Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

13/07/2013

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Ditadura do proletariado

«A empresa (Carris) dispõe nas suas instalações de barbearias apetrechadas para uso exclusivo e privativo dos seus trabalhadores, incluindo reformados. Contudo, a própria Comissão de Trabalhadores já apresentou uma proposta à administração da empresa no sentido de converter as instalações da barbearia numa sala de refeições. Também os representantes sindicais já apresentaram uma proposta, no sentido de se proceder ao encerramento das barbearias, em troca de um pagamento no valor de 12 euros a cada trabalhador, visto este serviço não ser utilizado internamente». (Económico)

«A conduta do trabalhador de atirar as chaves para cima da mesa e entregar a farda depois de confrontado com condutas suas irregulares, sai do trabalho e não mais comparece, não vale como denúncia tácita do contrato de trabalho, pois não manifesta a vontade inequívoca de denunciar o contrato.» (Acórdão de 3 de Junho de 2013 do Tribunal da Relação do Porto)

1 comentário:

Anónimo disse...

Os tribumais (minúsculas) são aquela m. porque estão nas mãos duns analfa betos analfa brutos, umas bestas, tour court.
eao, muito triste