não gostou que Evo Morales tivesse violado a imunidade de um avião militar com o ministro brasileiro da Defesa em 2011 mandando inspeccioná-lo para verificar se transportava um senador boliviano que acusou Morales de corrupção. Ao fim ao cabo, uma estória comparável à dos protestos do mesmo Morales por não o deixarem aterrar por suspeita de transportar o amante da liberdade que pediu asilo político ao referido paraíso russo.

Sem comentários: