Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

21/06/2015

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (112) - As coisas que a direita nos faz, analisadas por uma socióloga socialista

Segundo Mariana Vieira de Silva, socióloga socialista, membro da Comissão Nacional do Partido Socialista e «filha de quem é», «assumimos com demasiada facilidade uma ideia de culpa e de responsabilidade única nossa perante esta crise. A direita foi eficaz nessa construção da ideia que estávamos neste lugar por culpa nossa.»

Só mesmo a direita conseguiria levar-nos a assumir as culpas pelos desvarios do neoliberalismo e da economia de casino e da sanha das agências de rating, que nos forçaram a interromper o ciclo virtuoso sob a égide do Partido Socialista e do seu carismático líder José Sócrates, agora injustamente preso por uma cabala da direita com a cumplicidade dos juízes ao seu serviço, a assumir as culpas, dizia eu, por esses desvarios e essa sanha e ainda pela austeridade punitiva inspirada por Frau Merkel, determinada pela troika num memorando negociado e assinado pelo governo do PS executado por excesso pela mão do governo neoliberal de Passos Coelho e Portas, austeridade da qual só o socialismo de Costa nos salvará.

Sem comentários: