Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/07/2013

Bons exemplos (64) – António Horta-Osório, o desalinhado


Ainda uma outra vez mais, a pretexto do Euromoney Award for excellence, o (Im)pertinências distingue AHO pelo seu desempenho. Recorde-se que quando AHO foi CEO do Totta Santander era conhecido no huis clos bancário como o «homem dos espanhóis» devido ao notório desalinhamento com o quarteto da banca do regime. Não certamente por acaso, o Totta Santander foi considerado o melhor banco em Portugal.

Sem comentários: