Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

21/12/2014

Pro memoria (215) – A privatização da TAP e o défice de memória de Costa (II)

Continuação de outro défice.

«Nesta altura do campeonato já toda a gente sabe que, da última vez que houve urna requisição civil na TAP, António Costa fazia parte desse Governo - era um dos pivôs do combate politico por parte do Executivo no Parlamento, como secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares. Mas essa não foi a única vez que um Governo integrado pelo atual lider do PS decidiu recorrer a essa f6rmula extrema, rotulada pelos sindicatos como um ataque ao direito a greve. Por sete vezes os Governos de Ant6nio Guterres e de Jose Sócrates, onde Costa foi tendo cargos progressivamente mais relevantes, optaram pela requisição civil perante greves. lsto, sem contar com outra requisição, decretada pelo governo regional dos Açores - onde não estava António Costa, claro, mas que era dirigido por Carlos Cesar, o recém-eleito presidente do PS (nesse caso, no ano 2000, o alvo foram os pilotos da SATA).» (Expresso)

Sem comentários: