Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

30/06/2016

DIÁRIO DE BORDO: I have concluded that person cannot be me

Não sou fã de Boris Johnson, não aprecio o seu estilo truculento e repentista e não concordo com muitas das suas ideias. O que não me impede de admirar a honestidade da declaração que fez a anunciar a sua não candidatura a líder dos Tories:

«Last week, the people of this country voted to take a new path and a new direction for Britain, in a decision that I passionately support. It is vital now to see this moment for what it is.  This is not a time to quail, it is not a crisis, nor should we see it as an excuse for wobbling or self-doubt, but it is a moment for hope and ambition for Britain. A time not to fight against the tide of history, but to take that tide at the flood, and sail on to fortune.

Having consulted colleagues and in view of the circumstances in Parliament, I have concluded that person cannot be me.»

2 comentários:

Anónimo disse...

Falta parte do seu falar, aí pelos 20 deg, onde se percebe que as gentes esperam um PM. E que ouvindo os seus colegas...

Abraço

Anónimo disse...

20 seg, sorry