Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/06/2012

DIÁRIO DE BORDO: A revolta dos pastéis de nata

O serviço da dívida de 78 mil milhões à troika, isto é amortizações e juros, sem contar com o resto da dívida, deve atingir em média anual uns dez mil milhões ou cerca de 6% do PIB durante 10 anos.

Como chegámos aqui, isto é aos cerca de 200 mil milhões que dentro de alguns anos a dívida atingirá, segundo estimativas optimistas? Perguntareis. A resposta é estupidamente simples: 14 milhões em média por dia durante uns 40 anos!

Qual a solução? «Portugal precisa de se revoltar para recuperar a sua economia, a sua dignidade e a sua vida» vociferou ontem o tele-evangelista Francisco Louçã. Também acho que se deve revoltar. Só não sei contra quem.

Contra quem? Assinalar com uma ou várias cruzes:

Sem comentários: