Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/06/2012

Presunção de inocência ou presunção de culpa? (5)

Continuação de (1), (2), (3) e (4).

João Cabral, engenheiro civil que trabalhou na Smith & Pedro, depois de ameaçado com multa por omitir factos, confirmou em tribunal a existência de pagamentos de luvas a «alguém importante» para a viabilização do projecto Freeport. João Cabral declarou ainda que uma quantia de dois milhões de contos ou de libras terá sido pedida pelo trio de advogados. Esta quantia na madrugada seguinte foi reduzida para 1,25 milhões de contos.

Como o projecto foi chumbado dessa vez, ficam as dúvidas de quanto terá sido pago posteriormente para a aprovação e quem seria o «alguém importante». Será o Pinóquio de que falou Charles Smith, cujo bom nome está a ser protegido pelo Mefistófeles lusitano? Já que falo nisso, será que o Mefistófeles, depois da sua recente nomeação para homem da cadeira da Cimpor, continuará a ter tempo para representar o Pinóquio?

Sem comentários: