Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/07/2013

BREIQUINGUE NIUZ:O BE pretende acabar com os bancos, as seguradoras e a segurança social?

Antigamente o esquerdismo pretendia nacionalizar o sector financeiro. Hoje pretende acabar com ele, como resulta desta proposta de recomendação à Assembleia da República para a renegociação da dívida.

Não contentes com isso, os berloquistas pretendem acabar também com o Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social (FEFSE) cujos activos já são constituídos em boa parte por dívida portuguesa e, conforme o último despacho de Vítor Gaspar, ainda devem aumentar em 4 mil milhões até 2015.

É o que resultaria da renegociação proposta pelo BE que afectaria os cerca de 70 mil milhões de dívida pública nas mãos portuguesas (35% do total segundo o Deutsche Bank, citado pelo FT), essencialmente o sector financeiro e o FEFSE.

Adenda:
Não só os berloquistas pretendem acabar com o sector financeiro e a segurança social. Os comunistas não quiseram ficar atrás e defendem o mesmo.

Sem comentários: