Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/06/2012

CASE STUDY: Pescadinha de rabo na boca

Apesar de Joseph Stiglitz não fazer parte dos economistas de referência do (Im)pertinências, por aqui tentamos olhar mais para o quê, do que para o quem. E, por isso, concordo com a conclusão de Stiglitz sobre o plano de resgate da banca espanhola poder ser pior emenda do que o soneto.

«Se o governo espanhol resgata os bancos e a banca resgata o governo, o sistema converte-se numa economia vudu. Não está a funcionar e não funcionará», diz Stiglitz. Tem razão.

É o mesmo risco da recapitalização dos bancos portugueses com o dinheiro do governo emprestado pela troika que pode e, possivelmente, vai ser usado, pelo menos em parte, para ir aos leilões da dívida pública e, como se isso não fosse já suficientemente perigoso, usar as OT assim compradas para garantir empréstimos do BCE.

Sem comentários: